sábado, 19 de dezembro de 2015

Três elementos na adversidade, três reações diferentes

Antônio Coletto
Esta História é uma bela lição de vida. É conhecida de muita gente. Sem apropriar-me de sua autoria, que desconheço, adapto-a e a conto. Assim, como quem conta um conto, eu aumento um ponto.

Postos em recipientes diferentes com água, e chegando esta à ebulição, a Cenoura ficou mole, macia, enfraqueceu. O Ovo, embora com a casca dura, mas frágil, internamente endureceu, tornou-se rígido. O Café mudou a cor da água e exalou aroma delicioso e inconfundível.

Os três, em situações adversas - a água fervendo - tiveram reações diferentes:

A Cenoura era forte, firme e inflexível. Submetida à água fervente, amoleceu e ficou frágil, tornou-se flexível, enfraqueceu. Para ser saboreada passou a depender de bom tempero.

O Ovo era frágil. A casca fina e delicada protegia o seu interior. Submetido à adversidade da água fervendo, ficou rígido. Quebrado o invólucro, estava cozido, enrijeceu e perdeu o poder de reprodução. Pode ser saboreado, mas para realçar seu sabor depende de ingrediente indispensável, o sal.

O Café, ao contrário da Cenoura e do Ovo, com perspicácia e utilizando-se de seus próprios atributos e do ambiente a que foi submetido, aproveitou o elemento adverso - a água fervente -, e deu-lhe nova cor, novo sabor e um delicioso aroma.


Cada um reagiu de forma diferente. Apenas UM usou da adversidade e modificou o ambiente hostil a que foi submetido: o Café.

Quando a adversidade, esperada ou não, bate à porta, submete-se ou reage-se! Como a cenoura?, Como o ovo?. Ou procede-se como o café: faz da adversidade uma ferramenta útil e, com sabedoria e inteligência, transforma o ambiente desfavorável e o faz trabalhar em seu favor, expulsando o obscuro, o trágico, transpondo os obstáculos, derrubando muros, galgando encostas, abrindo novos caminhos, elevando-se a outro nível!?. - Pense nisso!

Meu irmão, Meu amigo,

Nestes possessivos (meu, meu) expresso o carinho e o afeto que tenho por você e seus familiares, e a confiança de que sejam ALEGRES o suficiente para mostrar a DOÇURA; tenham OBSTÁCULOS suficientes para lhes prover da INDISPENSÁVEL FORÇA;  

TRISTEZA suficiente para mantê-los HUMANOS;  e a mesma ESPERANÇA – aquela do verbo esperançar - que me fortalece a cada instante, também o suficiente, para fazê-los FELIZES neste FINAL DE ANO, no vindouro 2.016 e em todos os dias de suas vidas.

Que todos nós possamos ser como o Café e levarmos a todos o melhor aroma, o melhor sabor, a melhor felicidade, o melhor êxito na vida e o melhor de tudo que é bom para todos.

Eu e minha família assim PEDIMOS a DEUS, assim DESEJAMOS
Título e Texto: Antônio Coletto, Uberlândia, 19 de Dezembro de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-