sábado, 12 de dezembro de 2015

Uma semana política intensa...

Valdemar Habitzreuter

A semana que passou foi de intenso embate político no Congresso onde os parlamentares quase chegaram a vias de fato em questões do impeachment de Dilma e afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha [foto]. A oposição foi vencedora para a comissão do processo do impeachment, e as sessões, para afastar Cunha da presidência da Câmara, não deram em nada por enquanto, face a manobras do presidente de conseguir sempre adiar a votação.

Enquanto se briga em manter ou não Dilma no governo e exigir a cassação de Cunha, pipocam cá e acolá outros escândalos de corrupção e intimações de depoimentos. Assim, surge agora o escândalo de corrupção relativo às obras de transposição do rio São Francisco e a intimação do ex-presidente Lula para depor novamente na operação Zelotes referente ao envolvimento de seu filho Luiz Claudio.

Com tudo isso, o Brasil fica em compasso de espera. Não há governo. Nos ministérios de Dilma reina a apatia, as ações estão voltadas unicamente para a defesa da presidente. O ministro Levy já está de ‘saco cheio’ de tanto desencontro do governo e, por isso, não consegue aprovação de suas propostas econômicas. A Agência Moody’s já deixou ver o descrédito no Brasil ao baixar a nota de investimento. As coisas vão de mal a pior para o Brasil. E o grande culpado, o PT, se faz de inocente. O poder o fascinou e deixou de governar para o povo para dedicar-se exclusivamente ao seu projeto de poder por vias sórdidas e escusas.

Amanhã, 13 de dezembro, há a convocação da população para sair às ruas pelo Brasil afora e exigir a saída de Dilma. Creio ser o único instrumento de pressão para fazer ver, a quem de direito, que há uma vontade de mudança, e essa mudança precisa ser feito já. O povo não aguenta mais o prolongamento dessa crise política e econômica. A vontade popular deve ser respeitada e levada em consideração pelos nossos representantes no Congresso. Quem sabe que as manifestações do dia de amanhã sirvam de sinal no qual nossos congressistas e juízes possam se inspirar para tomar suas decisões acertadas.

A semana entrante, pois, promete ebulições políticas e façamos votos que seus vapores estejam carregados de esperanças para o povo. A quarta-feira vindoura é o dia de grande expectativa em que acontece, no plenário do Judiciário, a avaliação da validade ou não da sessão do Congresso que deu como vencedora a chapa alternativa da oposição na questão do impeachment. Seria aviltante o Judiciário medir forças com o poder legislativo e até mesmo substituí-lo no processo do impeachment. Sendo um caso político, o impeachment deve ser tratado na Casa do Congresso. A participação do poder judiciário fica restrita a que se observe o que reza a Constituição para que esta não seja burlada. Independência dos poderes é sinal de democracia; caso contrário, é uma democracia de fachada; cada poder em seu galho, portanto.

Acima dos três poderes, está o poder do povo que outorgou sua vontade do ideal democrático aos três poderes constituintes de nossa Democracia, e é ele, portanto, que deve ser respeitado e enaltecido. O povo já demonstrou que não quer uma ‘cleptocracia’ e nem um poste ineficaz a representar a Democracia.

Amanhã estará de volta às ruas para relembrar aos nossos representantes os verdadeiros ideais democráticos.
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 12-12-2015




Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-