terça-feira, 25 de junho de 2013

Discursos detestáveis dos articuladores do PSDB

Geraldo Almendra
Os liberais e os neoliberais não aceitam, por interesses próprios, que somente uma junta civil-militar poderá desconstruir um poder público rigorosamente tomado por corruptos, subornadores e prevaricadores.
Esses traidores que ocupam o poder público controlam majoritariamente a sociedade com o artifício da manipulação da falência educacional e cultural promovida durante a Fraude da Abertura Democrática, com o apodrecimento dos Poderes Republicanos, e com o assistencialismo das bolsas qualquer coisa, tudo com a cumplicidade ou omissão de centenas de esclarecidos canalhas, muitos desses críticos disfarçados do petismo.
Depois que o PT assumiu o poder, o desgoverno que o antecedeu, perdeu a presidência por incompetência política e lutas intestinas que colocaram o país em último plano dos seus interesses, há mais de doze anos tem seus porta-vozes, “acadêmicos” ou “conceituados” jornalistas, fazendo discursos corporativistas de suas classes ultrapassadas.

 
Ao mesmo tempo em que criticam os desgovernos petistas, não fazem absolutamente nada de relevante para evitar que o poder público continue sendo transformado em um covil de bandidos e elaboram discurso sem consequência política relevante, fecham os olhos para o enriquecimento ilícito das calhordas burguesias públicas e privadas com o roubo do dinheiro dos contribuintes, tendo como pano de fundo um status quo de uma “oposição” liberal, corajosa nas palavras, mas rigorosamente covarde e omissa nos atos e, muitas vezes, aproveitadoras das xepas da corrupção e do suborno, tipo “a oportunidade faz o corrupto e o ladrão”.
Muitos deles enquanto se fingem de críticos de um sistema político apodrecido, mas ficam à espreita, na expectativa de serem convocados para servirem ao Circo do Retirante Pinóquio para aumentar suas “rendas” e seus status políticos, sem efetivamente quererem ou terem condições de mudar o rumo do cruzeiro da desagregação social e da degeneração econômica e moral em que o país está viajando desde que o poder foi entregue aos civis.

Nenhum desses liberais ou neoliberais que perderam o bonde da coragem patriótica ousam reconhecer que a Abertura Democrática foi uma farsa, uma mentira controlada pelo Foro de São Paulo fundado por Fidel Castro e o PT (Lula) cinco anos depois da promulgação da nova Constituição.
O que está acontecendo durante os últimos vinte anos é a gradual aplicação disfarçada dos mandamentos de Lênin, entre outras inúmeras canalhices da esquerda socialista-revolucionaria sem vergonha ou corrupta, como coadjuvantes da degeneração do poder Judiciário para garantir impunidades estratégicas e da manipulação das classes menos favorecidas na direção de um projeto de poder ditatorial de uma esquerda fascista, que acaba de sofrer uma ruptura sem volta com as manifestações contra a corrupção e o apodrecimento moral do poder público.

Nenhum desses “inteligentes” analistas econômicos, jornalistas ou políticos de merda estava à frente de qualquer parcela dos movimentos que aconteceu por iniciativas expontaneas e sem lideranças predefinidas nas recentes manifestações, sendo que todas foram anunciadas com antecedência suficiente para que líderes aparecerem para se juntar aos manifestantes.
Esse inesperado início de ruptura da sociedade com os poderes instituídos e degenerados pelo PT e seus cúmplices está assustando centenas de esclarecidos canalhas, ou apenas covardes e omissos, que se mostram agora com belos discursos alertando a sociedade sobre os riscos dos movimentos que condenam a transformação do poder público em um Covil de Bandidos.

Os discursos de quem está “do lado de cá” como bem enfatizou um desses articulistas adversários do PT, que não saem as ruas, estão recheados de interpretações mal-intencionadas e manipuladoras seguindo a linha dessa esquerda fascista que está destruindo o país: fazer a deturpação e a mentira, pela repetição, se transformar em verdades estabelecidas diante de uma sociedade manipulada pela falência educacional dos menos favorecidos, pelos estelionatos eleitorais e pela ampla, geral e quase irrestrita corrupção da política.
Alegam por exemplo que as promessas da presidenta Dilmente não resolvem o cerne das questões colocadas pelos manifestantes, sendo aprofundamentos da desgraça do país.
Somente não contaram para eles que ninguém está levando a sério a conversa mafiosa-mentirosa-fiada de um desgoverno no ocaso do projeto de poder de uma esquerda fascista, ou seja uma argumentação rigorosamente idiota feita por gente que não tem nada de idiota e que gostaria de estar nos palcos das mudanças mas não têm coragem para isso porque, na verdade, estão comprometidos com a volta ao poder daqueles que foram cúmplices da fraudes da abertura democrática e criaram um mostro genocida chamado de petismo.

Falam do plebiscito proposto pelo PT como um golpe bolivariano como se a sociedade já não tivesse absoluta consciência disso e não vai cair nesse engodo, pois uma proposta de uma nova assembleia constituinte promovida por um poder público que não merece mais qualquer respeito da sociedade não tem qualquer chance de ser aprovada.
Esses arautos das interesseiras críticas aos manifestantes deveriam é se apresentar fisicamente em reuniões para ajudarem a evitar essa desgraça mas, preferem ficar nos seus escritórios ou círculos mais próximos discursando ou elaborando estratégias de salvação através de teorias liberais ou neoliberais que, na verdade, são as maiores responsáveis pelo estado em que o país se encontra, simplesmente porque foram distorcidas por um capitalismo servil a um sistema financeiro e a empresários nacionais e internacionais que exploram o pais há décadas através de desgovernos corruptos e manipuladores dos nossos sonhos de democracia e justiça social.

Não foi o capitalismo que fez mal ao país mas sim desgovernos que adulteraram todos os seus principais princípios do livre mercado regulado por leis adequadas e eliminaram a meritocracia nas relações públicas e privadas, incentivando a inteligência da prática do ilícito e eliminado o princípio de que todos devem ter uma educação de qualidade pública e privada como fundamento maior da busca da cidadania.
Chamar as manifestações nas ruas de “revoltas-difusas sem saber exatamente o que quer”, não passa de uma intencional deturpação de um movimento que foi às ruas o resultado do esgotamento da sociedade, justamente pela covardia e falta de reação daqueles esclarecidos e bem formados que sabem o que exatamente está acontecendo no país, mas estão escondidos em um outro projeto calhorda que é a volta do PSDB ao poder, um partido que tem a responsabilidade direta de estarmos vivendo há mais de 12 anos em um regime fascista disfarçado de democracia assistencialista e corrupta.

Os manifestantes sabem exatamente o que querem: livrar o país desse covil de bandidos chamado Poder Público e acabar com a impunidade de corruptos cúmplices do PT, além de poderem utilizar serviços públicos de saúde, educação, saneamento e transporte minimamente decentes, não essas bostas que nos oferecem enquanto gastam bilhões em PAC´s mal administradas e corruptas e em competições esportivas com construções de estádios alimentadores de corrupção sem limites e depois destinados à subutilização com prejuízos irreparáveis para o país.

Dizer que os fins das manifestações são nobres, mas os meios nefastos é uma intencional deturpação com motivos inconfessáveis de esperar a queda do PT ou o tempo necessário para que o PSDB volte ao poder colocando todos esses articulistas no poder público servindo a um novo desgoverno. Será a troca de um poder sórdido pelos ovos da serpente que o gerou.

Os esclarecidos canalhas ou não canalhas, que detêm o poder paralelo ao poder público, através de suas burguesias e oligarquias, após o Regime Militar, sempre adotaram as bandeiras da omissão-cúmplice como uma forma de aproveitar, em benefício próprio, muitas vezes através do enriquecimento ilícito a desagregação social e a degeneração moral das relações públicas-privadas, pois os maiores corruptores são exatamente aqueles que estão exercendo atividades fora do poder público.
Para criticar as manifestações falam que lutam dentro das regras do jogo e dentro do regime democrático - regras do jogo da corrupção e da prevaricação -, e dentro de um regime democrático, na verdade um regime fraldado pela incontrolável degeneração moral do país diante de sucessivos estelionatos eleitorais.

Dizem também que respeitam as principais instituições republicanas. Que instituições são essas? Será que estão falando dos podres poderes da República com um Poder Executivo fascista que subornou descaradamente o Parlamento? Ou de um Poder Judiciário degenerado por togados a serviço do PT que permitem grosseiras impunidades e remunerações inaceitáveis para togados, além da venda de sentenças com a ajuda de um sórdido submundo de trâmites na justiça?
Lamento prezados articulistas do PSDB mas isso não são poderes republicanos dignos de respeito, mas sim agentes hediondos de uma máfia da prostituição da política chefiada por um partido político sórdido e seus cúmplices nacionais e multinacionais.

Enfim as palavras críticas contundentes dos articuladores de um poder alternativo que substitua o PT que estão sendo divulgadas na internet, contra as manifestações dos cidadãos com suas demandas sociais, não passam de uma intencional e sórdida tentativa de desestimular as manifestações e continuar apostando na substituição do PT pelo PSDB nas urnas apodrecidas pelo servilismo assistencialista alternativo e na desgraça do irmão político muito parecido, enquanto mais de 50000 cidadãos são assassinados todos os anos pela falência do poder público transformado em um covil de bandidos.

Diante da degeneração moral do poder público com seus milhares de funcionários efetivos e contratados reféns de uma estrutura burocrática corporativista, corrupta e prevaricadora, mudar o poder sem uma intervenção de uma junta civil-militar para definir novos rumos para país, é somente trocar os atores de uma tragédia social, mas mantendo os mesmos princípios de exploração e extorsão da sociedade por um capitalismo de estado fantasiado de privado que enriquece cada vez mais menos de 10% da sociedade e empobrece o resto, fazendo de palhaços os que trabalham mais de cinco meses por ano para sustentar seus algozes de um sistema político absolutamente apodrecido que somente uma junta civil-militar poderá desconstruir em um novo projeto para o país.

É lamentável que os articulistas do PSDB não tenham aprendido nada com os graves erros políticos, econômicos e sociais que esse partido e seus antecessores cometeram durante suas gestões dando como resultado monstros, o PT e sua base aliada.
Título e Texto: Geraldo Almendra, 25-06-2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-