quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Predadores sexuais

João Pereira Coutinho

NÃO É TODOS OS DIAS que encontramos um ator de Hollywood a pensar com clareza. Mas aconteceu. Matt Damon, sobre os escândalos sexuais que abalam a indústria, disse duas coisas que merecem aplauso.

A primeira é que nem todos os homens são predadores sexuais por definição, uma ideia óbvia que tem sido esquecida nas fogueiras recentes. Houve condutas reprováveis ou mesmo criminosas?

Sem dúvida. Mas os espíritos mais radicais gostam de vulgarizar a seguinte ideia: onde há macho, há abuso. O raciocínio parece-me tão sinistro como a afirmação inversa: onde há fêmea, há uma oportunidade.

Mas Matt Damon foi mais longe ao afirmar que, de hoje em diante acordos de confidencialidade devem ser enterrados. Antigamente, quando alguém acusava um produtor ou ator de comportamento impróprio, os grandes estúdios (ou os próprios acusados) tentavam chegar a acordo, mesmo que a denúncia fosse fantasiosa. O cálculo era simples: entre o dano potencial a um filme (e a uma carreira) ou uma espécie de "indemnização" para parar a chantagem, a segunda opção era mais rápida e barata.

Matt Damon defende, com razão, que as acusações não devem ser tratadas na confidencialidade. E acrescentou: quem acusa falsamente, deve ser processado por difamação. Essa, aliás, é a única coisa que espanta no rol de acusados: se muitos se dizem inocentes, por que motivo não respondem com os tribunais? A passividade das criaturas legitima todas as suspeitas sobre elas.

Infelizmente, Matt Damon não levou até ao fim o seu saudável raciocínio para condenar produtores ou realizadores que afastam atores simplesmente porque estes foram acusados na praça pública. Um tal gesto de cobardia não é apenas um insulto à presunção de inocência. É um princípio perigoso que se volta facilmente contra qualquer um.

Se a primeira reação da indústria é despedir quem é suspeito de ter lepra, existe sempre o risco de Hollywood inteiro se transformar numa colônia de leprosos.
Título e Texto: João Pereira Coutinho, SÁBADO, nº 712, de 21 a 27 de dezembro de 2017

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-