sábado, 15 de abril de 2017

Alá que se faz tarde

Vitor Cunha

É com pesar que vejo que uns católicos, em nada representativos do catolicismo, decidiram estragar a paz dos pacatos cidadãos muçulmanos oprimidos e refugiados, através de uma provocadora procissão tradicional e histórica na cidade de Sevilha.

Estavam os devotos da religião de paz muito bem na rua a gritar por Alá — como fazem as pessoas normais em outras regiões da Andaluzia (como em Torremolinos: “vai, atira o colchão alá piscina”), eis que aparecem estes vândalos do heteropatriarcado com as suas vestimentas, andores, velas e preces para deliberadamente perturbarem a paz pública.

E para que este texto tenha uma conclusão, é com agrado que verifico que a Fernanda Câncio já procedeu à remoção de todos os crucifixos deste país, substituindo-os por colchões.

Vai, atira o colchão alá piscina.
Título e Texto: Vitor Cunha, Blasfémias, 15-4-2017



Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-