quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

A revolução bate à nossa porta

A guerra é de consciência

Francisco Batista Torres de Melo

Já fiz carta. Já fiz artigo. Já tive artigo publicado na Folha de São Paulo. Já vi a fome em vários lugares. Já vi a morte de perto. Já comandei as Polícias do Piauí e de São Paulo. Já vi a pior das misérias humanas, que é a falta de caráter.

Já vi a droga destruindo a minha juventude, em São Paulo. Já vi crianças jogadas nos depósitos infectos e roídas pelos ratos. Já vi a falta de amor. Já vi o meu Brasil, de norte ao sul e de leste a oeste. Vi o índio sendo explorado. Já chorei ao lado de uma mãe que, desesperada, dizia-me que o filho era ladrão. Fiz parte da Comissão Especial de Investigação no Governo do Dr. Itamar Franco. Já fui Provedor de Santa Casa e Presidente de Abrigo para idosos e revolta-me o Estado viver abraçado ao pensamento de Tertuliano (160 – 220 d. C.).

Vi o verdadeiro homem. Este homem brasileiro é o trabalhador honesto, o homem da fronteira, o policial que sacrifica a sua vida pela sociedade. Vi a dedicação do soldado das Polícias Militares, vi a santa mãe que não larga seu filho em qualquer situação. E de tudo que vi quatro fatos que aconteceram comigo permitem que eu diga: DEUS EXISTE NA SUA MARAVILHA TOTAL.

Tive uma grande família. Casei, perdi a minha primeira santa e casei uma segunda vez com outra santa. Recebi uma chuva de pétalas de rosas ao deixar o comando da Polícia Militar de São Paulo. Vesti por 44 anos a farda do Exército Brasileiro.

Nasci em 1924 e completei 91 no dia 24 de dezembro de 2015. Nesses 32 780 dias vi um pouco da nossa história. Vi a revolução de 1930, ouvi falar das de 32, 35, 37, 38, da guerra, da queda de Getúlio. A partir de 1947, vivi nos quarteis cumprindo ordem, instruindo jovens, vendo o Brasil balançar com a morte brusca de Getúlio. Golpe do Lott, eleição de Juscelino, Jânio, Goulart. Governo dos presidentes Militares com o restabelecimento da ordem e volta à tão fala democracia, o Estado Democrático de direito. A democracia para mim e para meu professor de direito é o cumprimento da lei. Matar, assaltar, sequestar, assassinar, roubar, mentir são atos criminosos praticados por terroristas. Vi esta fase como Comandante do CPOR e mostrava aos jovens o que era a vida e eles ainda hoje vivem lutando pela democracia.

Em 1988 fui para a reserva. Era a lei. Cheguei a general de Divisão e formamos um GRUPO, chamado Grupo Guararapes. Comecei a ver coisas que nunca tinha visto. Parecia coisa de alma do outro mundo, alma penada, ou lobisomem.

O Grupo previu a queda de Collor um ano antes. Quando ele, na campanha, subiu as escadas do TSE com papéis na mão chamando o Presidente da República de nomes impublicáveis sentimos que tudo estava perdido.

Começamos a descer a ladeira.

Apareceu um grupo de esquerda forte e dizendo-se dono da verdade. Derrubou COLLOR e foi contra tudo e contra todos. Iria salvar o Brasil. Como no Brasil não se lê, a mediocridade ia dominando. O GRUPO foi se afirmando no meio da população brasileira, na maioria semianalfabeta, chegou ao governo, ao COMANDO DE UM HOMEM ESPERTO E SEMIANALFABETO.

Cai COLLOR. Sobe Itamar. Vamos fazer parte da CEI (COMISSÃO ESPECIAL DE INVESTIGAÇÃO). Vi a podridão por dentro. Meu Deus! Novo governo e tudo da CEI jogado fora. Os bandidos protegidos.

A idade avançava. O GRUPO publicava documentos fortes, mostrando a realidade. Todos cegos, surdos e mudos. Sabia-se que o desastre se aproximava. Sabia-se o que iria acontecer e aconteceu, pois não podemos esquecer o que afirmou o revolucionário Mikhail Bakunin (criador do anarquismo): “Aqueles que antes eram operários, ao se tornarem governantes ou representantes do povo, deixarão de ser operários, passarão a olhar os operários do alto, não representarão o povo, somente a eles próprios... Quem duvidar disso é porque não conhece a natureza humana.”

Chegamos onde chegamos, 2015. Governo dito popular (treze anos) e o caos dominando o País. Vamos lá: 1. Senador preso. Os presidentes da Câmara e do Senado acusados pela PGR de ladrões e praticantes de outros crimes;

2. Processos escabrosos, sendo abertos e outros por serem abertos;

3. Só o PeTrolão seria suficiente para que o povo se revoltasse;

4. Os PODERES EXECUTIVO E LEGISLATIVO apodreceram, faliram e os três chefes (Senado, Câmara e presidente da República) já deveriam ter sidos afastados e presos para o BEM DO BRASIL.

CHORO pelos meus netos e bisnetos. Não acreditam no País. O que será deles? País governado por biltres, corruptos, corruptores, cínicos, devassos.

Quando li a frase de Luiz Costa; “se o dinheiro e muitas vulvas falassem sobre o Brasil” fiquei sem fala. Esta é a grande verdade.

Para terminar, assistimos ao fim de tudo.

Há críticas fortes contra os Ministros do STF. Falam que não são mais juízes e sim, representantes de partido político.

O Poder judiciário já não julga, legisla, pois Executivo e Legislativo se digladiam pela posse do PODER.
O ÚLTIMO QUE SAIR FECHE A PORTA!
Título e Texto: Francisco Batista Torres de Melo, General de Divisão Reformado, 6-1-2016 
Grupo GUARARAPES                                          

Um comentário:

  1. Acabamos de assistir a uma fiel retrospecção de um cidadão militar, patriota, que espelha com perfeição a realidade do nosso querido Brasil, combalido e assustado com tantas ameaças terríveis, que efetivamente podem nos trazer, se nada for feito para combater tais ameaças, consequências gravíssimas e de difícil conserto! Como um brasileiro também idoso, endosso as palavras do digno militar, esclarecendo que ainda acredito numa virada histórica, porque creio cegamente na sabedoria do dito popular: "Não há bem que dure como também não há mal que se perpetue"...
    Almir Papalardo.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-