quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Chuva no Rio de Janeiro em um dia supera média do mês

Solo está encharcado em diversas encostas e cuidado deve ser mantido

Akemi Nitahara 

O acumulado de chuva na cidade do Rio de Janeiro, das 18h de segunda-feira (21) às 6h de hoje (23), chegou a 114,3 milímetros (mm), 57% a mais do que a média para todo o mês de setembro, que é de 72,5 mm. 

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

De acordo com o sistema Alerta Rio, os maiores índices pluviométricos foram registrados no Recreio dos Bandeirantes, na Grota Funda, na Avenida Brasil/Mendanha, na Barra/Barrinha e no Alto da Boa Vista. 

Segundo a prefeitura, a cidade recuou do Estágio de Atenção para o de Mobilização às 8h e as sirenes do sistema Alerta Rio, ligadas em 17 comunidades, foram desligadas. A prefeitura alerta, entretanto, que o solo ainda está encharcado em diversas encostas e os cuidados devem ser mantidos. 

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informa que não há previsão de chuva forte para hoje, mas a cidade ainda registra algumas ocorrências relacionadas ao temporal de ontem. 

Há alagamentos no Jardim Maravilha, em Campo Grande, na Estrada do Rio Morto, em Vargem Grande, e no Muzema, em Rio das Pedras; queda de árvore na Estrada da Pedra Bonita e deslizamento na Estrada da Gávea Pequena. 

Desde as 21h de segunda-feira, a Defesa Civil municipal registrou 107 chamados. Foram 41 ocorrências por ameaça de desabamento de estrutura, 32 para imóveis com rachadura e infiltração e 23 por ameaça de deslizamento de encosta. Os bairros com mais chamados foram a Tijuca, Campo Grande, Itanhangá, Vidigal, Alto da Boa Vista, São Cristóvão, Santa Teresa, Bangu, Todos os Santos, Freguesia, Guaratiba, Vargem Grande e Bangu. 

O órgão fez 13 interdições, sendo 11 na região do Alto da Boa Vista, uma no Rio Comprido e uma na comunidade do Faz Quem Quer, em Rocha Miranda. 

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) atuou para desfazer 43 bolsões d`água em diferentes pontos da cidade e limpou 606 caixas de ralos de escoamento das águas pluviais. Foi registrada a queda de 40 árvores e a ressaca no mar levou lixo à praia no Leblon. 

O Rio Morto transbordou em Vargem Grande, causando a interdição da Estrada Alceu de Carvalho. 

Título e Texto: Akemi Nitahara; Edição: Lílian BeraldoAgência Brasil, 23-9-2020, 12h19

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-