quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Vergonhoso, senhores senadores da base aliada... Vergonhoso!


José Paulo Resende
Os senhores senadores da base aliada deram ao povo a mísera quantia de 35,00 reais de aumento para o salário mínimo. O mesmo valor que deram os deputados no dia 16 de fevereiro próximo passado. Cumpriram o que a presidente da república mandou os fazer. Realmente é vergonhoso ver e assistir certos senadores, no caso o senador Romero Jucá, dizer que uma família que vai receber este mísero aumento do salário mínimo é que deve saber administrar o mesmo (*).
Ele que ganha muito bem (como ganham todos os parlamentares brasileiros) e põe bem nisto saberia administrar sua vida e de sua família com este mísero aumento dado pelo governo que tomou posse no dia 01 de janeiro de 2011 dizendo em bom tom que quer combater a miséria e erradicar a pobreza? Claro que não! Ele e todos os parlamentares que apoiaram e apoiam o governo do PT não viveriam e nem saberiam administrar suas vidas com estes míseros 35,00 reais de aumento. Se ganhassem salário mínimo estavam todos fora do Congresso e do Senado há muito e muito tempo.
Afinal de contas o aumento concedido por eles em seus salários foi de apenas 62%.
R$ 26.000,00 de salário fora as inúmeras benesses que possuem. E também concederam para a presidente do Brasil um aumento de apenas 133% e para o vice-presidente e ministros de estado concederam um aumento de apenas 148%. Não esquecendo de mencionar aqui que a Oposição brasileira também ganha e votou a mesma coisa. Afinal são todos congressistas e parlamentares e não votariam contra eles próprios mesmo sendo da oposição.
Tutti bona gente...

Lógico que o senador Romero Jucá e demais senadores que votaram com o governo devem ter uma vida de primeiro mundo. A oposição brasileira também.
Já o povão (patuléia, como diz o jornalista Elio Gaspari) deve se contentar com a merreca e pronto. Dona Dilma tem um cabeleireiro que cobra 300 reais por apenas um corte de cabelo. Não sei se ela, a presidente do Brasil, paga mais ao mesmo. Mas é esta a maneira que ela, presidente do Brasil e os parlamentares que estão ao seu lado estão combatendo a miséria e erradicando a pobreza. Ela vivendo bem com quase 26.000,00 de salário, mas o povão que votou em massa nela (eles estão dentro dos 56.000 milhões de brasileiros que deram seu voto para ela e para a continuação do PT no poder) se contente com os míseros 545 reais e ponto final.
Se o aumento fosse maior quebraria de vez o País. A inflação voltaria (está batendo à porta novamente ) e o povão principalmente seria o maior prejudicado.
Viram... dona Dilma e os parlamentares que votaram neste mísero aumento estão deveras preocupados com o povo. Não querem que eles sofram de novo com o terrível dragão da inflação. Eles podem ter aumentos maravilhosos que não influem em nada na inflação e não provocam estragos para a economia brasileira, mas o aumentozinho do salário mínimo pode acabar de vez com o Brasil.

(*) Voltando ao Senador Romero Jucá:  O senador Romero Jucá ainda faz ironia e sarcasmos na minha opinião com estes míseros 35,00 Reais que foi sacramentado hoje pelo senado como aumento do salário mínimo. E pior que isto, se isto já não fosse pior, os senhores senadores da base aliada e até alguns da oposição determinaram que o Governo Federal é quem vai decidir, por decreto, os próximos aumentos do Salário Mínimo. Quer dizer o Congresso e o Senado ficam de fora disto.
Isto abre uma brecha e é muito perigoso. Se agora eles permitiram e concordaram com o governo federal em decidir por decreto o aumento do salário mínimo o que será permitido depois? O governo federal poderá também decidir por decreto outros importantes pontos de interesse para o país sem consultar os parlamentares. Este congresso e senado que aí está já há algum tempo e que mesmo tendo sido renovado com a eleição de 2010 também não merece crédito da população brasileira. A grande maioria está lá para se dar aumentos vantajosos como se deram na calada da noite do dia 14 de dezembro para o dia 15 de dezembro e sempre legislam em causa própria. Há excessões é claro, mas as excessões acabam sendo engolidas pela maioria das duas casas.
A oposição brasileira deixou que o governo do ex-presidente Lula e o recente e atual governo da presidente Dilma dessem e pusessem as cartas na mesa.
Não souberam ser oposição como deveriam ser e agora estão sendo tragados pelo rolo compressor deste novo governo e pelo rolo compressor dos seus aliados. Aliados estes que votaram com o governo para não perderem as suas emendas e projetos e também as suas indicações para cargos do segundo e terceiro escalão. O PMDB (que eu chamo partido da boquinha) hoje tem seu vice-presidente da República. E ele, PMDB, concordou em seguir a senhora Dilma nesta votação do novo salário mínimo para mais tarde (ou será de imediato?) cobrar a conta e apresentar a fatura. Quantos cargos e indicações serão dadas em troca desta votação unânime (pelo menos no congresso foi unânime, no senado houve algumas dissidências) do PMDB ao governo federal no caso do salário mínimo? Vamos aguardar.
Então não só o PMDB como outros partidos aliados ao governo federal são partidos que simplesmente estão se lixando para o povo brasileiro. Eles querem o deles e o deles é o que é mais importante. O povo é um mero detalhe para estes senhores senadores e deputados que votaram a favor destes míseros 35 reais de aumento.
O povo que votou na continuação do PT no poder e que receberá estes míseros 35,00 Reais de aumento no salário mínimo está calado e quieto. Não deram nenhum sinal de reprovação. Devem já estar acostumados a serem tratados como gado e se sentem felizes.
Eh ohoh… vida de gado, povo marcado, povo feliz! (Admirável gado novo - Zé Ramalho)
Eh ohoh… vida de gado, povo marcado, povo feliz!
José Paulo de Resende.
Itaipu - Niterói - Rio de Janeiro.
Recebido por e-mail

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-