domingo, 23 de novembro de 2014

Minuto do dia – 270

PROCURE ser humilde em todas as circunstâncias.
Humildade não é dizer “sim” a tudo e a todos.
Nem é apregoar que somos humildes.
Não é agachar-se mentalmente a tudo o que os outros dizem.
Não!
Humildade é saber exatamente o que somos e o que valemos.
É conhecer-nos a nós mesmos, procurando corrigir sinceramente nossos defeitos, e não nos querendo impor aos outros.
Quem é humilde, em geral não sabe que o é.
Mas quem não é humilde é que pensa que é!

Com show da torcida, Vasco confirma seu retorno à Série A

Gigante do futebol nacional, o Vasco da Gama confirmou na tarde deste sábado (22/11) seu retorno à Série A do Brasileiro. Com 16 vitórias, 15 empates e seis derrotas, o clube de São Januário oficializou sua classificação contra o Icasa, do Ceará. Diante de um Estádio do Maracanã lotado, o cruz-maltino empatou com a equipe cearense por 1 a 1. O gol vascaíno foi anotado pelo atacante Kléber Gladiador.

O JOGO
Artilheiro vascaíno no torneio nacional, o meio-campo Douglas foi o grande maestro do Gigante da Colina no primeiro tempo. Foram dos pés dele que saíram as principais jogadas ofensivas do cruz-maltino nos primeiros 45 minutos. Necessitando do resultado para carimbar o passaporte para a elite, o Vasco não demorou muito para levar perigo.

Antes mesmo da partida chegar aos 20 minutos, o clube de São Januário já havia desperdiçado boas oportunidades com Thalles, Luan, Douglas e Kléber. O último quase marcou um golaço aos 10 minutos. Após cruzamento de Maxí Rodriguez, o camisa 30 deu um voleio e viu o arqueiro rival fazer uma grande defesa.

Alguns minutos depois, após a parada técnica, quem apareceu foi Martín Silva. O goleiro uruguaio realizou um milagre aos 23 minutos. Após boa jogada de Lucas pela ponta, a bola sobrou para Júnior Barros na pequena área. Ao sentir o perigo, o camisa 1 se atirou na frente da redonda e evitou o tento da equipe cearense.
(
vasco.com.br, 22-11-2015

Torcida vascaína marcou presença e apoiou o time – Foto: Marcelo Sadio/Vasco.com.br

sábado, 22 de novembro de 2014

Recuperação económica capaz de gerar emprego

Luis Moreira
A taxa de desemprego reduziu-se de 13,9% para 13,1% no terceiro trimestre de 2014, atingindo 688,9 mil pessoas. Trata-se de uma redução de 0,8 pontos percentuais face ao segundo trimestre e de 2,4 pontos em relação ao ano passado.

recuperação económica mostra-se capaz de gerar emprego. Já estivemos nos 17%.

A ministra da Finanças à saída de uma audição sobre o Orçamento teve uma frase enigmática " Podemos ter surpresas positivas em 2015". Como não disse quais são as surpresas cada um de nós pode fazer um exercício de adivinhação. O meu é este:

1) O preço do petróleo que já andou acima dos 120,00 dólares está agora à volta dos 80,00 dólares. Esta diferença pode representar, em termos de importação, uma redução entre 1 500 milhões e 2 000 milhões.

2) Aquela redução pode induzir no PIB um crescimento de 0,5% o que equivale a cerca de 700 milhões  

3) Com o PIB a crescer entre 1,5% e 2% a criação de emprego pode acelerar criando mais receitas para o estado e diminuindo a despesa em subsídios sociais de desemprego (montante difícil de prever)

4) Os juros da dívida pública  cuja redução já se faz sentir de forma importante nas Contas Externas podem descer ainda mais (1 000 milhões?)

Se isto se cumprir temos uma redução na despesa em 2015 de cerca de 3 500 milhões de euros o que dá para cumprir o défice (2,7%) sem mais medidas adicionais de austeridade. 
Para além disto temos o comportamento fantástico das Contas Externas muito acima do que se previa.     
Título e Texto: Luis Moreira, Banda Larga, 22-11-2014

Relacionados:

‘Público’: a sem-vergonhice estampada

Ontem, sexta-feira, foi ‘detido’ (eu prefiro ‘preso’), no aeroporto de Lisboa, o ex-primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, quando chegava de Paris.
Não vou entrar no mérito da ‘detenção’, embora torça muito para a justeza dessa detenção, não porque desaprecie o dito cujo, mas, isso sim, pelo Bem da Nação e de todos nós que cá residimos. Explico melhor: se justa e atempada a detenção, esta representará um passo enorme para a Justiça portuguesa, claro, e um salto gigantesco para o geist nacional. 

Se se mostrar injusta, aí, não só continuaremos no ramerrame da maledicência, inveja, grosseria, como aprofundaremos tudo isso: um país de raivosos para raivosos.

Viu as capas de dois jornais, né? Agora, atente bem para a capa do Público: nada sobre a notícia de ontem, eu disse, notícia.
(Este jornal já declarou em editorial – um sagrado direito – o seu apoio à candidatura do Secretário-Geral do Partido Socialista, António Costa, nas próximas eleições legislativas.)

A CAPA DE VEJA – E-mail de 2009 de Paulo Roberto Costa à então ministra Dilma defende uma “solução política” para manter fluxo de dinheiro para a quadrilha que operava na Petrobras.

E a “solução” saiu da caneta de Lula
Reinaldo Azevedo

É, meus caros… As coisas podem se complicar bastante. Reportagem de capa da VEJA, que começa a chegar às bancas, traz um fato intrigante, com potencial de uma  bomba. Para chegar ao centro da questão, é preciso proceder a alguma memória.

As circunstâncias
Paulo Roberto Costa, como ele mesmo deixa claro em seus depoimentos, foi posto na direção de Abastecimento da Petrobras em 2003 para delinquir — ainda que lhe sobrasse um tempinho ou outro para funções regulares. Sua tarefa era mexer os pauzinhos para garantir sobrepreço em contratos, que depois seria convertido pelas empreiteiras em dinheiro e distribuído a uma quadrilha.

Costa, como também confessou, era o homem do PP no esquema — embora a maior parte da propina que passava por sua diretoria, assegurou, fosse mesmo enviada ao PT. Notem: ele nunca disse de si mesmo que era um só um sujeito honesto que foi corrompido pelo sistema. Ele confessou que tinha uma tarefa. Segundo seu depoimento e o do doleiro Alberto Youssef, o petista Renato Duque cumpria a mesma função na Diretoria de Serviços, operando para o PT, e Nestor Cerveró seria o homem do PMDB na diretoria da área Internacional.

O e-mail 
Note-se: Costa começou a operar na Petrobras em 2003. E eis que chegamos, então, ao Ano da Graça de 2009. Não é que o diretor de Abastecimento da Petrobras resolve cometer uma ousadia? Atropelando a hierarquia da empresa, decidiu mandar um e-mail à então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, também presidente do Conselho da Petrobras. Transcrevo trecho de reportagem da VEJA. Prestem atenção!

“Paulo Roberto Costa tomou a liberdade de passar por cima de toda a hierarquia da Petrobras para alertar o Palácio do Planalto que, por ter encontrado irregularidades pelo terceiro ano consecutivo, o Tribunal de Contas da União (TCU) havia recomendado ao Congresso a imediata paralisação de três grandes obras da estatal — a construção das refinarias Abreu e Lima, em Pernambuco, e Getúlio Vargas, no Paraná, e do terminal do porto de Barra do Riacho, no Espírito Santo. Assim como quem não quer nada, mas querendo, Paulo Roberto Costa, na mensagem à senhora ministra Dilma Vana Rousseff, lembra que nos anos de 2008 e 2007 houve ‘solução política’ para contornar as decisões do TCU e da Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional.”

Por que diabos o diretor de Abastecimento da estatal enviaria uma mensagem à ministra sugerindo formas de ignorar as irregularidades nas obras apontadas pelo TCU? E, como fica claro, o tribunal já havia identificado problemas em 2007 e em 2008.

A síntese
Então façamos uma síntese deste notável momento em quatro passos, como está na reportagem:
1 - Um corrupto foi colocado na Petrobras para montar esquema de desvio de dinheiro para partidos aliados do governo Lula.
2 - Corrupto se mostra muito empenhado em seu ofício, o que lhe permite conseguir propinas para os políticos e, ao mesmo tempo, enriquecer.
3 - Corrupto se preocupa com a decisão do TCU e do Congresso de mandarem cortar os repasses de recursos para as obras das quais ele, o corrupto, tirava o dinheiro para manter de pé o esquema.
4 - Corrupto acha melhor alertar as altas autoridades do Palácio do Planalto sobre a iminência da interrupção do dinheiro público que alimentava o propinoduto sob sua responsabilidade direta na Petrobras.

Os saudosos do Muro de Berlim

André Azevedo Alves

25 anos depois da queda do Muro de Berlim e da libertação da Europa de Leste do totalitarismo comunista, o marxismo puro e duro subsiste e prospera no sistema educacional e universitário.

Por ocasião da comemoração dos 25 anos da queda do Muro de Berlim, que marcou o início do fim do totalitarismo comunista que oprimia boa parte da Europa, no jornal Avante!, do PCP, foi publicado um editorial que merece ser lido e relido com atenção. Aí, as celebrações relativas à queda do Muro de Berlim são descritas nos seguintes termos:

“Mais do que a «queda do muro de Berlim» o que as forças da reacção e da social-democracia celebram é o fim da República Democrática Alemã (RDA), é a anexação (a que chamam de «unificação») da RDA pela República Federal Alemã (RFA) com a formação de uma «grande Alemanha» imperialista, é a derrota do socialismo no primeiro Estado alemão antifascista e demais países do Leste da Europa e, posteriormente, a derrota do socialismo na URSS.”

Coerentemente, na linha comunista de defesa do bloco soviético, a República Democrática Alemã (RDA) e as suas realizações são elogiadas de forma entusiástica e inequívoca, ao mesmo tempo que se lamenta o triunfo do “imperialismo”:

“Hostilizada e caluniada pela reacção internacional, a RDA, pelas suas notáveis realizações nos planos económico, social e cultural e pela sua política antifascista e de paz, impôs-se e fez-se respeitar no concerto das nações como Estado independente e soberano e tornando-se depois de anos de duro combate membro de pleno direito da ONU (1973) em simultâneo com a RFA. Mas o imperialismo nunca desistiu das suas tentativas de liquidar a RDA socialista acabando em 1989 por alcançar a vitória, conseguindo que manifestações, nomeadamente em Leipzig, que na sua essência reclamavam o aperfeiçoamento do socialismo e não a sua destruição, ganhassem a dinâmica contra-revolucionária que conduziu à precipitação dos acontecimentos e à anexação forçada da RDA pelo governo de Helmut Kohl.”

The emperor’s new hat

Barry, meet Barry. Freezing ManBearPig. And irony visits Ferguson. Presented in 1080 hi-def, FOR FREE! It’s The Great Eight, from the Personal Liberty Digest™

Esta porcaria é que é o tal «serviço público»?

José Mendonça da Cruz

Às 2,55 da madrugada nem RTP nem RTP «informação» noticiaram ou referiram sequer a detenção de José Sócrates. Estes canais dispendiosos e inúteis têm mais que fazer, transmitem efemérides e gravações. Sorvem-nos taxas, sorvem-nos impostos e praticam o grau zero de informação. Após o que estoiram milhões nossos em futebol da Champions, inflacionando custos que os privados pagariam mais barato. Desculpem a rispidez, mas esta choldra não é privatizada por quê? (e se o Dr. Balsemão acha que é concorrência a mais, mais uma razão para lixar o dr. Balsemão.) 
Título e Texto: José Mendonça da Cruz, Corta-fitas, 22-11-2014

Relacionados:

Deu PT... velhinhos e velhinhas do Aerus...


Valdemar Habitzreuter
O confinamento dos colegas em Brasília é digno de reconhecimento por nós que, de uma forma ou outra, nos encontramos impossibilitados de estarmos lá, reivindicando a retomada do pagamento do Aerus. Creio que muitos mais de nós, se não todos, gostaríamos, ao menos em nosso íntimo, estar lá e participar dessa manifestação, na casa de todos os brasileiros, para deixar ver aos nossos representantes a indignação que invade a todos nós pelo descaso com que somos tratados em relação aos nossos direitos – ainda mais em se tratando de pessoas idosas que têm urgência para que o caso Aerus seja resolvido.

Infelizmente, há oito anos que o caso se arrasta nos tribunais da Justiça, e toda vez que achamos que a vitória está ao alcance das mãos somos surpreendidos com inusitadas manobras governistas – ou sei lá que forças diabólicas antagônicas – que inviabilizam a concretude do ressarcimento dos nossos proventos. Macumba? Não sou supersticioso. É má vontade mesmo de quem tem o dever de restabelecer o que nos foi surripiado às barbas das autoridades governamentais, os salvaguardas do nosso Fundo.

Todo esforço da senadora Ana Amélia em convencer seus pares de dar cabo a toda essa celeuma parece fadado a ser em vão, e o prazo para um acordo parece se distender cada vez mais, sem perspectivas de quando podemos contar com o nosso suado dinheiro que outrora depositamos no Aerus e que confiamos nas mãos fiscalizadoras do governo. É uma vergonha que isso possa acontecer em uma sociedade em que o governo se diz estar aí para resolver as injustiças sociais. É afronta atrás de afronta aos velhinhos e velhinhas do Aerus. Isto não é sanar a injustiça que paira sobre nós durante esses anos todos.

Muitos, ao longo de todos esses anos, foram obrigados a se desfazer de seu patrimônio para poder sobreviver e ter um padrão de vida muito aquém do que projetaram na velhice.

Quantos se desfizeram de seus apartamentos por falta do dinheiro para pagar o condomínio!

Quantos não conseguiram honrar as prestações do financiamento pela compra desses imóveis!

Quantos tiveram que abandonar seus planos de saúde!

Quantos se entregaram à custódia dos filhos, sobrecarregando-os e não podendo dedicar-se exclusivamente a sua própria família.

Não é sem razão que, por vezes, deixamos extravasar nossos sentimentos de repúdio à classe política que não está nem aí para o que acontece aos que necessitam de seu auxílio. Não é um auxílio gratuito que pleiteamos. Não é uma 'bolsa família' que está em jogo, mas, sim, a restituição daquilo que arduamente conquistamos com o nosso trabalho.

Se somos necessitados, nesta altura do campeonato, nesta idade avançada, não é por falta de uma benesse gratuita do governo, mas por falta daquilo que nos é de direito e que o governo insiste em nos negar. Não é propriamente repúdio que sentimos aos que nos representam, já passa até a ser nojo por eles. E mesmo isto ainda é pouco...

Bom, deixemos de lado toda esta nojeira que está acontecendo conosco. Não sei porque acabei me desviando do propósito do título acima - DEU PT. Talvez estas duas letras, PT, me suscitam asco, repulsa, vômito.

É fácil Bolsa Família vencer Aposentados

Almir Papalardo
Enquanto todos os eleitores brasileiros não se conscientizarem que somente através do voto unificado, ou seja, todos aqueles que não concordam com o governo petista devem pactuar para votarem somente num candidato da oposição, ou sairemos sempre subjugados.

Sem essa de vetarem o candidato oposicionista porque pertence ao PSDB.

Em 2010, 36 milhões de eleitores resolveram jogar seus votos numa lixeira, e agora, em 2014, 37 milhões repetiram a mesma imprudência e insensatez! Resultado: "Deu Lula e Dilma na cabeça"! - Cuspimos para o alto caindo obviamente em cima das nossas próprias cabeças...

Assim, enquanto não usarmos a força dos nossos votos unidos e conjugados, jamais tiraremos o PT do comando do país porque, 47,8 milhões de beneficiários do bolsa família estarão votando sempre em Lula/Dilma & Cia.

Analisem a planilha de beneficiários do bolsa-família em todos os Estados, para compreenderem de que se não unirmos nossos votos num único candidato da oposição, os petistas jamais deixarão de ocupar o trono brasileiro.
Título, Imagem e Texto: Almir Papalardo, 22-11-2014


Beneficiários do Bolsa Família X População, de cada Estado brasileiro:

No lo puedo creer!


Minuto do dia – 269

CULTIVE a alegria em dose máxima.
Alegria, porém, não é barulho: é um estado de alma de quem sente em si a plenitude da vida.
A alegria provém de dentro de nós mesmos, da consciência tranquila, do cumprimento exato de nossos deveres, e vibra em nós apesar de todos os sofrimentos, calúnias e injustiças.
Seja alegre sempre e, quando a tristeza quiser encobrir o sol de sua vida, entoe um cântico de louvor ao Pai, e a luz brilhará novamente em você.

Tu é gay que eu sei


(Este que vos escreve assistiu a este programa!)

Ex-primeiro-ministro português preso

José Sócrates foi hoje detido
Felícia Cabrita


O ex-primeiro-ministro é suspeito de crimes de corrupção, fraude fiscal agravada, branqueamento de capitais e falsificação de documentos – apurou o SOL junto de fontes conhecedoras do processo.

Trata-se de uma investigação liderada pela Inspecção Tributária de Braga, no âmbito de um inquérito aberto no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP). Além de Sócrates foram detidos outros três arguidos.

A acompanhar as diligências, ontem e hoje, que incluíram buscas, esteve o juiz de instrução Carlos Alexandre.

Os crimes em causa terão ocorrido nos dois mandatos em que Sócrates esteve à frente do Governo. Há mais três detidos.
Texto: Felícia Cabrita, SOL, 22-11-2014, 00:01:00

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

veja, amanhã, sábado, 22 de novembro

Palin wants Congress to impeach Obama over immigration

Jim Owen

President Obama should be impeached for taking executive action on immigration, Sarah Palin declared Thursday.

In a video message, the former Alaska governor and vice-presidential candidate declared that the president is "betraying our trust" by going "against the wishes of the American people," Breitbart reported.

"In 2012, voters re-elected President Barack Obama, but they did not make him king," Palin said.

She argued that congressional Republicans should resist the president's proposal to provide a path to citizenship, or "amnesty," for 5 million undocumented immigrants living in the United States. She said that the GOP, which will hold the majority in the House and Senate next year, has "no obligation" to work with Obama to pursue "his agenda to fundamentally transform America."

Palin went on to allege that "democracy is an inconvenience" for the president, and "something to be discarded when the votes don't go his way." She said Obama is "endangering our nation" by sending "an even louder message to the world that illegal entry will be rewarded and lawlessness in the United States of America will be rewarded," Breitbart reported.

Palin described current immigration as a "flood" that will escalate to a "tsunami" due to the president's actions.


Jim Owen, Newsiosity, November 21, 2014

E o supermercado mais barato para fazer compras é...

A Deco visitou 500 supermercados e comparou 40 mil preços e quem ficou em primeiro lugar foi o Jumbo por ter os preços mais baratos, noticia a Rádio Renascença.

Global Imagens


A Deco resolveu visitar 500 supermercados nacionais e comparar os seus preços para determinar qual o mais barato. Nesta investigação, a Deco percebeu que a diferença de preços pode representar uma poupança de 350 euros anuais. E o líder na tabela de preços mais baixos é o Jumbo.

"A liderança continua a ser do Jumbo. Depois, o Pingo Doce trocou de lugar com o Continente-Modelo e passou o Pingo Doce a ocupar a segunda posição, tendo o Continente caído para terceiro”, revela o coordenador do estudo, António Souto à Renascença.

A Deco esteve em 78 concelhos do continente e ilhas. Por distrito, Vila Real, Viana do Castelo e Portalegre são os que apresentam menor diferença de preços, o que significa que o consumidor pode poupar menos.

Já em Setúbal, Faro e Santarém há as maiores diferenças e por isso, as poupanças podem ser maiores.

“No distrito de Setúbal consegue-se poupar mais ou menos 350 euros se optarmos pelo Jumbo em vez do Spar, num carrinho na ordem dos 150 euros mensais", indica.

No entanto, 38 lojas recusaram-se a colaborar com o estudo da Deco, por terem ficado insatisfeitas com os resultados anteriores. 
Título e Texto: Notícia ao Minuto, 21-11-2014

Jean-Claude Trichet "Mais ninguém queria financiar Portugal"

"[A intervenção da troika] era absolutamente necessária porque, a certa altura, o resto do mundo não queria financiar mais Portugal", começa por dizer o ex-presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, em entrevista exclusiva ao Expresso.


Em entrevista ao Expresso, o ex-presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet esteve em Lisboa e, em conversa, elogiou Portugal.

Na qualidade de presidente europeu da Trilateral, Trichet veio a Portugal esta semana, onde se reuniu com Passos Coelho e Maria Luís Albuquerque.

O responsável falou sobre o programa da troika em Portugal e sustentou que, sem dúvida, foi uma decisão “funcionou e foi bem-sucedida”. “Era absolutamente necessária porque, a certa altura, o resto do mundo não queria financiar mais Portugal".

A prova é que “o financiamento tem sido feito, atualmente, em grande parte por investidores externos que têm confiança no que foi feito e nos sucessos que veem em Portugal”. 
Título, Imagem e Texto: Notícias ao Minuto, 21-11-2014

O demônio à espreita pelas demandas irrealizáveis


Luciano Henrique
O Sr. Marcello Reis, um dos principais responsáveis pela comunidade de Facebook Revoltados On-line, e organizador de uma das três frentes de manifestações que resultaram em movimentos nos dias 1 e 15 de novembro, frente ao MASP, é bastante claro em suas demandas. Elas são duas:

·         Impeachment de Dilma
·         Anulação das Eleições

A lógica é clara. Se as demandas são duas não são três. Se são apenas duas, outras demandas estão excluídas. Essa é uma conclusão óbvia. Sendo apenas duas demandas, significa que tanto esforços como as expectativas deste “exército” então direcionados a dois focos.
Até aqui tudo bem, certo? Nem tanto, pois o diabo mora nos detalhes. Ambas as demandas de Marcello são irrealizáveis a curto prazo.

Para existir um impeachment são necessárias provas contundentes de corrupção, por exemplo. Não apenas interpretações forçadas para levar a uma conclusão pré-estabelecida. É preciso realmente de provas. Um exemplo seriam transações em contas correntes no exterior atrelando recebimento de propinas diretamente a Dilma. Caso surja uma evidência deste tipo, o tema do impeachment volta à tona. Outra questão pode ser a comprovação definitiva de que o dinheiro da corrupção foi usado na campanha de Dilma. Ainda falta algo para chegarmos a esse momento.

Para ocorrer anulação das eleições, seriam necessárias evidências incontestáveis de fraude. Por exemplo, o caso da tal urna eletrônica que deu 400 votos para Dilma tem total cara de“hoax”. E que eleições seriam anuladas? Todas elas? Incluindo aquelas para governos de estados onde o PT sofreu várias derrotas acachapantes? Ou as eleições para deputados, onde o PT simplesmente perdeu 18 cadeiras e ainda viu crescer amplamente uma base de oposição? Portanto, devagar com o andor que o santo é de barro.

Já demandas interessantes poderiam incluir um pedido por maior agilidade nas investigações do Petrolão, pois as delações não podem durar uma eternidade. Queremos prioridade nessas investigações! Também poderíamos exigir um processo mais transparente de votação, com a impressão de recibos a serem depositados em uma urna, para os próximos pleitos. Isso ajudaria a retirar as dúvidas remanescentes e seria a requisição de um direito do eleitor. Isso já poderia ser encampado no início de 2015, com vistas à eleição de 2016 já. A luta, neste caso, seria pelo direito do eleitor ter um recibo de seu voto, a ser depositado em urna.

The Economist: “cada dia mais, evidencia-se a bagunça que Dilma deixou para si mesma”


Ao se reunir com outros líderes mundiais na reunião do G20, na Austrália, Dilma Rousseff, reeleita para um novo mandato de presidente, teve muito pouco além de sua estreita vitória para se vangloriar”. A afirmação é da revista britânica The Economist, que em reportagem em seu site, fala sobre os muitos problemas enfrentados pelo governo do PT. “Cada dia aparecem novas evidências do quão grande é a confusão que Dilma deixou para si mesma. Dados oficiais divulgados nas últimas três semanas mostraram um expressivo déficit orçamentário, queda na produção industrial e aumento da pobreza. Mesmo o mercado de trabalho, até recentemente um raro ponto brilhante, com o desemprego perto de mínimos históricos de cerca de 5%, está começando a piorar”, diz The Economist.

A publicação britânica, uma das mais prestigiadas no mundo financeiro mundial, também citou, em sua reportagem, o envio ao Congresso do projeto de lei do governo que tenta flexibilizar as regras do superávit fiscal. “Um tumulto irrompeu sobre um projeto de lei enviado ao Congresso por Dilma. A oposição protestou sobre a incontinência fiscal da presidente. Alguns ameaçaram contestar esta intromissão orçamentária perante o Supremo Tribunal”, diz a revista. As prisões de empreiteiros por conta da operação Lava-Jato também foram citadas por The Economist. “Se tudo não bastasse, em 14 de novembro a Polícia Federal prendeu dezenas de suspeitos em uma investigação sobre corrupção em curso na Petrobras, a gigante estatal de petróleo, em que o partido de esquerda de Dilma Rousseff e alguns partidos da coalizão têm sido implicados. Eles incluem um ex-diretor da Petrobras, bem como executivos de várias empresas de construção com grandes contratos no valor de 56 bilhões de reais (21,5 bilhões dólares) com a empresa. O arrastão aconteceu um dia depois que a Petrobras disse que iria adiar o seu relatório de lucros trimestrais”, afirmou a publicação.
Leia mais aqui, no site da The Economist. 
Do blogue do senador Alvaro Dias, 22-11-2014