quinta-feira, 18 de julho de 2019

Mais de uma centena de pessoas em concentração em defesa da PSP em Massamá

A iniciativa tinha como objetivo “valorizar e agradecer” a intervenção das forças de segurança devido às agressões e às muitas críticas públicas que sofrem no desempenho das suas funções.

Agência Lusa

Foto: Tiago Petinga/Agência Lusa
Mais de uma centena de pessoas esteve esta terça-feira presente numa concentração em defesa da PSP, em frente à esquadra de Massamá, em Sintra, com os presentes a agradecerem o trabalho dos agentes e a condenarem as críticas que são alvo.

A iniciativa foi organizada pelo grupo de Moradores de Massamá na rede social Facebook, tendo em conta as agressões que os agentes são alvo e as muitas críticas públicas que sofrem no desempenho das suas funções.

“Queremos demonstrar às nossas forças policiais que estamos com eles e valorizamos o seu trabalho. Não concordamos com o crescimento do sentimento de impunidade que existe e deve ser desmotivador enfrentarem vários perigos para salvaguardar a segurança pública, com o seu trabalho a ser questionado por questões de pormenor”, disse à Lusa Maria de Sousa, administradora do grupo que organizou a iniciativa.

A moradora defendeu que a iniciativa tinha como objetivo “valorizar e agradecer” a intervenção das forças de segurança.

“Acho que a nível nacional todos o deviam fazer, deviam demonstrar a todas as forças policiais que o cidadão de bem, que cumpre os seus deveres para ter direitos, defende a PSP e a GNR e que pretende um ambiente se segurança”, salientou.

A recepção, no aeroporto de Brasília, ao presidente Bolsonaro na volta da reunião do Mercosul, na Argentina

Glenn tenta fabricar escândalo, mas fracassa de novo

Eduardo Bolsonaro em Washington. Quem deve decidir?


Relacionados:

quarta-feira, 17 de julho de 2019

A resposta do governador do Estado do Rio de Janeiro à esganiçada – deputada federal – Talíria Petrone


Ao lado da esganiçada deputada [foto acima] está o deputado David Miranda – mulher do militante Greenwald – que se diz negro, mas parece caucasiano.

Veja o vídeo:

CNN pushes narrative that President Trump is racist to group of women. It brutally backfires

That. Did. Not. Go. Over. Well. At. All.


Chris Enloe

CNN correspondent Randi Kaye asked eight Dallas-area women on Tuesday's "Anderson Cooper 360" if they thought President Donald Trump's recent tweets attacking four progressive congresswomen are racist — and it did not go over well for CNN.

"How many of you don't think what the president said is racist?" Kaye asked the women, all of whom are Trump supporters.

In unison, all the women raised their hands.

The women told Kaye:
·         "I'm a brown-skinned woman. I am a legal immigrant. I agree with [Trump]."
·         "He was saying that if they hate America so much because what we're seeing out of them and hearing out of them — they hate America. If it's so bad, there's a lot of places they can go."
·         "Actually, I think it's a demonstration of how their ideology spills over even though they're American now, so to speak."
·         "They're not acting American."
·         "We know the president is not racist. He loves people from Hispanics to black people — all across the board."

One exchange in particular highlighted the narrative CNN sought to push.

"I'm glad the president said what he said because all they're doing is — they're inciting hatred and division and that's not what our country is about. It's not about that at all—," one of the women told Kaye.

"But isn't that what the president does with some of his own comments?" Kaye interjected. "His own racist comments?"

Ministério Público acusa Air France de negligência no desastre do voo Rio de Janeiro em que morreram 228 pessoas

O MP diz que a companhia aérea "foi negligente e imprudente" ao não informar devidamente os seus pilotos sobre os procedimentos a adotar em caso de anomalias no acidente que causou 228 mortos em 2009

Agência Lusa

A justiça francesa acusou a companhia aérea Air France de negligência, na sequência da investigação ao acidente aéreo do voo Rio de Janeiro-Paris, que causou 228 mortos em 2009, confirmou esta quarta-feira a AFP.

Foto: AFP/Getty Images
O Ministério Público considerou que a companhia aérea Air France “foi negligente e imprudente” ao não informar devidamente os seus pilotos sobre os procedimentos a adotar em caso de anomalias nas sondas que permitem controlar a velocidade do aparelho. Isto após vários acidentes do mesmo género que tinham ocorrido no mês anterior ao acidente com aquele voo, segundo a acusação datada de 12 julho, e à qual a AFP teve acesso.

O despenhamento do voo Rio-Paris da Air France em junho de 2009 deveu-se a “uma reação inadequada da tripulação após a perda momentânea das indicações de velocidade”, revelava um relatório de especialistas divulgado em 2014.

Nos termos do documento citado pela AFP, ordenado no âmbito da investigação judicial e elaborado por uma segunda equipa de especialistas, as simulações e as peritagens “provaram claramente a predominância dos fatores humanos nas causas do acidente e nos fatores que contribuíram” para o acidente. “Também determinámos que o acidente poderia ter sido evitado através de algumas ações apropriadas da tripulação”, referiram os cinco especialistas nas suas conclusões.

A queda do Airbus A330 da Air France, que se despenhou a 1 de junho de 2009 no Oceano Atlântico, ao largo do Brasil, custou a vida aos 228 passageiros e tripulantes.

Mistério do voo MH370. “Carga misteriosa de 90 quilos” adicionada ao manifesto após a decolagem

Investigadores franceses detectaram num relatório uma carga de 90 quilos, de conteúdo desconhecido, que só foi acrescentada ao manifesto depois da decolagem

Imagem: Fazry Ismail/EPA
Observador

O maior mistério de sempre do mundo da aviação tem uma nova página. Os investigadores do desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines descobriram que, depois de descolar, foi acrescentado ao manifesto do avião “uma carga de 90,7 quilos”. E o conteúdo é tão misterioso quanto o desaparecimento do aparelho, que, naquela noite de março de 2014, levava 239 passageiros a bordo.

Ghyslain Wattrelos, um engenheiro francês cuja mulher e os dois filhos seguiam a bordo do MH370, disse à imprensa francesa que a “carga misteriosa” foi descoberta num relatório sobre os passageiros e as bagagens. Este relatório foi redigido por investigadores franceses que estão à frente do caso. A França é o único país que ainda mantém aberta a investigação ao caso, segundo o Telegraph.

O francês diz também que um dos contentores que o avião transportava tinha peso a mais. “Ninguém sabe porquê”, comenta o engenheiro. “Pode ter sido incompetência ou manipulação. Tudo é possível”, acrescenta.

Os investigadores dizem que vão levar um ano a processar os novos dados. Afirmam, no entanto, que a carga – até agora desconhecida – reforça a teoria de que o piloto fez o avião cair propositadamente. Mas não explicam exatamente porquê.


O MH370 desapareceu a 8 de março de 2014 enquanto viajava de Kuala Lumpur para Pequim. Apenas 38 minutos decorridos desde que descolou, o avião perdeu o contacto com a companhia aérea. Até hoje, pouco ou nada se sabe sobre este desaparecimento. Mas são muitas as teorias sobre o que terá acontecido.

Bolsonaro participa da cúpula de chefes de Estado do Mercosul

Ana Cristina Campos

O presidente Jair Bolsonaro embarcou na manhã de hoje (17) para a Argentina, onde vai participar da 54ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul em Santa Fé. Durante o encontro, o Brasil vai assumir a presidência pro tempore (rotativa) do bloco sul-americano pelos próximos seis meses.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O principal acordo a ser assinado é o que elimina a cobrança de roaming internacional de serviços de telecomunicações entre pessoas que residem nos países-membros do bloco.

O fim da cobrança de roaming vai abranger serviços de voz (ligações em dispositivos fixos e móveis), envio de mensagens e dados, nome dado para os pacotes de acesso à internet. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações, ainda não há previsão de quando a medida passará a valer.

roaming é uma taxa cobrada quando um cliente sai de uma área da sua operadora. No caso, a quase totalidade dos planos vendidos no Brasil são limitados às fronteiras do país. Quando alguém viaja, por exemplo, para a Argentina ou o Uruguai, ao fazer uma ligação esta terá um custo adicional (à exceção de planos específicos com cobranças diferenciadas).

Outro acordo a ser assinado pelos países-membros do Mercosul deve permitir a brasileiros, argentinos, uruguaios e paraguaios ter assistência consular diplomática em embaixadas de qualquer um dos países que compõem o bloco quando não houver representação de seu país de origem.

Na prática, por exemplo, se um cidadão paraguaio estiver em um país que não tenha representação consular do Paraguai, ele poderia ser atendido nas representações de Uruguai, Brasil ou Argentina.

Logo após a reunião de cúpula, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, oferece almoço aos participantes do encontro. Às 15h30, Bolsonaro deixa Santa Fé com destino a Brasília. O desembarque na Base Aérea da capital federal está previsto para as 18h30.
Título e Texto: Ana Cristina Campos; Edição: Valéria AguiarAgência Brasil, 17-7-2019

Relacionado:

Piloto da TAP encontrado morto num hotel em Estugarda

O profissional sofria de problemas cardíacos

Facebook de Duarte Pato

Duarte Pato, de 38 anos, devia ter pilotado o voo TP 597 de Estugarda, na Alemanha, para Lisboa, cuja saída estava prevista às 06h05 com chegada marcada para as 7h48 desta quarta-feira à capital portuguesa. O voo acabou por ser cancelado na medida em que Pato foi encontrado morto num quarto de hotel, de acordo com informação avançada pelo diário ‘As Beiras’.

Segundo o regional, o piloto, natural de Coimbra, tinha problemas cardíacos e, como havia sido operado, fora considerado apto a exercer a profissão. Através de um comunicado que a TAP enviou ao mesmo jornal, pode ler-se que a companhia “confirma o óbito, verificado no quarto do hotel em Estugarda onde pernoitava, de um oficial-Piloto da Companhia”, acrescentando ainda que “as informações recebidas das autoridades locais apontam para causas naturais da morte”.

No mesmo documento, consta que “neste momento de profundo pesar para toda a empresa, a TAP endereça à família, amigos e colegas do oficial-Piloto falecido as mais sentidas condolências”.
Título, Imagem e Texto: Jornal SOL, 17-7-2019

Relacionado:

Charada (941)

Um casal foi à praia da Areia Branca.
O casal tem 3 filhos e
cada filho tem 2 irmãs.
Cada irmã tem dois bebês.
Quantas pessoas foram
à praia da Areia Branca?

Charada (940)

Qual das seguintes palavras é um verbo?

Pomar, Luar, Capilar, Nadar, Ímpar.

The Squad

[Pernoitar, comer e beber fora] Taberna típica Quarta-feira, onde você não escolhe


De: João Dias
Enviada em: terça-feira, 25 de junho de 2019 18:21
Para: jimpereira@gmail.com
Assunto: Reserva

Olá,
Mesa reservada para dia 9/7, 2 pessoas às 13h.
Duas informações: não vão escolher nada do que vão comer e não aceitamos pagamentos por cartão.
Obrigado.
João

Com esta resposta ao nosso e-mail, adentramos, o jovem DT e eu, no restaurante “Taberna típica Quarta-feira”, em Évora


Fomos recebidos e cumprimentados por João Dias, o filho do dono.

O dono
Como escrito e dito pelo João, o freguês não escolhe a comida, senta, come (ou não) o que lhe colocarem à sua frente, depois paga a conta. O vinho é a parte. Quer dizer, é além do custo do menu, que deve ser em torno de 25€. Não tenho a certeza. Só lá voltando para a ter, a certeza.

Bom, vamos lá!, de entrada foram servidos:

Queijo da serra derretido; (não é o nosso forte)
Ovos mexidos com farinheira; (bom)
Cogumelos com coentros; (muito bom)
Salpicão; (muito bom)
Bolinhos (dois) de carne; (excelentes)
Azeitonas... (não lembro)
Ah! e teve também um cálice de cocktail’ de melão (inesquecível)

O prato quente foi uma carne de porco assada no forno com batatas. Se as batatas eram vulgares, a carne era muito gostosa e macia. Um sabor a avó.

De sobremesa:
Gelado de lima com hortelã;
Seis cerejas;
Mousse de morango;
Uma pequenina fatia de bolo de amêndoa e gila.


Não adianta guardar, ou levar em conta, este menu, pois, como explicado acima, “não escolhemos nada do que vamos comer”...

terça-feira, 16 de julho de 2019

[Livros & Leituras] Manual de Jornalismo (Estudos em Comunicação)

O que é o jornalismo? "Manual de Jornalismo" ensina as técnicas clássicas de recolha de informação e redação de notícias, de forma clara e concisa. Aspectos éticos e deontológicos, técnicas de realização de entrevistas e uma introdução aos principais gêneros jornalísticos são também abordados.


Autoria de Anabela Gradim, no ano de 2000.

Está à venda na Amazon, em formato e-book, por menos de 4 reais. Também pode ser lido aqui, em pdf.

Um livrinho de 237 páginas que recomendo a todo e qualquer leitor de jornal – impresso ou virtual – pois que ajudará o leitor a discernir o fato da opinião, e também a inferir a intenção e ideologia do jornalista.

“O jornalismo, como bem se depreende da primeira à última página deste manual. É um artesanato. O maior capital de um jornal, e o único do jornalista, é o seu brand name, uma reputação profissional impoluta, a credibilidade junto dos leitores e a confiança conquistada ao longo dos anos. Não basta entusiasmo e vontade de protagonismo. Fontes anônimas, jornalistas de ocasião, nada disto têm para oferecer.”

“O tempo por excelência da notícia é o presente do indicativo, por vezes o passado. Por esta razão, o condicional só deve ser utilizado em casos especiais: é um tempo verbal que inspira no leitor dúvida quanto aos fatos ou à credibilidade da fonte, e por isso só se utiliza quando o jornalista pretende marcar precisamente essa dúvida. Ora, tal procedimento só é admissível em casos excepcionais, pois os jornais não noticiam dúvidas, boatos ou rumores.” (Marcação do Editor).

Relacionados:

Anteriores:

[Pernoitar, comer e beber fora] Poliphonia reserva tinto 2015

Região: Alentejo
Tipo: Vinho Tinto
Graduação: 14,5%
Tamanho: 750 ml
Castas: Alicante Bouschet, Syrah, Aragonêz, Petit Verdot
Enólogo: Pedro Baptista
Colheita: 2015

Vinificação:
Feito de uma mistura de diversas variedades de uva e amadurecido em barricas novas de carvalho francês esta Reserva é um vinho muito complexo. A acidez bem equilibrada faz deste vinho uma escolha muito elegante e fresco para uma refeição especial. Fermentado em tanques de mármore com temperatura controlada. O vinho, em seguida, maceração “mentiras sur” em cubas. Os occurres fermetation maloláctica em cubas de carvalho francês grande. Maturação de 12 meses em barricas novas de carvalho francês.

Notas de prova:
Cor púrpura. Notas de aromas de frutas e geleia maduros. folhas de tabaco e canela. Densa e concentrada. Exibe forte estrutura com taninos firmes, mas suave, associado com uma acidez correta. Termina em notas aromáticas longos de frutas vermelhas.

Conselhos de armazenar e servir:
Servir a uma temperatura de 16 ° C a 18 ° C.

Emparelhamento com comida:
Este vinho finamente acompanha carnes vermelhas, carne assada e carnes grelhadas.

Críticas e prémios:
. 16,5 pontos Revista de Vinhos;
. Medalha de Prata Concours Mondial de Bruxelles 2014 (2012);
. Recomendado International Wine Challenge 2014 (2012);
. Medalha de Prata Concours Mondial de Bruxelles 2013 (2011);
. Recomendado Decanter World Wine Awards 2013 (2011);
. Medalha de Bronze International Wine Challenge 2013 (2011);
. Medalha de Ouro Concours Mondial de Bruxelles 2012 (2009);
. Medalha de Prata Decanter World Wine Awards 2012 (2009);
. Recomendado International Wine Challenge 2012 (2009).

E (muito) recomendado por mim. 😉

Anteriores:

Sínodo da Amazônia ou Concílio Vaticano III?


Marcos Luiz Garcia
            
Para todos nós católicos, o panorama na Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana se enegrece cada dia mais.
           
A ofensiva esquerdista que está sendo preparada através do Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia prenuncia uma verdadeira revolução, não só a respeito do modo de se considerar a Igreja, mas com reflexos apocalípticos para toda a ordem mundial.

Há pouco foi publicado o documento Instrumentum laboris, que define a pauta desse Sínodo. É verdadeiramente assustador! Mais apropriadamente, poderia chamar-se Documento Preparatório para o Concílio Vaticano III, pois o Sínodo Pan-Amazônico está para o Concílio Vaticano II como este está para o Concílio de Trento.
           
Em outras palavras, a verdadeira explosão de modificações pastorais e doutrinárias que o Concílio Vaticano II provocou na Igreja se repetirá com o lançamento da Igreja Amazônica, mas num âmbito muitíssimo mais grave e radical. A tal hermenêutica da continuidade, já impossível, pura e simplesmente se evapora.
           
Para ajudar a compreender melhor o que estou dizendo cumpre retroceder ao Pontificado antimodernista de São Pio X, que pautou sua vida em combater o modernismo, heresia que, segundo ele, continha em si todas as heresias.
           
Após São Pio X começou um afrouxamento no combate ao modernismo, que depois deu lugar à ascensão paulatina de uma doutrina que é o próprio modernismo revestido de hipócritas aparências, o chamado progressismo.
           
Ao mesmo tempo, um amolecimento sentimental gerado na alma dos católicos subtraiu-lhes a combatividade e inoculou um espírito entreguista, concessivo e meloso, o qual foi se acentuando até o Concílio Vaticano II.
           
Suficientemente amolecidos os católicos, foi possível lançar as “novidades” do Vaticano II e, depois, a crescente desfiguração do espírito e da mentalidade católicas. A Teologia da Libertação ganhou impulso e a esquerda católica robusteceu-se muito.

Uma parte dos fieis se escandalizou com o progressismo e o recusou. A estes foi oferecido, em lugar da espiritualidade tradicional católica, um carismatismo oriundo dos protestantes pentecostais americanos.
           
Essa mudança na Igreja escandalizou muitos católicos de fé fraca, que por falta de convicções profundas preferiram abandoná-la em troca de religiões protestantes.

Suposto jornalismo


O Antagonista, 16-7-2019

Os palestrantes do STF vão condenar o palestrante Deltan?


Os Pingos nos Is, 16-7-2019

Relacionados:

[Aparecido rasga o verbo] Por fora, bela viola... por dentro...

Aparecido Raimundo de Souza

É RIDÍCULO E VERGONHOSO, caricato e pilhérico tratarem o Lula como se ele fosse um santo. Pior, um deus. Lula não é santo, nem deus. No caso aqui em tela, Lula é um diabo em figura de gente totalmente feito de merda. Da pior delas, ou a mais fedorenta. Algumas pessoas vão além do extremo da imbecilidade galopante e o sustentam no albor de presidente Lula. E o veneram, o reverenciam, como se ele fosse, de fato, um rei. Em decorrência dessas “idiolatrias” estapafúrdicas, deixamos uma pergunta dançando em baila: senhoras e senhores, Lula é presidente: presidente do quê?!

Ora, prezados. Vamos e convenhamos. Se fosse o nosso chão sagrado, um país sério, um país onde a corrupção se mostrasse zero, os ladrões meia dúzia de gatos pingados, a ladroagem um pontinho no infinito, ainda se aceitaria tal honraria (mesmo que dirigido erroneamente a um crápula, um marginal). A figura “pitocaresca” (pitoresca com picareta) de Lula é a mesma de um assassino que assalta que mata que manda dar cabo da mãe e do pai por míseros trocados. Lula foi um presidente da pior qualidade. Um boçal sem escrúpulos, que meteu as mãos até dizer chega e roubou ao absurdo de não ter mais onde enfiar dinheiro.

Em paralelo, o brazzzil sempre foi um país de aproveitadores, de vagabundos, de salafrários. Não nos esqueçamos de um detalhe. Somos a única nação em todo o planeta que conseguimos ter (ao mesmo tempo) dois chefes de estado engaiolados e mais sujos do que pau de galinheiro. Sentimos, nessa hora, pena das galinhas. Por isso, pedimos, com veemência, perdão às coitadinhas. Pois bem. Nessa toada de Lulas, Dilmas, Temers e outras pústulas malucas, não passa o brazzzil do presidente Mula, de um chão selvagem, bancarrotado, enfiado num orifício maior que o rabo do Temer. Desculpem. Maior que o rombo dos engravatados que fingem lutar ferrenhamente de unhas e dentes por uma sociedade melhor e mais igualitária.  Ledo engano!

A “Câma-ra” dos deputados é uma puta casa de mãe joana. O “Sernado” federal idem. A nossa justiça é uma “vagaba” bem safada e seus representantes se vendem por tostões. Tostões, claro, grosso modo falando. O que rola por baixo das cuecas desses senhores da lei, deixa Deus com os cabelos dos pentelhos em pé. No mesmo saco de vermes peçonhentos, mantemos, em brazzzilia, um colegiado de bons faladores, verdade seja dita. Homens de linguagens perfeitas. Assistir a uma seção, seja no STJ ou STF, é passar por um verdadeiro exercício de conhecimento da língua pátria, onde o português se vê expressado sem erros de ortografia e, via de mão única, sem pronúncias erradas.

Charada (939)


Quando chegou à porta
de uma casa, Filipe viu três
interruptores. Ele sabia
que três interruptores
acendiam três candeeiros
que ele não podia ver
por estarem no interior
da casa. Considerando
que Filipe já tinha a solução
quando entrou, como é que ele
descobriu quais os interruptores
que acendiam cada um dos três
candeeiros?

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Moleskine (15 de julho de 2019): Macron, o vaiado, pode, Trump, não


Macron, o vaiado, pode, Trump, não

Ontem, 14 de julho, realizou-se o tradicional desfile MILITAR na Avenida Champs Élysées. E, como sempre, ‘presidido’ pelo presidente da França em exercício. Curiosamente, não me chegou nenhuma reportagem da CNN, servilmente papagaiada pela imprensa d’aquém e d’além mar, nos mostrando ‘milhares’ de cidadãos contrários ao dispêndio, à militarização e ao aproveitamento político da data nacional, como fizeram com Donald Trump. Este, não pode, Macron, pode.

Aliás, o generoso leitor soube das vaias e assobios dirigidos ao atual presidente da França? Claro, compreendo que não saiba, pois não foi noticiado na velha imprensa militante. Já imaginou se essas vaias e assobios fossem dirigidos a Trump ou a Bolsonaro?? Mesmo que fossem, comprovadamente, cinco gatos-pingados a assobiar, a manchete de hoje, em vários idiomas, seria:

População vaia Bolsonaro




Eduardo Bolsonaro
Me surpreendeu a declaração do presidente Jair Bolsonaro que disse cogitar em nomear o filho, o deputado federal – mais votado da história – Eduardo Bolsonaro, para embaixador nos EUA. Me surpreendeu porque imaginei de imediato a “indignação” da Academia e da mídia a serviço. Não creio que o presidente não soubesse das consequências que tal declaração geraria. Me refiro, especificamente, às reações da oposição, que não perderia essa chance.

Alexandre Garcia fez um sensato comentário sobre essa possibilidade. Concordo com ele.

Mas, se se efetivar essa nomeação continuarei apoiando o presidente Jair Bolsonaro. Se não se efetivar, o presidente Jair Bolsonaro continuará alvo de desqualificação. Já estou vendo as manchetes:

Bolsonaro recua
Bolsonaro é derrotado na sua pretensão em nomear o filho

Portanto, criticado por fazer, criticado por não fazer, criticado por dizer, criticado por não dizer... quer saber? Presidente Bolsonaro, siga a sua intuição!

Ah, ainda sobre o desfile de ontem: o atual presidente de Portugal esteve lá – ó presidente viajado! Vi por aí (Facebook ou Twitter) o título de um jornal português: Marcelo Rebelo de Sousa rouba a festa (!?) querendo significar que o desfile de 14 de julho foi animado e honrado pelo presidente de Portugal (!!).

Depois se queixam da falência de ‘jornais’...

Relacionados:

Anteriores:
Home