quinta-feira, 16 de março de 2017

Panamá: país estranho!

Alberto José

Quando a gente chega no Aeroporto Internacional de Tucumán e vai para a cidade (vinte minutos) não passamos pela "Maré", seguimos por uma ótima estrada cercada de morros com florestas. Aliás, há muitos morros com florestas e ninguém "constrói" nesses lugares!


As pessoas pobres moram em muitos prédios que formam "comunidades" a dez minutos do centro da cidade.

O metrô atende aos trabalhadores na periferia. Na área de turismo quem está passeando anda em carros de luxo ou pega táxi com preço combinado antes de embarcar.

Lá, tem uma marina com ótimos restaurantes e cheia de lanchas, veleiros e iates de luxo. Tem até uma feira de carros esportivos e de alto luxo!

Na Lapa de lá, "Casco Viejo", na parte antiga há ótimos restaurantes e muita polícia para garantir a ordem.

Eles têm o maior shopping center da America Latina, o Albrook Mall, que fica a dez minutos do Canal do Panamá que é a oitava maravilha!



Os condomínios do Pacific Point, de frente para a baía, têm condomínios de superluxo, que deixa o pessoal da Barra com inveja!

O país não respeita o "politicamente correto" pois as moças e rapazes saem dos colégios uniformizados (como no Brasil de antigamente); não há minissaias, corte de cabelo moicano ou afro e pinturas na pele! Isso a gente só vê nas boates dos grandes hotéis!

Também não se vê "intimidades" entre pessoas do mesmo sexo.

Outro "direito" que o governo não concede é o de deitar na via pública, pedir esmola, ser flanelinha, fazer malabarismo ou vender bala no sinal de trânsito.

A polícia existe, mas é muito discreta; não circula com as sirenes fazendo barulho!

A moeda local é o dólar norte-americano, que é usado na prática; também fazem câmbio de Real!

Parece que o país vive do Canal do Panamá onde passam cerca de setenta navios por dia e as tarifas variam entre 10 mil até mais de 500 mil dólares para cada navio que atravessa entre o Oceano Pacífico e o Oceano Atlântico! Então, os funcionários públicos, pessoal da saúde, professores e policiais recebem em dia!


Para não dizer que tudo é maravilhoso, de vez em quando lá ocorre um terremoto (lembra da piada que Deus fez o Brasil sem terremoto?). 
Título e Texto: Alberto José, 16-3-2017

2 comentários:

  1. Realmente, é incrível o desenvolvimento deste país, o Panamá, nos últimos vinte anos, era quando nasciam no Brasil esta geração de marginais e se formava esta geração de políticos corruptores, que hoje estão aí, são as duas gerações, uma que governa e rouba muito e outra que rouba pouco mas mata futilmente.

    Veja, Alberto, o que é um mau governo, e como Otários fomos aqui no Brasil, em permitirmos, como população, durante tantos anos, tantos roubos, e o pior, o Brasileiro ainda "se acha".

    E tem mais, esta população que rouba pouco e mata, está se proliferando de uma forma assombrosa, muito maior que imaginamos, pense então o que será daqui a vinte anos.
    Como diz Boris "isto é uma barbaridade".
    Um abraço,
    Volkart

    ResponderExcluir
  2. PIB DE 24 BILHÕES PARA 3 MILHÕES DE HABITANTES.
    A ECONOMIA PRIMÁRIA DESTINADA AO CONSUMO INTERNO, OU SEJA ALIMENTOS, A maior parte dos produtos manufaturados, como o cimento, os cigarros, os sapatos, os vestuários, o sabão, os produtos alimentares e as bebidas alcoólicas, é destinada ao mercado local, EXCETO O EXCEDENTE EM CAFÉ, AÇÚCAR E BANANAS que são exportados. O Panamá executa a lição de casa, primeiro o povo, depois a exportação. Por acordos internacionais o Panamá não tem forças militares próprias, mas sim uma coalizão internacional antiterror.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-