sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Eleições autárquicas: escolha “informada e refletida”

PSD

Na Maia, o Presidente do PSD realçou a importância do investimento privado e autárquico para o futuro do País e falou, ainda, sobre o desafio de todos os políticos em contrariar a abstenção em períodos eleitorais


A campanha do PSD foi um somatório de muitas campanhas”, afirmou esta sexta-feira Pedro Passos Coelho, na Maia. O período oficial de campanha para as eleições autárquicas termina esta noite e, segundo afirmou, o PSD “chega ao final a achar que os nossos candidatos fizeram o que era suposto, uns apresentaram a sua obra, outros as suas ideias e os projetos para futuro”.

Destacou, portanto, que durante estes dias se contribui “para que os eleitores no dia 1 de outubro possam ter uma escolha informada e refletida”. Defendeu que é assim que, “cada vez mais, devem ser as campanhas eleitorais”.

De acordo com o líder social-democrata, o objetivo do PSD passou por, “ao longo de todo este tempo, estar próximo das pessoas, contactar com as realidades locais, estar com os candidatos e ter a oportunidade de visitar empresas e instituições que são importantes” para as comunidades, regiões e para o País.

Precisamos de investir mais e melhor, com qualidade
Em visita à empresa SONAE, o presidente do PSD referiu-se ao facto de ser “um grande grupo português com uma importância muito grande na economia e na geração de riqueza e de emprego”. Encontra-se localizada no concelho da Maia que, segundo informou, tem “um largo número de empresas”, tratando-se de um município que “deve contribuir muito para as exportações portuguesas”.

Há aqui uma compatibilização indispensável entre necessidades de natureza social e económica”, disse, acrescentando que é preciso “apostar na iniciativa privada” se “queremos ter um País, comunidades e municípios melhores”. Tal como apontou, só assim se pode gerar “riqueza para futuro”.

Pedro Passos Coelho salientou, portanto, que o PSD dá “uma importância muito grande a tudo o que envolve atrair investimento para os concelhos”, já que o “Estado não tem muita forma de canalizar recursos para o investimento”. Destacou, assim, que atualmente se investe, “do ponto de vista público, menos do que nos tempos de maior restrição financeira”. Lamenta que assim seja e deixa o alerta: “precisamos de investir mais e melhor, com qualidade”. Investimento privado e autárquico são, por isso, “importantes”, sobretudo quando o Estado “não tem tantos recursos quanto os que seriam necessários”.

Maia: Bragança Fernandes contribuiu para “época de ouro
Salientando que o município da Maia tem “projetos de investimento tão relevantes para futuro”, o líder social-democrata saudou o ainda presidente do município, engenheiro Bragança Fernandes, pela “pela época de ouro” para a qual contribuiu. Dirigiu palavras de apreço a António Silva Tiago que, “com muita experiência” e “muitos anos de câmara”, se candidata ao município para dar continuidade a um projeto para o qual também tem contribuído. “Não deixará de fazer bom uso de uma herança de que também é um dos artífices importantes”, afirmou Pedro Passos Coelho.

Abstenção: PSD quer “atrair a atenção” dos que não têm votado
Questionado sobre a abstenção, o Presidente do PSD lembrou que “há muitos anos que é demasiado elevada nas eleições autárquicas”. Considera que “significa que há muitas pessoas que não vêem incentivo para escolher e isso é negativo”. Contrariar estas situações assume-se, então, como “um desafio para todos os políticos: fazer com que na avaliação dessas pessoas valha a pena votar”. Informou, portanto, que um dos objetivos que move o PSD é “atrair a atenção deste grupo, dando razões para que valha a pena a escolha”. 
Título, Imagem e Texto: PSD, 29-9-2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-