domingo, 20 de setembro de 2015

Deputado petista diz que “vai ter sangue” em caso de impeachment

Luciano Henrique

Que os socialistas não se furtam em praticar violência na luta pelo poder é até um truísmo. É desse grupo que sai a maior contagem de mortos da história nos genocídios do Cambodja, da Rússia, da Alemanha Nazista, da China e da Coréia do Norte. Recentemente, a polícia de Nicolas Maduro matou cerca de 40 pessoas durante manifestações.

Ainda em fase inicial do projeto totalitário, o deputado petista João Daniel [foto] afirmou ontem na Câmara a seguinte escrotidão:

Não se enganem! Esse impeachment terá cor de sangue, porque as ruas dirão que a classe trabalhadora não se renderá, não se curvará e não baixará a cabeça.

A sequência lógica é clara: as expressões “não se render”, “não se curvar” e “não baixar a cabeça” significam derramar sangue. A ameaça de violência é mais clara do que a neve.

Resta saber se isto ficará barato. E o que deve ser esfregado na fuça deste sujeitinho é a Constituição. Se Dilma sofrer impeachment, assim como ocorreu com Collor, qualquer ameaça de violência também será um crime.

Enfim, cada vez mais eles nos mostram que sua sede de sangue é similar ao seu desejo pelas mamatas estatais.
Título, Imagem e Texto: Luciano Henrique, 19-9-2015

Relacionados:

Um comentário:

  1. Heitor Rudolfo Volkart20 de setembro de 2015 15:55

    Pois bem, que tenha, a lei está aí. O Estado (polícia, exército) tem o dever de proteger os cidadãos. Não temos medo de ameaças. A Constituição, existe para ser cumprida. Abraços.

    Heitor Rudolfo Volkart

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-