quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

O vídeo desmonta a vigarice protagonizada por Barroso para barrar o impeachment

Augusto Nunes

Sempre caprichando na pose de quem recitava de fraldas artigos e incisos da Constituição, o ministro Luís Roberto Barroso resolveu mostrar, na sessão em que o Supremo Tribunal Federal embaralhou o processo de impeachment, que usa as horas livres do recesso para decorar normas que regulamentam as atividades dos demais Poderes. Conseguiu apenas confirmar que, para impedir o desmoronamento da argumentação mambembe, é capaz de sonegar informações essenciais e mentir publicamente.

─ Alguém poderia imaginar que o Regimento Interno da Câmara pudesse prever alguma hipótese de votação secreta legítima ─ concede o doutor em tudo na abertura do vídeo de 1min57. ─ Eu vou ao Regimento Interno da Câmara dos Deputados e quando vejo os dispositivos que tratam da formação de comissões, permanentes ou temporárias, nenhum deles menciona a possibilidade de votação secreta.

─ Vossa Excelência me permite? ─ ouve-se o cerimonioso aparte de Teori Zavascki.

─ Pois não ─ autoriza o professor de impeachment.

─ Salvo engano meu, há um dispositivo, sim, do Regimento Interno, artigo 188, inciso III ─ prossegue Teori. ─ Diz que a votação por escrutínio secreto far-se-á para eleição do presidente e demais membros da Mesa Diretora, do presidente e vice-presidente de comissões permanentes e temporárias, dos membros da Câmara que irão compor a comissão representativa…

Teori faz uma pausa para virar a página. Barroso, que acompanha a leitura que está terminando, tenta interrompê-la:

─ Sim, mas olha aqui…

─ … e dos cidadãos que irão integrar o Conselho… ─ continua Teori.

As sobrancelhas simetricamente arqueadas e os cílios enfileirados realçam o sobressalto de Barroso com a aproximação do perigo. Então, confisca a palavra e recomeça a leitura do inciso III, cuja íntegra aparece na no vídeo do Portal Vox que escancara a pilantragem togada: para esconder a fraude, o juiz esperto amputa as quatro palavras finais do texto: E NAS DEMAIS ELEIÇÕES.


Animado com a rendição balbuciada pelo confuso Teori, Barroso declama outra falácia:

─ Considero portanto que o voto secreto foi instituído por uma deliberação unipessoal e discricionária do presidente da Câmara no meio do jogo.

Conversa fiada. O Brasil decente é que considera uma infâmia o que Barroso fez para ganhar o jogo. O trecho do Regimento Interno foi guilhotinado por uma deliberação pessoal e discricionária de um servidor público que é pago pelo povo para defender a lei. Coisa de vigarista.
Título e Texto: Augusto Nunes, VEJA, 22-12-2015


Relacionados:

2 comentários:

  1. A cena burlesca acontecida no stf, protagonizada por "ministros" bolivarianos, deve dar consciência ao Povo do Brasil, que realmente existem eles (quem está no Poder federal - executivo, legislativo e judiciário) e nós (o resto da população), e que portanto a nossa única força é a FORÇA DAS RUAS, DAS MANIFESTAÇÕES PÚBLICAS.
    Os grandes comerciantes e industriais e prestadores de serviços, sempre dão um jeito de repassar os impostos e demais despesas para os consumidores.
    Ulysses Guimarães dizia "Político só tem medo de povo nas ruas."
    Estão ao lado do povo os movimentos que estão organizando as manifestações em todo o país, podendo se esperar pouco, muito pouco dos partidos de oposição, cada qual por suas conveniências políticas ou medo .......
    Os prejudicados pelos governos da Dillma e do PT é a população que paga impostos, sobretudo os mais humildes, sem estudos, e que não conseguem enxergar os males que esses governos lhes causaram e continuam a causar.
    A população esclarecida tem de mostrar o rosto nas manifestações, ainda que seja para substituir essas pessoas que não têm a claridade da situação, e, por consequência, não reagem.
    Vamos falar de parte dos males causados pelos governos Dillma e PT. Em face da ousadíssima corrupção na Petrobrás, BNDES, etc. falta dinheiro para a Saúde Pública (vide atualmente o estado do Rio de Janeiro), a falta de larvicidas para atacar o "aedes aegypti", o sucateamento da SUCEN (superintendência de combate às endemias).
    Os Estados do nordeste informam ao Min. da Saúde que o estoque de larvicidas estão zerados e não recebem sequer resposta. E as crianças nascem com microcefalia.
    O nível de ensino público no país é um dos piores do mundo, a toda evidência de propósito; e a juventude brasileira tem oportunidades equiparadas aos jovens de nações africanas e de países pobres e em estado de guerra.
    Temos ainda desemprego, redução de direitos, aumento de impostos, aumento de produtos alimentícios básicos, etc.
    A presidenta foi eleita para governar com base nas Leis e na Constituição Federal, mas desrespeita a C.F., desobedece a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Lei nº 1.076/50, e o supremo tribunal federal (letras minúsculas de propósito) se une a ela, por interesses puramente políticos e pessoais, e RECUSAM-SE A VIVER NO ESTADO DE DIREITO.
    TREZE DE MARÇO DE 2016 É O DIA DO POVO BRASILEIRO NAS RUAS DE TODO O PAÍS.
    E se o senado vier a agendar a votação das contas de 2014 da Dillma, antes dessa data, a população terá de antecipar a manifestação mencionada.
    ANTONIO AUGUSTO.

    ResponderExcluir
  2. Prezados Augusto Nunes e Antônio Augusto,
    Como mero e simples cidadão, estou preocupado, penso que o Impeachment não será instaurado, nem na Câmara, muito menos no Senado.
    Também acho que será necessário revisar esta data de 13 de março.
    Que vergonha! E eu estava depositando as esperanças no STF, vejam, se o Fachin tivesse feito desta forma, iria ficar muito explícito, então ele fez de conta, e os restantes, que são mais de cinco, puderam encenar e arquitetar a derrubada do Impeachment, que Teatro!! Que falta de Vergonha!!
    Volkart

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-