domingo, 16 de abril de 2017

[Aparecido rasga o verbo] A malhação dos nossos eternos Judas

Aparecido Raimundo de Souza

Chegou a hora de darmos o troco. Malharmos o Judas Iscariotes, aquele safardana patife que, segundo a Bíblia Sagrada, por trinta moedas de prata (Lucas 22 e 48, Mt 26.1-5,14-16; Mc 14.1,2,10,11), traiu Jesus com um beijo. Quem seriam as figuras que (tirando os beijos) queimaríamos ou importunaríamos com prazer quase sexual numa fornalha incandescente?

Como não teríamos só um desgraçado a ser levado ao suplício, uma vez que a nossa lista, senhoras e senhores, se apresenta um pouco extensa, quem sabe, pior até que a da Lava-Jato, a matança deixaria lembranças imorredouras não só na cabeça como na mente das pessoas.  Mas vamos lá. Vejamos quem seriam os inocentes e humildes que arderiam até à exaustão de seus pecados.

Botaríamos fogo, sem dó nem piedade, nos rabos de Michel Jackson Temer, Lula, Dilma Roubousset, Eliseu Padilha, Magno Malta, Luciano Resende, Gilberto Kassab, Luiz Fernando Pesão, José Sarney, Renan Galheiros, Gleisi Hoffmann, Valdir Raupp, Antonio Anastasia (que na verdade nos dá uma baita azia), Romero Jucá, Glaison Cameli, Ciro Nogueira, Edson Lobão (ou Bundão), Lindbergh Farias, Fernando Collor Pó ou Pozinho de Mello.

Também iriam para os quintos, em fogo catastrófico, crestando suas entranhas igual ou mais do que as bruxas dos tempos da inquisição, Eduardo Cunha, Moreira Franco, José Serra (o ET de Varginha), Simão Sessim, Vander Loubet, Animal (perdão, Aníbal Gomes, Arthur Lira (esse amaldiçoado, em particular, em nosso entender tocaria a sua lira para o capeta dormir), José Otário (Otávio) Germano, Luiz Fernando Ramos Faria (faria, evidentemente, a cama do tinhoso), Nelson Meurer, Aguinaldo Ribeiro, Eduardo da Fonte (que igualmente aconselharíamos com um recado ao coisa ruim, para que o colocasse para cuidar da fonte do purgatório, missionário José Olimpo, perdão, Osujo - esse vagabundo do Osujo - cuidaria das almas que fossem chegando aos palácios do Fogo Eterno).

Roseana Sarney (ajeitada com um bilhetinho na lapela de seu vestido de grife, ao secretário do diabo para queimar suas sarnas), iria para a casa do carvalho pelada, seguida de João Vaccari Neto, Luiz Argolo (que recomendaríamos a Belzebu, colocar argolos e argolas em todos os já citados acima e recém introduzidos na terra do Queimão Super Aquecido).

Não ficariam de fora do nosso rol de trucidados a paus e pedras e, a depois, tostados vivos, amadas e amados, iguais churrascos, os pilantras e enganadores do povo, os vagabundos e trapaceiros que vivem às nossas custas, ou seja, além dessas pestes acima citadas, se foderiam de verde amarelo os oitenta e um malandros do Senado, e, de roldão, os quinhentos e treze ladrões e sacripantas da Câmara.

Também chacinaríamos, malharíamos e, em passo contínuo, assaríamos os crápulas dos ministérios, os trambolhos e os vermes dos TSE, TSJ e outros TSs, bem como, na mesma efervescência, os crápulas dos palácios suntuosos que fedem mais que carniça de beiras de estrada.

Enfim, senhoras e senhores, nesse sábado de aleluia, em que as pessoas têm por hábito, por idiotia, tacar fogo em Judas, de forma simbólica, nós, de coração aberto, sem pena, sem dó nem piedade, sem o menor pingo de arrependimento, ou constrangimento, no melhor do sangue frio que corre em nossas veias, faríamos um fogaréu maior que o da Boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, claro, não exterminando inocentes, longe disso, todavia  aniquilando, destruindo, banindo do nosso meio, esses cânceres malignos que comem, bebem, dormem, se vestem, mantém suas famílias e putas, as custas de nosso suor.

Porém, como sempre falamos em nossos artigos, Deus não dá asas à cobra. Ah... amadas e amados, se tivéssemos poder...    
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, jornalista. De São Paulo Capital. 16-4-2017 

Colunas anteriores:

2 comentários:

  1. Caro amigo Valdemar Habitzreuter.

    Bom dia.

    Foi por "Hesquecimento" Camarada. Para mim, em particular, são todos farinha do mesmo saco. Nenhum presta. Vou ver com o meu amigo Jim, a possibilidade de incluir mais esse pilantra na minha listinha, claro, Fazendo Honras ao Cidadão.

    FHC, a meu pensar, não Foi um Homem Comum. Fortificou-se como Homem Comandado, e, como tal, Fodeu com a Honestidade de seus Companheiros, Fortalecendo os Homens Corruptos. Sem contar que Fracassou como "Hautoridade" no Comando da nação. É o que penso. Obrigado por ter lido meu texto e comentado. Abraços cordiais.
    Aparecido Raimundo de Souza, de Belo Horizonte, nas Minas Gerais.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-