sexta-feira, 28 de junho de 2013

Ajuste na Austrália, baderna no Brasil

Otacílio Guimarães
K., chegamos hoje a Wellington depois de três dias de uma viagem linda e tranquila. Ainda não andamos pela cidade e conhecemos apenas o trajeto até o hotel onde nos hospedamos e o que vimos muito nos agradou. Acho que vamos gostar muito de Wellington.


Estou aqui no hotel dando uma geral nas notícias pelo mundo e fiquei surpreso com a rapidez dos acontecimentos políticos na Austrália. O sistema australiano é tão dinâmico que não precisou de uma eleição para mudar o primeiro-ministro, apenas uma convenção do Partido Trabalhista onde Kevin Rudd obteve 57 votos contra 45 de Julia Gillard. Bastou as pesquisas de opinião indicarem que o PT australiano (que não tem a mínima semelhança com o PT brasileiro) poderia sofrer uma derrota nas eleições de setembro próximo, para trocarem o primeiro-ministro. É notável também como o processo é civilizado, sem ataques pessoais, acusações ou propaganda enganosa e visando unicamente o bem do país.  

Quando eu cheguei na Austrália, Kevin Rudd era o primeiro-ministro e foi substituído por Gillard num processo semelhante. Agora deu o troco e Gillard, ao contrário do que fazem os políticos brasileiros que quando perdem uma eleição partem logo para outra tentando conquistar um outro mandato seja lá do que for, já declarou que vai abandonar a política. Seu curto governo, aliás, não comprometeu em nada o desenvolvimento da Austrália e ela e Rudd concordam em muitos pontos importantes, como a aliança militar com os Estados Unidos e o estreitamento das relações comerciais com a China. Acho que a sua queda de popularidade tem a ver com o afrouxamento da política de imigração facilitando a vinda de elementos indesejáveis, como os muçulmanos. Kevin defende intransigentemente a política de que a Austrália pertence aos australianos e quem quiser viver nela tem que obedecer às leis e se adaptar à cultura do país, no que está muito correto. Seja bem-vindo, portanto.

Enquanto isto, a baderna impera no Brasil em meio ao futebol. A situação lá é muito confusa com a polícia atacando violentamente os manifestantes pacíficos e deixando os vândalos baderneiros destruidores à vontade. Atacam principalmente os jornalistas da imprensa séria que quer mostrar a verdade para o mundo. Veja que vídeo incrível:


Será que isto era necessário? A quem interessa tão violenta repressão contra manifestantes pacíficos que estão no seu direito de protestar e jornalistas honestos que estão no seu direito de bem informar? Advinha a quem interessa!

Está me parecendo que o Brasil está mostrando suas duas faces, uma admirável retratada pelos manifestantes pacíficos que não suportam mais os descalabros da política avacalhada do PT & Asseclas e outra terrível do banditismo consentido por esses mesmos grupos políticos que estão no poder. A meu ver, os grupos violentos estão agindo a mando e a serviço do governo com o intuito de desmoralizar o movimento. Em que tudo isto vai terminar, eu não tenho a menor ideia.
Bem, vou descansar um pouco da viagem para depois conhecer Wellington de perto.
Grande abraço,
Título e Texto: Otacílio Guimarães, 28-06-2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-