sábado, 22 de julho de 2017

Polícia evitou ataque terrorista contra o Papa em Fátima

Um cidadão marroquino casado com uma bombeira portuguesa terá planeado um ataque terrorista contra o Papa Francisco, durante a sua visita a Fátima, no passado mês de maio, mas acabou por ser neutralizado pela polícia

A notícia é avançada pelo jornal Sol, que salienta que o cidadão marroquino em causa tentou infiltrar-se na ambulância onde a mulher, uma bombeira portuguesa da corporação de Ourém, se encontrava para dar apoio direto ao Papa, caso fosse necessário.

O homem já estaria a ser vigiado pelas autoridades, depois de ter comprado materiais suspeitos, como nitratos que são habitualmente usados em bombas artesanais.

Assim, as autoridades portuguesas conseguiram impedir o marroquino de levar a cabo o ataque.

Entretanto, foi expulso do país e a sua mulher foi afastada da corporação de bombeiros por tempo desconhecido.

Sol adianta ainda que Portugal tem vivido “outras movimentações suspeitas nos últimos meses, que não são noticiadas pela Polícia para não causar alarme social”.

As autoridades terão expulsado do país vários suspeitos de terrorismo, entre os quais um jordano, também casado com uma portuguesa, que tentaria aliciar sírios, na zona de Leiria, para cometerem ataques terroristas em Portugal. 
Título e Texto: ZAP.aeiou, 22-7-2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-