quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Wilson Witzel: a síntese do político abandonado

Processo do ‘impeachment’ é caminho praticamente sem volta após decisão da Alerj 

Silvio Navarro 

Wilson Witzel (PSC), já quase ex-governador do Rio de Janeiro, é o símbolo de um político abandonado. Desconhecido pelo eleitorado fluminense até a campanha de 2018, elegeu-se nas costas da popularidade do presidente Jair Bolsonaro como um nome que salvaria o Estado de um pesadelo sem fim: seus antecessores, além de uma dúzia de políticos, acabaram encarcerados. Mas Witzel decidiu entrar em rota de colisão com o presidente, cuja popularidade cresceu durante a pandemia do coronavírus. 

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Foi na pandemia, aliás, que o governador foi acusado pelo Ministério Público de crime de responsabilidade por esquemas de desvios na área de saúde. Poucas ilicitudes são tão bem assimiladas pelos cidadãos que pagam altos impostos e sofrem com o desemprego como assaltar hospitais ou roubar merenda escolar, por exemplo. 

É fato que uma Casa Legislativa presidida por André Ceciliano (PT) não pode ser séria. Mas os 69 votos a 0 pela continuidade do processo de impeachment indicam um caminho praticamente irreversível. Afastado por 180 dias, Witzel tem como próximo passo enfrentar uma comissão mista, composta dos mesmos deputados que o encaminharam para fora do Palácio Guanabara e desembargadores do Tribunal de Justiça — serão dez votos decisivos. 

Isolado politicamente, restou a ele recorrer a um discurso até conhecido — um ex-presidente presidiário já usou esse artifício — ao se comparar a Tiradentes e Jesus. A mudança que o eleitor fluminense tanto esperava não veio. Aliás, por falar em traídos e traidores, é o eleitor do Estado quem deve sentir na pele o peso da injustiça cada vez que vai às urnas. 

Título e Texto: Silvio Navarro, revista Oeste, 23-9-2020, 22h13 

Relacionados:
Alerj aprova impeachment de Wilson Witzel por unanimidade
Votação do impeachment de Witzel tem início nesta quarta-feira
Comissão da Alerj vota a favor da continuidade do impeachment de Wilson Witzel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-