sábado, 25 de outubro de 2014

Os estúpidos acham que é culpa da Europa que tantos ambicionem viver nela

Foto: José Palazon

José Mendonça da Cruz
Aqui está a última fotografia a suscitar os ai-ais idiotas, os tremores invertebrados, as indignações dos palermas do politicamente correcto do costume. Mostra candidatos à emigração ilegal empoleirados na vedação de um campo de golf de Melilla, enquanto no lado espanhol se joga golfe.

Na FranceTV, canal internacional, um imbecil (a imbecilidade é o novo mainstream) sentenciou mesmo que a foto «põe em questão toda a política de imigração europeia». Mas o imbecil apenas fez o que lhe compete: não raciocinou, optou pelo lugar-comum e a demagogia, e fez a declaração auto-punitiva que lhe pareceu mais progressista. Em resumo, foi imbecil e disse uma imbecilidade.

É que o que fica posto em questão por esta foto não é, evidentemente, a política europeia de imigração. O que fica posto em questão é, muito claramente, a política do país de origem dos empoleirados. E o que fica muitíssimo em relevo é a qualidade de vida na Europa, e como ela atrai desgraçados fartos de desgovernos (dos países deles) e em busca de melhor presente e futuro.

Estúpidos, imbecis, politicamente correctos e relativistas (tudo sinónimos, na verdade) continuarão, é claro, a rosnar que a culpa é sempre nossa. Estúpidos, imbecis, politicamente correctos e relativistas só ficariam contentes quando a civilização ocidental e cristã, que os desgraçados invejam – e pela qual correm risco de vida ou fazem figuras desesperadas – tivesse vergonha de si mesma. 
Título e Texto: José Mendonça da Cruz, “Corta-fitas”, 24-10-2014
Grifos: JP

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Macroscópio – Discórdia para o jantar, com vinho alentejano e cerveja belga


José Manuel Fernandes
Foi o último Conselho Europeu de Durão Barroso como presidente da Comissão, e também o último de Van Rompuy como presidente do Conselho. Por isso houve vinho alentejano e cerveja belga para o jantar. Não houve foi muita concórdia entre os líderes.

O primeiro tema da cimeira era a política energética e climática e Portugal entrou a bater o pé: não subscreveria qualquer acordo se não fosse também aprovada uma política de interligações que permitisse à Península Ibérica deixar de ser uma ilha, quase isolada que ainda está das redes europeias de energia. O problema era a França, que sempre resistiu a aumentar o número de linhas que cruzam os Pirinéus. Madrugada alta Portugal pode cantar vitória: como se sintetizou aqui no Observador, Passos Coelho bateu o pé no Conselho Europeu e Portugal vai estar mais ligado à rede energética europeia. A mesma leitura foi feita pelo Financial Times, que contou como Portugal, mesmo sem contar com um apoio mais forte de Espanha, conseguiu os seus objectivos:

The emergence of Portugal as a major stumbling block took many by surprise. Going into the summit, Spain complained bitterly about France’s reticence to building new power lines over the Pyrenees to allow export of its surplus wind power. But Mariano Rajoy, Spanish prime minister, dropped out of the talks, leaving Portugal’s Pedro Passos Coelho to battle for the Iberians.
Ultimately, Portugal and Spain won their battle to ensure that 
Europe’s electrical grids should be better connected. The EU said that countries should be able to export 15 per cent of their generational capacity by 2030. This process would be closely monitored to ensure that France would open its border to transmission lines from Iberia.

O El Pais também relatou essa batalha nocturna, sublinhando as vantagens que o acordo pode ter para Espanha (supõe-se que para Portugal não serão muito diferentes): “La falta de conexiones a través de los Pirineos ha alimentado durante años una batalla política con París, que finalmente acepta que esa frontera vaya siendo más permeable. El aislamiento geográfico de España obliga a tener en marcha un dispositivo permanente muy costoso para evitar los apagones: “Ese sistema encarece un 5% la producción de energía”, según fuentes españolas.

Mais tarde, na habitual conferência de imprensa, Pedro Passos Coelho mostrar-se-ia “confiante de que o reforço das interligações de Portugal e Espanha com as redes elétricas europeias vai permitir aumentar as exportações nacionais de energia e atrair mais investimento”. Já no Expresso diário, José Gomes Ferreira (link para assinantes) trataria de explicar, à sua maneira, porque estava tão satisfeito o primeiro ministro. A ler.

A calúnia como arma de destruição


Carlos José Marques

Foram dias de massacre de reputações sem precedentes.

Para se manter no poder, os articuladores da candidata Dilma Rousseff adotaram o que chamaram de estratégia de desconstrução do adversário cuja essência era um bombardeio de mentiras e calúnias, transformando essa na mais torpe eleição dos últimos tempos.

Nas peças de campanha e nas palavras dos principais arautos petistas, liderados pelo ex-presidente Lula, o oponente de Dilma, Aécio Neves, foi classificado de nazista, que agride mulheres, não gosta de trabalhar, tem problemas com bebida e, para completar, iria desempregar os brasileiros e acabar com o programa “Bolsa Família”.

SEM LIMITES – Com propósitos eleitorais, a dupla Dilma e Lula tem espalhado acusações sem qualquer fundamento contra o adversário, Aécio Neves, em comícios pelo País

Qualquer um que avaliasse mais detidamente a tática oficial, que despejou milhões em campanha, poderia perceber a inconsistência de tamanha artilharia de insultos e ilações – e o intuito por trás dela. Nada ficaria de pé nesse carnaval de difamações. Mas o seu martelar incessante nas propagandas de TV, nas mídias digitais e nos palanques Brasil afora foi inebriando massas, tentando convencê-las de uma falsa luta do bem contra o mal, de “nós contra eles”.

Faltou lucidez e a esperança de parte da população foi embalada por quem controla a máquina numa caixa de promessas vazias.

Nas ruas a militância partidária, incessante no seu afã de caluniar, distribuía panfletos apócrifos com teores terroristas, falando da ameaça que viria de uma vitória da oposição.


Era o apogeu de um plano covarde que se repetia depois da destruição implacável imposta à ambientalista Marina Silva, chamada até de homofóbica e acusada de assassinato de um manifestante gay por parte de seus seguranças, segundo ela mesma informou em entrevista ao jornal britânico Financial Times.

US$ 2.387 bilhões

José Manuel
Esse é o valor dos gastos dos brasileiros no exterior no mês de setembro de 2014, segundo fontes oficiais.

Brasileiros gastaram 11,1% a mais em setembro deste ano em relação ao ano passado. Foto: Kena Betancur/Getty Images/AFP/VEJA

Traduzindo para os nossos Reais, fica em algo como R$ 5 bilhões e 976 milhões, ou dependendo da flutuação do dólar, quase Seis bilhões de Reais.
A cada divulgação destes fatos, volto aqui a escrever porque algo  "não bate", ou então tenho que reformular todos os meus pensamentos econômicos desde os mais primitivos, tais como administrar financeiramente a minha casa, ou a minha vida privada.

Eu vejo, como microempresário, o que acontece neste momento no entorno comercial da minha loja, com lojas fechando a toda a hora e empresas se desmantelando por não ter condições de honrar os seus compromissos nos prazos estipulados.
Há uma projeção em que 50% das microempresas no país estão inadimplentes.

Quando vou mais  longe, em cafés da manhã empresariais, nas câmaras de comércio, ou em federações, o mesmo reclamo e desta vez por empresas de maior porte.

Os nossos fornecedores hoje nos oferecem condições inimagináveis há seis anos, com ofertas que vão do início de pagamento em fevereiro e prazos de até de 180 dias para pagar.
O que está havendo? 

O dólar hoje, 24-10-2014, está cotado R$ 2,46, e as despesas dos brasileiros no exterior continuam subindo?

É preciso urgente saber como isto está acontecendo e porquê. Não há dinheiro no mercado interno, o povo está restringindo as compras e sabe-se que até em produtos de primeira necessidade, mas os gastos no exterior estão subindo?!

O Kumbaya da treta

Vitor Cunha

Portugal não mudou. Empobreceu, continuará a estar exangue enquanto não renegociar esta dívida brutal com um serviço da dívida impossível de pagar com este crescimento. A questão é política. É social. É de visão estratégica. Mas, sobretudo, é moral. É, tristemente, uma questão moral.

Em primeiro lugar, se o pagamento da dívida é uma questão moral, publique o ensaio metafísico no Eva de Natal, não num jornal de negócios.

Em segundo lugar, relembro a pessoas que escrevem em jornais de negócios, neste caso o Fernando Sobral – que de negócios demonstra perceber tanto como a Virgem Maria percebia de canoagem –, que a dívida é renegociada todos os dias: umas vezes adquirindo dívida com juros mais vantajosos para amortizar dívida mais onerosa mas, sobretudo, e isso sim, sempre diariamente, demonstrando que o país tem capacidade para ser levado mais a sério do que um leitão faminto a sugar na teta da permanente auto-comiseração. Já nem se trata de tentar vender ilusões, Fernando, trata-se de insistir na miserável lata de tratar os leitores de um – sublinho – jornal de negócios como meros imbecis; e isso, Fernando, isso também é renegociar a dívida, mesmo que no sentido contrário do que pretende. 
Título e Texto: Vitor Cunha, Blasfémias, 24-10-2014

O Senhor Fernando Sobral, como muitos outros – Pedro Lains, Pedro Adão e Silva, Paulo Trigo Pereira, Pedro Santos Guerreiro... fiquemos por estes pedros... é do Contra. Contra tudo o que este governo faz, fez, deixou de fazer ou pensa fazer...

Um único tiro é suficiente!


O ‘day after’ da Globo


José Manuel
As organizações Globo têm no dia de hoje, véspera de eleição, 24-10-2014, uma ótima oportunidade de escolherem através da organização de um debate honesto e imparcial, em que não permitam as baixarias proporcionadas pelo PT nos debates anteriores, ou deixar de serem a potência que ainda ostentam.

O ataque feroz do "chefe" da gerenta aos jornalistas William Bonner e Míriam Leitão, da Globo, esta semana no comício público em São Paulo, deveria ter uma resposta eficaz por parte da emissora, colocando exatamente a Míriam fazendo par com o William para intermediar um debate inteligente, que em sendo assim certamente será ganho pelo Aécio.

A oportunidade a que me refiro é a de continuar como emissora líder em audiência e um grande grupo jornalístico, ou ceder a vaga a um outro grupo, que a continuar a governabilidade PT, estará certamente se candidatando a um canal de televisão, porque já detém o canal virtual UOL, a Folha de São Paulo e o Data Folha.
Me refiro ao grupo Folha de São Paulo.

Já de algum tempo venho percebendo a imensa tendencia à veiculação de um noticiário contrário ao candidato Aécio Neves, por este grupo jornalístico, que pessoalmente frequentava por considerá-lo imparcial como deve ser uma imprensa moderna e honesta.
A página do Uol só não mudou as suas cores para o vermelho, porque de resto, fez de tudo para minimizar a candidatura PSDB.

Os resultados das pesquisas do Datafolha seguem no mesmo sentido e os do primeiro turno estão aíi como um fracasso retumbante e altamente tendencioso.

No momento tentam desconstruir "levemente" a imagem do candidato do PSDB, com notícias que além de não serem verdadeiras, são irrelevantes ao processo eleitoral. Há neste grupo uma séria e perceptível estratégia em minimizar o candidato Aécio Neves.

[Aerus] Novos desdobramentos

Thomaz Raposo
O dia 28 de outubro é a data de esgotamento de prazo para recurso contra a Antecipação de Tutela dada à Ação Civil Pública, ação esta que pede a complementação, por parte do governo, dos valores pagos mensalmente pelo Aerus, porém, isso não significa dizer que o Governo pagará nesse dia.

As dúvidas colocadas pelo AERUS em forma de agravo, no decorrer do prazo, foram devidamente sanadas pelo Desembargador Daniel Paes, e ficou esclarecida a obrigação de pagar a todos os fundos pertinentes ao AERUS, mesmo àqueles não garantidos pela Ação da Defasagem Tarifária.

O sucesso da Ação Civil Pública com a Antecipação de Tutela gerou a criação de um projeto de Lei que, se forem cumpridos todos os prazos, poderá ser votado e aprovado em meados de novembro. O prazo, porém, poderá ser estendido, já que facilitar a nossa vida não é coisa que o governo costume fazer...

Caso entenda que o fato é apenas uma manobra para postergar o início dos pagamentos, o Desembargador Daniel Paes poderá passar a multa para R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) diários para obrigar o cumprimento.

Aguardemos, com calma, o prazo final no dia 28 de outubro, sabendo que o Aerus está com todos os dados prontos para efetuar os pagamentos, aguardando apenas o depósito do governo.
Título e Texto: Thomaz Raposo de Almeida Filho, Diretor Presidente da APRUS, 24-10-2014

Relacionados:

Os amigos são para as ocasiões

João Sousa

O presidente da Câmara da Covilhã, eleito pelo PS, achou Sócrates merecedor de uma medalha de ouro municipal. Por coincidência, na mesma cerimónia a Câmara entregou uma medalha de mérito à Universidade da Beira Interior. Por coincidência, Sócrates é membro do Conselho Geral desta universidade (na qualidade de personalidade externa). Por coincidência, esta universidade, em cujo Conselho Geral está a personalidade externa Sócrates, atribuiu no dia seguinte um doutoramento "honoris causa" a Zeinal Bava, tristemente conhecido nestes dias como um dos mais influentes carrascos da PT e, talvez, o mais fiel executante da estratégia socrática para a empresa. 
Título, Imagem e Texto: João Sousa, “nós andamos a pedi-las”, 24-10-2014

As eleições compradas

João Bosco Leal

Atualmente, o maior problema do Brasil é a corrupção. Não que ela não existisse, mas nos governos do PT ela se institucionalizou. Diariamente assistimos a divulgação de uma avalanche de denúncias de roubalheiras, superfaturamentos e verdadeiros assaltos aos cofres públicos, promovidos pela quadrilha que hoje governa o país, que instalou “companheiros” em todas as maiores empresas estatais.

No governo anterior, do mesmo PT, ocorreu a filmagem de uma entrega de dinheiro da corrupção nos Correios e, puxado o fio da meada, deu no chamado Mensalão do PT, provado, comprovado, com alguns de seus participantes julgados e condenados, mas, como de costume, de existência até hoje negada pelos líderes maiores do que hoje bem mais se parece com uma enorme quadrilha, do que com um partido político. Que inicialmente se dizia protetor da classe operária.

Gente que participou do PT desde sua fundação, agora foi condenada e presa, mas mesmo assim foram tidos como heróis pela grande maioria dos outros membros do partido que, além de não expulsá-los de seus quadros, ainda arrecadaram dinheiro para pagar as quantias a que foram condenados a indenizar o Estado.

O país sofre em todas as frentes, como na falta de estrutura rodoviária, ferroviária e fluvial para o escoamento da produção, na falta de escolas e professores, de hospitais e pronto-socorros, além de tantas outras carências sistematicamente reclamadas e divulgadas por todo o país.

Entretanto, ao invés de corrigirmos as nossas deficiências, os governos do PT preferem construir refinarias de petróleo superfaturadas por solicitação do “companheiro” Hugo Chávez, portos, aeroportos e hotéis em Cuba, a pedido dos “companheiros” Castro, entregar as refinarias de petróleo da Petrobrás na Bolívia para o “companheiro” Evo Morales e assim por diante.

Tudo isso por um projeto de poder traçado por todos eles em 1990, no Foro de São Paulo, que pretende socializar toda a América Latina. O mesmo projeto, claro, pretende perpetualizar no poder os seus líderes, como já fazem os irmãos Castro em Cuba, Evo Morales, que acaba de ser reeleito na Bolívia pela terceira vez consecutiva, pretendia fazer Hugo Chávez na Venezuela, e é o sonho de Lula e do PT.

Será que somos camaleões?

Valter Almeida
Coisas estranhas estão acontecendo esta semana aqui no Brasil. Desde a segunda-feira, dia 20-10, até hoje, sexta-feira, dia 24-10, são divulgadas diariamente várias pesquisas referentes ao segundo turno das eleições presidenciais.

Quanto às pesquisas, tudo bem, mas o que eu acho estranho é a sequência diária com que elas estão sendo feitas e divulgadas, e não é só é isso, se observarmos direitinho, até anteontem o resultado dava um empate técnico entre Dilma e o Aécio e ontem, quinta-feira, dia 23-10, as pesquisas do Datafolha e do Ibope mostram resultados semelhantes mostrando uma diferença de oito pontos em favor de Dilma, a ponto de esses institutos afirmarem que a petista ganhará a eleição.

Não vou questionar o resultado dessas pesquisas, não tenho como provar se houve algum engano ou mesmo alguma tramoia, mas posso expressar a minha opinião e dizer que não consigo entender como durante toda a semana o resultado mostrado era de um empate técnico e ontem, em menos de vinte quatro horas o resultado é uma diferença considerável em favor da Dilma e que a mesma será a vitoriosa.

A pergunta que eu faço é a seguinte: será que é possível uma mudança assim tão rápida? Existe alguma explicação? Gostaria de saber, e como ainda não tenho a resposta, eu vou fantasiar uma explicação para justificar o caso. Quem sabe, nós os brasileiros não somos camaleões que mudam de cor constantemente.

Minha consideração final é que mesmo com o resultado das pesquisas não podemos apontar um vencedor e para isso eu usaria a famosa e sábia frase do Jogador Didi campeão mundial pelo Brasil em 1958 que dizia: “Treino é treino, jogo é jogo”. Portanto, vamos aguardar o fim do jogo. 
Título e Texto: Valter Almeida, 24-10-2014

Crédito orçamentário prevê recursos para pagamento a aposentados do Aerus

Representantes do Aerus em manifestação no Plenário do Senado, em março deste ano. Foto: Pedro França/Agência Senado

Termina na próxima quarta-feira (29) o prazo para apresentação de emendas ao Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 31/2014, que abre crédito adicional especial no valor de R$ 248,2 milhões. O Ministério da Previdência Social receberá esse montante para cumprir recente sentença judicial favorável aos aposentados e pensionistas do Instituto Aerus de Seguridade Social.

A matéria, que está entre 22 créditos adicionais ao Orçamento de 2014 enviados pelo Poder Executivo na semana passada, será analisada pela Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) antes de ser votada pelo Plenário do Congresso.

Em 19 de setembro, o desembargador federal Daniel Paes Ribeiro, do Tribunal Regional da 1ª Região, proferiu sentença favorável ao Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) e à Associação dos Funcionários Aposentados e Pensionistas da Transbrasil. Assim, a União e o Aerus ficam obrigados a manter os pagamentos de complementação de aposentadorias, pensões e auxílios-doença para todos os participantes.

Mesmo a União tendo recorrido dessa decisão, terá de realizar os pagamentos, sob pena de recolher multa por atraso. A Aerus reúne aposentados e pensionistas das extintas companhias aéreas Varig, Cruzeiro e Transbrasil.
Título e Texto: Agência Senado, 23-10-2014

Relacionados:

Programa Aécio Neves – noite de 23 de outubro


No programa de hoje você vai ver como o desejo de mudança está cada vez mais forte em todos os cantos do país.

Romário, Marina, Renata Campos, Milton Gonçalves, Oscar, Lima Duarte, Zezé e Wanessa Camargo, Zico e muitas outras pessoas do bem estão com Aécio nessa caminhada por um Brasil mais ético, justo e eficiente. 

Conheça também, as propostas de Aécio para a saúde, segurança e educação. E veja a realidade sobre a Transposição do Rio São Francisco, mais um fracasso do governo petista.

Financial Times destaca "jogo sujo" da campanha petista pela reeleição

Jornal britânico cita ataques do PT contra Marina Silva e destaca declaração de Lula, que comparou candidato do PSDB a nazista
Isto É
O jornal britânico Financial Times publica reportagem nesta quinta-feira, 23, com crítica ao debate político na reta final das eleições presidenciais no Brasil. Ao citar acusações contra Marina Silva (PSB), o jornal destaca a acusação de que o Partido dos Trabalhadores (PT) usou "táticas de difamação" contra opositores.

O FT diz que a ex-ministra do Meio Ambiente acusa a campanha de Dilma Rousseff (PT) de "espalhar mentiras". Entre as acusações que teriam sido feitas contra Marina no 1º turno das eleições, estão a de que eventual governo do PSB poderia proibir videogames e que a candidata era homofóbica.

"Marina Silva acusa o PT de Dilma Rousseff de usar servidores públicos para espalhar mentiras pelas redes sociais e contatos comunitários, como o alerta de que a candidata que é evangélica iria proibir videogames", diz o texto.

Em afirmação citada pelo jornal britânico, Marina diz que "uma coisa terrível que eles (PT) disseram era que eu sou homofóbica e que uma pessoa gay tentou se aproximar de mim e meus seguranças bateram com tanta força que ele morreu". "Você não tem ideia do que essas pessoas fizeram", completou a ex-ministra.

No segundo turno, a bateria volta-se contra o candidato Aécio Neves (PSDB) e o FT cita a afirmação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que comparou o tucano a um nazista. "O tom negativo da campanha tem frustrado muitos membros da crescente classe média baixa do Brasil que estão desesperados para que os políticos debatam as questões críticas para o bem-estar, como a melhora da saúde pública, transporte e segurança", diz o jornal. 
Título, Imagem e Texto: IstoÉ, 23-10-2014

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Vamos Agir 45: Ações para sexta, sábado e domingo

Assista na sexta ao debate da Globo com amigos e familiares 
para conhecer bem as propostas de mudança do Aécio Neves.
Convide indecisos e mostre para eles que
Aécio
45 é a melhor opção para o Brasil.

No sábado é hora de irmos às ruas estampados com
as cores do Brasil para mostrarmos que queremos
Aécio Neves e uma mudança de verdade.
Vamos nos juntar e fazermos bandeiraços
por todas as praças e esquinas.

E no domingo, vamos votar em Aécio Neves 
com as cores do Brasil e o 45 no peito.
Chegou a hora de digitar
45 para construirmos
um novo país nas urnas! #MudaBrasil

 
Só o seu voto pode fazer do Brasil um país melhor
Convença mais pessoas a votar no 45!
 
 
 
Faça download dos jingles da campanha aqui: 
http://aecioneves.com.br/campanha-audio.html

 

ONG que reforçou ato pró-Dilma recebeu mais de R$ 500 milhões… do próprio governo Dilma

Só em 2014, os repasses chegaram a R$ 172,8 milhões.

Foto: Ichiro Guerra

A Articulação Semiárido Brasileiro, entidade que levou 99 ônibus a Petrolina (PE) com pessoas para participar de um comício de Dilma Rousseff recebeu R$ 587,3 milhões do governo federal nos últimos quatro anos. Em 2014, os repasses chegaram a R$ 172,8 milhões. O dinheiro refere-se a convênios firmados com a entidade pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. A ASA executa programas de construção de cisternas e irrigação no semiárido da região Nordeste e do norte de Minas Gerais.
(
O Globo, 23-10-2014

Lá como cá…

Alexandre Borges


Para a esquerda, mesmo para os seus líderes mais inspiradores, tudo quanto lhes seja diferente é inevitavelmente catalogado de fascista, antidemocrata ou nazi. Só a esquerda é democrática. Por decreto. Por dogma. Por definição. Porque sim. Porque eles dizem. Não importa o voto. Não importam as eleições. Não importam as escolhas que o povo livremente faça. O mundo é tão simples, segundo a esquerda: ou votam em nós ou são nazis. Simples. Democrático. Eu, se fosse a eles, acabava com essa brincadeira das eleições. O tempo que se ganhava. O dinheiro que se poupava e podia dar aos pobres. Isso é que era bem bonito. Bem democrata. E ai de quem pense o contrário. 
Título e Texto: Alexandre Borges, “31 da Armada”, 23-10-2014

Ao amigo gaúcho

José Gobbo Ferreira

Buenas, Amigo Gaúcho:
Das bandas de São Paulo de Piratininga, tomo a liberdade de me dirigir a ti, tranquilito, no más, usando esse belo linguajar gauchesco, nativo de tua terra. Cada uma de minhas palavras carrega sinceridade e o desejo que tu me ouças como a um irmão que tem coisas graves a te pedir.

Durante a primeira carreira na cancha das eleições para presidente, a maioria dos teus patrícios deu por vencedora uma senhora matreira que já viveu nesses pagos e que por isso pôde assuntar bem uma maneira de lograr o coração acolhedor do povo Riograndense.

É por isso que agora me achego a ti para te recordar alguns causos farroupilhas e te explicar porque tens que convencer nossos irmãos gaúchos a correr com essa vivente, que nada de bom pode trazer ao Rio Grande e ao Brasil.

Foto: Julio Cordeiro

Te convido para chalrear no galpão da estância. De trás vem o murmúrio da água da sanga brincando co’as pedras do fundo. Mal que mal, de longe nos chega o canto às vezes triste, às vezes alegre, de um xiru gaiteiro, botando a alma pra lavar nas teclas da cordeona.

Água da chaleira fervendo, fica prá ti o preparo do amargo, que sou andante teatino nesses pagos. Depois, compartilhando cuia e bomba, quero te alembrar que teus ancestrais conquistaram, ocuparam, e protegeram a amada querência do Rio Grande. Pelearam c´os Castelhanos e co´a indiada braba, aliada deles, do Viamão até a Colônia do Sacramento, do Ingahyba até as barrancas do Uruguay.

Nos miles de entreveros daqueles tempos, nem um palmo de terra das coxilhas do Rio Grande foi tomado daqueles cutubas pelos castelhanos. Só os conchavos da política conseguiram les levar a Banda Oriental.

Evaluating Ebola as a Biological Weapon

Scott Stewart

Over the past few weeks, I've had people at speaking engagements ask me if I thought the Islamic State or some other militant group is using Ebola as a biological weapon, or if such a group could do so in the future. Such questions and concerns are not surprising given the intense media hype that surrounds the disease, even though only one person has died from Ebola out of the three confirmed cases in the United States. The media hype about the threat posed by the Islamic State to the United States and the West is almost as bad. Both subjects of all this hype were combined into a tidy package on Oct. 20, when the Washington Post published an editorial by columnist Mark Thiessen in which he claimed it would be easy for a group such as the Islamic State to use Ebola in a terrorist attack. Despite Thiessen's claims, using Ebola as a biological warfare agent is much more difficult than it might appear at first blush.

The 2014 Outbreak
In the past, there have been several outbreaks of Ebola in Africa. Countries included Sudan, Uganda, the Republic of the Congo and the Democratic Republic of the Congo, and several comparatively small outbreaks occurred in Gabon as well. In most cases, people who handled or ate animals infected with the disease started the outbreaks. "Bushmeat," or portions of roasted meat from a variety of wild animals, is considered by many to be a delicacy in Africa, and in a continent where hunger is widespread, it is also a necessity for many hungry people. After several months of medical investigations, epidemiologists believe the current outbreak most likely began when a two-year-old child in Guinea touched or perhaps ate part of an infected animal such as a bat or monkey.

The source of the disease means it is highly unlikely that some malevolent actor intentionally caused the latest outbreak. Besides the fact that the current outbreak's cause has been identified as a natural one, even if a transnational militant group such as the Islamic State was able to somehow develop an Ebola weapon, it would have chosen to deploy the weapon against a far more desirable target than a small village in Guinea. We would have seen the militants use their weapon in a location such as New York, Paris or London, or against their local enemies in Syria and Iraq.

As far as intent goes, there is very little doubt that such a group would employ a biological weapon. As we noted last month when there was increased talk about the Islamic State possibly weaponizing plague for a biological attack, terrorist attacks are intended to have a psychological impact that outweighs the physical damage they cause. The Islamic State itself has a long history of conducting brutal actions to foster panic.

Solidariedade – Ato de Reparação

Carlos Lira
AÉCIO, é muito triste assistir aos ataques que estão sendo desferidos contra Vossa Excelência! São contínuos, avassaladores, cruéis e articulados por gênios do mal! Nenhum de nós é perfeito, cada um de nós possui os seus defeitos. Apesar dos nossos deslizes oriundos da mítica narrativa do pecado original registrada na bíblia, vemos, estarrecidos, uma onda de TODOS os pecados existentes imputados em vossa excelência!

É um verdadeiro absurdo, um verdadeiro massacre, uma avalanche de inverdades que, depois de tanta repetição, as pessoas menos sabedoras de vossa postura, ilustre senador, passam a duvidar de vossa integridade moral. Tudo isto, Excelência, porque a oposição está comprometida com uma quantidade infinita de escândalos, roubalheiras, assassinatos e crimes de lesa-pátria.

E muita gente não reage, não abre os olhos para estes fatos verdadeiros e repetidos, eles estão cegados por acenos tentadores travestidos de bolsa família, bolsa cegonha, bolsa desemprego, moradias e outras atrações que os valha, porque tudo é válido para se manter no poder!

São verdadeiras esmolas em lugar de criar emprego, dando o direito ao pobre comprar a própria casa, uma vida estável com assistência médica confiável e boas escolas para os filhos. Até quando estas enganações vão durar?

Um país com alto índice de desemprego, alto índice de analfabetismo, a saúde em péssima situação, o total desprezo com os idosos, as estradas federais em total abandono, as companhias aéreas falidas, a indústria naval em situação calamitosa, sem falar na PETROBRAS, as promessas não cumpridas, alto índice de violência, as forças armadas sucateadas, um país sem lei, enfim, o mais completo abandono impera em nossa Pátria Nação.

Por tudo isto, por estar um país sem ORDEM e sem PROGRESSO, está sendo uma vergonha a gente escutar na voz deste POSTE gritar nos debates que são mais de 50 milhões de pessoas assistidas por estas famigeradas bolsas! O resultado fatal: faltará dinheiro para alimentar esta multidão de desempregados! O resultado deste desgoverno está acontecendo agora, nesta hora: alto índice de inflação, o desvio de nossas divisas para socorrer os países socialistas a caminho do comunismo! Ninguém está vendo isto?

A INFELICIDADE está batendo à porta dos incautos! Outra coisa mais grave, ilustre senador: Eles tudo farão para manter o poder em suas mãos manchadas de crime! Tudo contribuiu para que esta situação chegasse a este ponto: a passividade da oposição; a OMISSÃO das religiões, principalmente da IGREJA CATÓLICA; o silêncio das forças armadas que, de tanto silenciarem, estão divididas e sem um comando confiável; a maçonaria e outras forças de expressão.