quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

[Atualidade em xeque] Escroto

José Manuel

O título parece chulo. É e não é. Vamos ver:
O escroto ou bolsa escrotal é o saco musculocutâneo que contém os testículos e os epidídimos, portanto, é o órgão masculino, que detém esse nome e onde se produzem os espermatozoides humanos, que algum dia fecundarão um novo ser.

A primeira versão, e neste caso em particular, o espermatozoide saído dessa bolsa em determinado momento era aleijado e fecundou infelizmente para a humanidade um novo ser chamado gregório duvivier, assim mesmo, em letra minúscula como ele faz questão de se autoproclamar.

A segunda versão, segundo vários dicionários ao alcance de todos na internet, diz o seguinte:
O ideário popular refere-se a este adjetivo para expressar uma pessoa chula, ordinária, reles, vil, malfeita, ordinária, grosseira e vagabunda.
E novamente cai como uma luva neste personagem em questão chamado gregório duvivier.

Feitas as explicações preliminares acerca do título, e passadas já mais de quarenta e oito horas desde a publicação pelo dito cujo acima, no grupo Folha de São Paulo e, não havendo reação da comunidade eclesiástica no maior país católico do mundo, mas totalmente acéfala, nem tampouco da CNBB (conferência nacional dos bispos do brasil), título pomposo, mas sem utilidade nenhuma, resolvo eu mesmo tomar esta iniciativa que discorro a seguir.

Em tempo, quero que fique claro que não sou evangélico, católico carola, anglicano, protestante, luterano ou quantos mais nomes podem advir ou podem pensar sobre este meu artigo.

Sou apenas um ser humano normal e septuagenário, que professa a sua fé cristã, não em templos, mas na minha cabeça, no meu próprio ser, pois para mim Deus está em mim, não em obras de arte marmorizadas.

gregório duvivier
Mas, isso não parece ser, nem ao grupo Folha que por falta de conteúdo melhor jamais chegará a ser um Estado de S. Paulo, e o inacreditável é que tenha sido publicado em um Estado intelectual, político e financeiro, enfim o cérebro do país, de forma tão grosseira. No dia 25 de dezembro, ou seja, no dia de Natal. Quanto ao colunista idiota e pago para escrever o que lhe vem à cabeça sem perceber que ofendeu a minha fé e a de milhões de cristãos em torno deste planeta, nenhuma novidade.

Sempre foi um ruanetista escrachado, vagabundo, admirador do petismo que o protegeu e que não consegue distinguir liberdade de expressão de democracia e que provavelmente nunca soube o que significa nem um nem outro.

Deveria estar vivendo na Coreia do Norte ou em Cuba e por lá exercer o seu machismo com a sua publicação. Gostaria imensamente de ver se ele exerceria esse machismo caso o tivesse feito em países árabes ou asiáticos, pois com toda a certeza a sua pobre cabeça já teria voado longe.

Ao primeiro, grupo, o Folha, gostaria de refrescar a memória de seus editores relembrando que por muito menos um também grupo editorial chamado Charlie Hebdo, em Paris, foi pelos ares por ter ofendido Maomé.
Ao segundo, que não conhece história, muito menos o que significa humanidade proponho que leia sobre um outro metido a escritor, chamado Salman Rushdie, condenado à morte e foragido até hoje por ter ofendido o Islã, com o seu livro Versos Satânicos.

Mas como a porta dos fundos cabe como uma luva no seu ideário de vida, e o escracho em um país invertido sem eira nem beira, cria indivíduos anômalos, sem cérebro e vegetativos, propicia que coisas extraordinariamente chulas como essa aconteçam livremente e sem castigo.

Não ofendam mais publicamente a minha fé, por favor!

O artigo publicado no dia de Natal que casualmente vi publicado no site Uol está abaixo reproduzido.

O artigo se refere a Jesus Cristo e está aqui descrito para quem quiser ler, se horrorizar e se arrepender de ser brasileiro.
Título e Texto: José Manuel, parabéns CNBB, pela sua pronta resposta. 28-12-2017

Opinião 25/12/2017 - gregório duvivier

Parabéns, baderneiro comunista defensor de bandido e prostituta.

O sujeito perdoava até o roubo, mas não perdoava a riqueza. "É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha", dizia ele, "do que um rico entrar no reino dos céus". Não sei se vocês já tentaram costurar usando um camelo. É dificílimo. E machuca à beça o camelo.

Há quem afirme, claro, que ele não teria dito exatamente essa frase. Lucas, o biógrafo, estaria longe do amigo nessa hora e teria ouvido "camelo", mas, na verdade, o amigo teria dito "cabelo".

Ilustração: Catarina Bessel/Folhapress
Outros alegam que "camelo" é uma tradução ruim pra "corda". E há quem diga que "agulha" é uma tradução ruim pra "pequena porta". Se alguma das hipóteses for verdadeira, o tradutor da Bíblia aprendeu a falar grego com a canetinha da Wizard.

Vamos esquecer então suas falas, já que elas parecem ter sido traduzidas pelo Joel Santana. Olhem pra vida do rapaz: não acumulou riqueza, não se formou, ao invés disso vivia descalço cercado de leprosos defendendo bandido. Isso não significa, no entanto, que ele fosse paz e amor. O sujeito tava mais pra Marighela que pra Gandhi.

Quando entrou no templo e viu que tava cheio de caixa eletrônico, chutou —literalmente— o pau da barraca, como estivesse na loja da Toulon em 2013. Não sobrou pedra sobre pedra do templo de Salomão. O jovem black bloc bicou pro alto tudo quanto era maquininha da Cielo.

Perdoou as prostitutas e, pior, garantiu que elas vão entrar no céu antes de você. "Elas e os cobradores de imposto", disse o comuna, provando que, se tem uma coisa que comunista gosta mais ainda do que de putaria, é de imposto.

Atendia leproso sem cobrar nada ou pedir a carteirinha do plano, como se fosse um médico do SUS. E não só: atendia inclusive estrangeiros, como no caso do centurião romano, mostrando ser a favor do programa Mais Médicos.

Ao transformar água em vinho, nada mais fez do que dar drogas à juventude —como bom comunista.

Vamos lembrar que quem transforma água em vinho troca uma substância que não dá onda por outra que dá, como quem troca tabaco por maconha.

Não bastasse tudo isso, ainda tinha o preconceito, típico de comunistas, com o rock nacional. Quando o sujeito disse: "meu nome é Legião", tratou de exorcizar.

Teria ele feito a mesma coisa se o nome do sujeito fosse "Vandré"? Tenho dúvidas. 


Colunas anteriores:

19 comentários:

  1. Quando um idiota se acha escritor, cronista e poeta, acontece isso.
    Jesus negro, ariano ou japonês até pode ser representado, mas era judeu e com certeza não teria olhos azuis.
    Há negros, arianos e árabes judeus, cristãos, muçulmanos e até umbandistas, batuqueiros etc...
    Há aqui um confuso cronológico moral de épocas, que jamais podem ser comparados, é tentar comparar Pelé com Messi ou Cristiano Ronaldo.
    Embora outros não entendam, ainda acho que o ESCROTO tentou compara Jesus com a mula retirante de garanhuns nas entrelinhas.
    Sou ateu, mas detesto apologias criminosas contra a fé dos outros, prefiro debater no parlatório das opiniões lógicas.
    fui...

    ResponderExcluir
  2. Não assisto à Porta dos Fundos, nem ao programa de um outro idiota: Fábio Porchat.

    ResponderExcluir
  3. Aproveitamos esta oportunidade da (quase) virada do ano para desejar ao protagonista deste blogue , bem como a todos os que frequentam este importante espaço literário, extensivo a todos os familiares, um 2018 carregado de motivação,paz, boa saúde, realizações positivas, um mundo mais justo e ordenado e que a justiça seja abrangente e atinja a todos. Feliz ano novo , com o Grande Criador Arquiteto do Universo no comando de tudo.

    Li a respeito de Gregório Fortunato X Lacerda e andei pela rua Duvivier , em Copacabana ; quanto ao cidadão Gregório Duvivier, nunca ouvi falar. Pela indumentária se percebe que é adepto de Antonio Gramsci, Lênin e Marx . Cada um escreve aquilo que lhe vem à cabeça, e de acordo com os ideais. O texto reproduzido em itálico parece ser recheado da essência do infortúnio marxista. É preciso neutralizar essa ideologia maligna , que por onde se estabelece conduz à escravidão e ao cerceamento do desenvolvimento e novas ideias.
    Tudo indica que o tal "Gregório" deve ter conseguido o que mais queria: Aparecer para ser comentado e criticado...
    Vamos enfiar-lhe uma melancia pela cabeça; vai sair melhor na mídia.

    Grande abraço a todos.

    Sidnei Oliveira
    Assistido Aerus RJ

    ResponderExcluir
  4. — Ei, Nei, ô Nei, onde você está?
    — Aqui, Bastião. Não está me vendo?
    — Aqui onde? - Não consigo atinar com a sua pessoa. Dá um sinal. Grita, berra, faz sinal de fumaça. Bate um tambor.
    — Acaso está ficando cego?
    — Não.
    — Precisa de óculos novos?
    — Devo estar com as vistas cansadas. Acabei de ler o Charlie Hebdo. Talvez...
    — Sugiro uma lente de aumento.
    — Pirou, meu caro amigo?
    — Que eu saiba ainda sei distinguir um poste de luz de um cachorro querendo urinar nele. Quanto a você, tenho cá minhas dúvidas.
    — Estranho! Pareço pirado?
    — A meu ver, sim.
    — Por quê?!
    — Primeiro você diz que não está me vendo. Agora completa informando que leu o Charlie Hebdo. Nem sei o que é.
    — Faço referência aquele jornal francês que sofreu um atentado, em 2015 aonde vieram a óbito doze pessoas por supostas ofensas ao profeta Maomé.
    — Nossa, que coisa! Bastião, mudando de pau pra cavaco. Diga ai. Que horas são?
    — Não sei...
    — Ué. Cadê seu relógio?
    — Foi dar uma voltinha.
    — Como assim, uma voltinha? Você emprestou seu relógio? Não acredito! Vai chover. Munheca do jeito que você é. Pão duro. Emprestar o relógio, logo o relógio...
    — Não. Não fiz isso.
    — Então?
    — É que ele, o meu relógio, imagine, saiu com o ponteiro dos minutos. Falaram para mim que iriam assistir ao Stand Up do Fábio Porchat.
    — Não sei quem é. Isso se come?
    — Fábio Porchat é amigo de Gregório Duvivier.

    O que essa historinha idiota tem a ver com o brilhante texto de José Manuel publicado ontem, quinta-feira, 28.12.17, na “Revista Cão que Fuma?”. Nada! Resumindo: o que Gregório Duvivier escreve na “Folha de São Paulo”, deve entrar por um olho e sair pelo terceiro. No mesmo sentido, o que o Fábio Porchat vomita na televisão, entrar por um ouvido e escapar imediatamente pela extensão do abdômen que fica localizada entre o pênis e o ânus. Ambos, a meu ver, grosso modo, são sacos escrotais. O dia que cruzar com eles prometo sugerir dependurarem um camelo no pescoço. Talvez consigam passar pelo buraco da agulha sem se machucarem com a tromba, digo, com a corda. Ou, no pior dos casos: saiam “Juntos&misturados”, de mãos dadas, pela “Porta dos fundos”.
    Aparecido Raimundo de Souza.
    aparecidoraimundodesouza@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Acho que tanto o José Manuel quanto os comentaristas que se expressaram acima estão desatualizados a respeito do Brasil. E muito desatualizados. O gregório duvivier faz parte da fina flor dos intelectuais brasileiros da atualidade. Se estivessem atualizados saberiam que depois de Nelson Rodrigues todos os intelectuais que surgiram nesse fantástico país estão no mesmo nível ou abaixo do gregório duvivier. Um amigo meu, o Dr. Humberto de Luna Freire, neurocirurgião, me informou que vem observando a cada paciente que passa pelo seu bisturi uma redução significativa na quantidade de neurônios. Segundo ele, os brasileiros atuais devem ter, em média, metade do número de neurônios que seus conterrâneos possuíam há uns trinta anos atrás. Sua previsão é de que daqui a mais trinta anos os brasileiros nascerão sem os neurônios, um fato inédito no mundo. Vejam que na música a Anita é hoje a maior show business brasileira. Ainda é novinha mas já está milionária. Portanto, senhores, tratem de se informar melhor antes de criticarem sumidades (intelectual que está sumindo) como gregório duvivier.

    ResponderExcluir
  6. HEIM!
    Sumidade!!!
    Tá bom!
    Opinião, cada qual com sua cada qual!
    Mas ele tem um texto ruim, devia dedicar sua "inteligência" a algo que saiba fazer melhor.
    Eu tinha lido o texto aqui postado, que pretendia comentar, antes fui ao blog do mesmo, para não criticar sem conhecimento.
    Aqui poderia estar sendo criticado somente por ser de esquerda, o que alguns fazem, o que a meu ver invalida a critica! O que valeria também se fosse de direita!
    Mas não, são medianos mesmos os textos, então me calei!
    Mas mantive minha opinião diversa.
    Mas ao ver o dito cujo, sendo chamado de sumidade... Dá licença sô!
    E Anita? Pooxxxxa, com o corpo que expõe... Até minha vó ficaria milionária, é muito boa!
    Pouco se atém para a voz!
    E só para entender o gosto musical do brasileiro, vejam o Pablo Vittar- dá licença de novo sô -, é tido como a cantora do ano!

    Paizote

    ResponderExcluir
  7. PS.:
    A ideia do texto, até que é boa!
    Jesus Cristo, se vivo fosse, aos dias de hoje, a maioria do chamado "establishment", “sentaria o pau” no mesmo.
    Paizote

    ResponderExcluir
  8. "DESBLOGANDO" lá sei eu porque escrevi isso, mas foi apenas uma ideia.
    SE JESUS VIVESSE HOJE?
    Por certa lógica, no filme "O CÓDIGO DA VINCI" quase ninguém nota a busca homérica por um descendente de Cristo ou a descoberta de seu DNA.
    Tal pessoa seria memorável acontecimento moderno.
    Teria muitos seguidores e algozes ferozes e vingativos.
    Será que o Jesus moderno seria gay ou homofóbico?
    Ouviria FUNK ou música clássica?
    Seria pobre ou imensamente rico?
    Pregaria cristianismo ou judaísmo?
    Escrevi em outros tópico que o "SE" é uma desgraça linguística.
    Basta ler "IF" de Rudyard Kipling e veremos que é algo impossível para nossas juventudes.
    Jesus Cristo nos dias de hoje teria Iphone, andaria em jatinhos particulares, seria um "youtuber" e faria palestras pagas pelos empresários de empreiteiras.
    Indicaria candidatos aos governos.
    Pregaria que a pobreza é uma dádiva para entrar nos céus.
    Haveria um montão de artistas de peso, querendo carregar suas sementes sexuais.
    Sofreria queixas crime por assédio sexuais, com os requerentes querendo indenizações polpudas.
    Se fosse pobre, favelado certamente teria adentrado ao crime organizado e morto num confronto com a polícia ou por outras facções.
    Se fosse gay gravaria músicas ou telenovelas da Globo.
    Finalmente se fosse um retirante nordestino botaria no nosso rabo e teria apelido de molusco.
    Feliz 2019 para todos, é 2019 mesmo.
    fui...

    ResponderExcluir
  9. O problema é descobrir como enviar um comentário identificando-se. A porra só sai como Anônimo. Eu não sou anônimo, eu existo! Meu nome é Otacílio Miranda Guimarães

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem que ter google account ou open ID account, ou escrever seu nome na mensagem.

      Excluir
  10. Interessante. Isso acontece comigo. Sempre apareceu minha cara. De repente... comecei a figurar como ANONIMO. Não consigo entender essa logistica. Aparecido Raimundo de Souza - aparecidoraimundodesouza@gmail.com

    ResponderExcluir
  11. Bem meu povo, uma pequena explicação.
    Não basta você ter GMAIL, durante a limpeza do PC ou atualização de Iphones e androids, sua conta google é desconectda.
    Se você clica no seu nome que está aqui embaixo ao lado de "comentar como" aparece suas credenciais. Se seu nome não aparece você está desconectado.
    Toda vez que você entra no seu IE ou chrome no canto direito superior aparece sua conta gmail com seu avatar, ou aparece o ícone conectar.
    Isso devemos verificar ao ligar nossos tablets, pcs e smartphones.
    Sem estar conectado todas as mensagens serão anônimas.
    Espero ter esclarecido a questão.
    fui...

    ResponderExcluir
  12. O bom do regime democrático é cada um poder opinar , criticar, concordar, discordar, (ou até) acrescentar algum item a um determinado assunto. Gostaria de destacar a opinião do Seu Otacílo ( "Blog do Tatá" , creio eu) :

    "tratem de se informar melhor antes de criticarem sumidades (intelectual que está sumindo) como gregório duvivier." e ainda , " O gregório duvivier faz parte da fina flor dos intelectuais brasileiros da atualidade"...
    Opinião pessoal nossa : Só se for no acampamento dos "sem terra" e "sem noção" .

    "Sumidade" é o Papa Francisco, muito superior à empáfia do pseudo- literário . "Sumidade" foi Mahatma Ghandi, Abraham Lincoln, Da Vinci e Gutemberg . Nenhum destes foi um desconhecido almocreve.

    Não podemos concordar com a ideia estapafúrdia do Seu Guimarães, ao entender que detém a supremacia da verdade absoluta quando criticou-nos , pois se o famigerado letrado ( O de boné) sumidade assim o fosse , estaria ocupando uma cadeira de imortal na Academia Brasileira de Letras , e toda a grande imprensa e a mídia televisiva estaria com os holofotes ofuscando a grande personalidade do meio literário. Talvez algum dia o venha a ser.

    Por fim , para falar de uma sumidade no meio literário, lembremos um trecho da obra prima do grande Rudyard Kipling - De pai para filho:

    "Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes,
    e, entre Reis, não perder a naturalidade;
    E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,
    se a todos podes ser de alguma utilidade...

    Se és capaz de esperar sem te desesperares,
    ou, enganado, não mentir ao mentiroso,
    Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,
    e não parecer bom demais, nem pretensioso."

    Esta é a nossa opinião, sem qualquer subterfúgio no campo ofensivo a quem quer que seja.

    Tenham todos um Feliz Ano novo.

    Sidnei Oliveira
    Assistido Aerus - RJ

    ResponderExcluir
  13. Vocês leram o blogue do Otacílio Miranda Guimarães.Creio que houve "MISS UNDERSTANDING" POR FAVOR LEIAM A OPINIÃO DELE DE NOVO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual blogue?
      cd

      Excluir
    2. LEIAM COM CALMA SUA RESPOSTA NESTE BLOGUE E VEJAM QUE ELE NÃO CHAMOU O ESCROTO DE SUMIDADE DE CONTEXTO MAS SUMIDADE PORQUE SUMIU.
      Em defesa do correto espero que corrijam suas opiniões, simplesmente leiam a pagina 4 toda, sem imaginar a página 5. obrigado.

      Excluir
    3. Otacílio foi irônico.
      cd

      Excluir
  14. Ainda bem que sumiu ; como o odor de um traque . Fede, mas passa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que sumiu, quem?
      O pseudo-intelectual criticado, ou o verdadeiro intelectual –acordo seu currículo- que não conseguiu se fizer entender claramente por inteligências menores?
      Se bem que, até que o próprio esclareça o que quis realmente dizer, restam dúvidas!
      Teria este cidadão pretendido realmente ser irônico. ou ao escrever entre parênteses , intelectual que esta sumindo , teria pretendido dizer que intectuais deste naipe estão tornando-se raros?
      A intenção era ser irônico ou cômico?
      A pergunta cabe, pois no mesmo texto são citados Nelson Rodrigues e Anita, sem nenhum recurso de linguagem que identifique se é a sério ou um chiste.
      De qualquer modo o texto foi infeliz, pois não comunicou de forma absolutamente transparente o que teria pretendido dizer, se queria fazer piada, e se somos - alguns de nós-. beócios irrecuperáveis, ou tem restrições ao uso do termo “sumidade”, usando-o quando queria dizer exatamente o contrário.
      Enfim só saberemos se o autor se dignar a nos elucidar.
      Mas como na primeira crônica de seu texto do ano, deixou claro que não pretende perder tempo com este tipo de dúvida, resta cada qual de nós permanecermos na sua própria interpretação.
      Mesmo que tudo o que estava escrito, e entendido por alguns, queira dizer exatamente o que pensa o autor, mas não conhecendo de seu estilo literário, e não o conhecendo fica difícil afirmar.
      Teria pretendido ser sutil, irônico ou jocoso?
      Difícil saber!
      Pois este sim parece ser uma verdadeira sumidade!
      No que eu concordaria, após pesquisas sobre o mesmo.
      Resta saber se, como em seus títulos esta o de professor, faria a gentileza me iluminar e aceitar nossas desculpas, caso tenhamos entendido errado sua brincadeira.
      Feliz ano novo!
      Paizote

      Excluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-