domingo, 29 de novembro de 2015

Veto mantido... Massacre prorrogado...

Almir Papalardo

Os aposentados continuarão penando com  o  mal chamado  discriminação,  sem  nenhuma  chance de  escapatória, confirmado com a recente votação plenária do Congresso, quando esteve  em jogo  o fim da excrescência, ou seja, a preconceituosa obstrução para alguns aposentados de também receberem o mesmo índice de correção dado ao salário mínimo. Veto mantido, massacre, por isso prorrogado!

Refiro-me à votação do dia 18 do mês corrente – Análise dos Vetos -, quando foi mantido incompreensivelmente, entre outros, o veto da presidente Dilma! Depois de muita luta, de acirradas discussões entre situacionistas e oposicionistas, tinha sido aprovado a extensão do mesmo reajuste real do salário mínimo também para os segurados que recebiam acima do piso.

A presidente Dilma mostrando-se insensível, intransigente e confirmando a sua já costumeira má vontade política contra aposentados do RGPS, vetou perversamente aquela Emenda aprovada, infelizmente, confirmada agora com a manutenção do veto! Dilma conseguiu manter a sua nefasta e inglória “Vitória de Pirro”.  

Não se pode considerar de todo anormal a manutenção daquele veto, mesmo contradizendo a vontade dos parlamentares por ocasião da votação da matéria, por vícios, injustiças e muitos equívocos burocráticos existentes na cartilha legislativa.

Por que afirmo isso? Os parlamentares que votaram pela derrubada do injusto veto, totalizaram o cômputo de 211 votos, contra 160 dos que se mantiveram dependentes do governo. Foram, portanto, a maioria, da mesma forma como foram, é lógico, a maioria na votação anterior. Até aí mantida a coerência, a normalidade! No sentido moral, venceram de novo os aposentados, que na verdade, não levaram! A "burrocracia" impediu... 

Com vícios e legislação equivocada, seriam necessários para derrubar o veto, um total de 257 votos! Seria 57% do total de congressistas? Com essa exigência estapafúrdia, obriga-se a um "Quorum" máximo de parlamentares, medida que tem servido de cambalaçho para parlamentares que participam da discussão mas não registram presença na Mesa Diretora! Com falha de interpretação, com um Poder Legislativo constituído por “Quantidade e não Qualidade”, ficaram prejudicados mais de nove milhões de aposentados.

Estes, coitados, esperam já há dezoito anos por justiça e transparência, ou seja, que os artigos da Constituição e do Estatuto do Idoso que resguardavam as aposentadorias de desleais defasagens, voltem a ficar vigentes, prerrogativa anulada com a implementação insana de dois percentuais diferentes na atualização dos benefícios previdenciários...

Estas coisas estranhas e misteriosas só acontecem mesmo na política brasileira... (?!) 
Título e Texto: Almir Papalardo, 28-11-2015

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-