quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Pecuaristas brasileiros mandam mensagem em código a Greta Thunberg

O vídeo termina com uma pergunta: “De qual lado você está? De quem preserva de verdade ou de quem manipula seus sentimentos?”

Branca Nunes

Donos de um dos maiores rebanhos bovinos do Brasil, os criadores de gado paraenses decidiram sair em defesa da pecuária nacional. Num vídeo de menos de dois minutos, a Associação de Criadores do Pará (Acripará) afirmou que é possível produzir com responsabilidade, preservando o meio ambiente.

“Existe 1 milhão de agricultores na Amazônia e apenas 5% deles utilizam queimadas como forma de limpeza para produzir seus alimentos”, diz a voz da narradora, que lembra a da ativista juvenil Greta Thunberg. “O Brasil preserva 66,3% de suas florestas nativas, o país que mais preserva no mundo. Produz alimentos em apenas 29% de sua área territorial. Por isso os alimentos que você consome são produzidos de forma responsável e sustentável.”

As alusões indiretas a Greta não param por aí. Em setembro de 2019, a ativista ganhou as manchetes dos principais jornais do mundo ao acusar as autoridades presentes na Cúpula do Clima da ONU de roubarem “seus sonhos e sua infância”. No vídeo, a voz faz uma sugestão aos espectadores. “Cabe à sua geração cobrar de seus governantes a preservação ambiental no seu país”, diz. “Na Amazônia se produz com respeito ao meio ambiente.”

O vídeo termina com uma pergunta: “De qual lado você está? De quem preserva de verdade ou de quem manipula seus sentimentos?”.

O Brasil tem atualmente o maior rebanho bovino do mundo, com mais de 220 milhões de cabeças, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Em 2019, foram exportados quase 2 milhões de toneladas de carne bovina.


Título e Texto: Branca Nunes, revista Oeste, 9-9-2020, 20h30

Um comentário:

  1. Não é a Amazônia que está em chamas
    Incêndios florestais no Oeste dos Estados Unidos mudaram a tonalidade do céu para laranja

    Na quarta-feira 9, a tonalidade azul do céu de São Francisco, nos Estados Unidos, mudou para laranja. O evento se deu não pela fumaça das “queimadas na Amazônia”, mas por causa dos incêndios florestais que assolam a Califórnia. As rajadas de ar seco pioraram a situação, porém, meteorologistas avaliam que a situação deve arrefecer em breve.

    De acordo com o Departamento de Proteção contra Incêndios da Califórnia, um desses focos já devastou 79 mil acres de terra e tem crescido sob “condições climáticas extremas”. No sudoeste de Los Angeles, no condado de San Bernardino, chamas foram controladas pelos brigadistas depois que um dispositivo pirotécnico usado em um ‘chá de revelação’ deu início ao fogo.

    A Floresta Nacional de Cleveland, no sul do Estado, já perdeu mais de 10 mil acres para as queimadas. Contudo, até o momento, o ator Leonardo Di Caprio, que volta e meia tece comentários acerca do bioma brasileiro, não deu um pio sobre o que está ocorrendo nos EUA.

    Cristyan Costa

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-