quinta-feira, 27 de junho de 2013

TOLERÂNCIA ZERO!

José Manuel
NINGUÉM MUDA!  As pessoas simplesmente se adaptam a circunstâncias do momento e estamos neste momento presenciando exatamente isto, por parte do governo federal.
Esta verdade é incontestável e é por isto que  temos que ir para as ruas, neste 1º de julho mostrar que estamos insatisfeitos e queremos todos  FORA!


Nós, vítimas do AERUS, colocamos fácil, 20.000 pessoas nas ruas. É só pensar em nossa progressão geométrica familiar e esquecer que somos unidade.
Não precisamos de grandes faixas. Precisamos  de milhares de pessoas com pequenos cartazes. Não precisamos de carros de som. NÓS FAZEMOS O BARULHO.
Queremos tolerância zero com a Justiça que sem fazer justiça, está nos colocando nos hospitais – chiqueiros, construídos por aqueles que queremos FORA. Não queremos mais esta imoralidade.
Ao ir para as ruas vamos mostrar que temos força para berrar e dizer ao Dr. Joaquim Barbosa que estamos atentos à sua demora em nos informar as suas resoluções e que entendemos isso como um atentado à nossa cidadania. 


Não é possível  estarmos no limiar do 365º dia após ter ganho uma sentença, e não termos uma resposta sequer da Suprema Corte. Isto porque somos idosos, estarmos em estado falimentar, com as nossas forças se exaurindo e o Judiciário simplesmente ignorando nossos apelos.
Que democracia é esta, que deixa os seus cidadãos à míngua e sem respostas?


Vamos demonstrar a todos aqueles do judiciário, que vem consecutivamente, clara e deliberadamente nos prejudicando há sete anos, que não vamos esquecer os seus nomes. 
O Brasil não precisa de gente dessa extirpe, gente que compactua com atos de  puro vandalismo governista contra cidadãos idosos e indefesos.
Estamos atentos aos seus salários vultosos, seus patrimônios assustadores, sua falta de comprometimento em defender os oprimidos, os idosos, os indefesos em favor de  ações lesivas, estas sim, ao patrimônio público.
Não vamos mais tolerar isto.
Este é o momento que temos para esquecer, "facções", "grupos" ou seja lá o que chamarem, porque sofrimento nunca teve ideologia.
Sofrimento prolongado tem fome, doença, loucura, desespero e acaba nos jogando na mesma sarjeta daqueles que nos vilipendiam.
A hora é esta porque nunca tivemos uma oportunidade igual, porque a sociedade está mobilizada contra o mal que nos assola e a hora de darmos a resposta a tudo isso que aí está, é agora.
Que ninguém esqueça que se os deixarmos lá, apenas vão se readaptar e continuarão a nos ludibriar  de outras formas mais sutis, talvez, mas continuadamente danosa.
Não fiquem em casa aguardando, porque estamos a horas do recesso forense e nada acontece há seis meses desde que  a SL-127 chegou ao Supremo. Corremos sério risco de mais um Natal chegar e continuarmos na mesma situação, indefinidamente.
O nosso grito nas ruas terá que ser ouvido, porque agora temos o motor da insatisfação popular nos impulsionando.
Vamos mostrar que estamos vivos e a cada dia que passa a nossa intolerância é cada vez mais                          ZERO

Título e Texto (Formatação): José Manuel, ex-tripulante Varig, 67 anos, 50 de trabalho


2 comentários:

  1. Coloque as placas na frente da moça.Senão só se olha para ela.É só um elogio tá marido rs rs.Rosivan Soares de Souza

    ResponderExcluir
  2. Daqui de longe, estou na torcida para que o povo continue FIRME e FORTE nesta luta!!!!
    Acho que desta vez é para valer, estou finalmente acreditando que o povo ACORDOU!!!!!
    Que DEUS nos ajude e nos de forças para acabar com com esta bandalheira que se tornou nosso governo, e que o Brasil fique liberto para reiniciar um novo tempo!
    Ilca Eras

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-