segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

O caráter podre daqueles que dizem que Ju Isen “diz que” foi agredida

Luciano Henrique



Será que Leopoldo Lopez está preso na Venezuela ou apenas algumas pessoas “dizem que” ele está preso? Será que ao invés de termos casos de dezenas de milhões de pessoas mortas na China e na Rússia, temos apenas situações onde pessoas “dizem que” muita gente morreu? Enfim, tratar os fatos inegáveis – e vergonhosos – como apenas declarações de pessoas que “dizem que” é um dos truques mais podres da extrema-esquerda. É assim que monstros morais escondem a realidade enquanto praticam barbáries sem fim.

Na BLOSTA – no caso, o Brasil247 – eles fizeram a afirmação taxativa de que a modelo Ju Isen apenas “disse que” foi agredida, quando o vídeo que vemos abaixo mostra que ela foi de fato agredida de forma covarde por um bárbaro que deveria ter sido preso em flagrante.

Pois releia a chamada textual do Brasil247:

Modelo Juliana Isen, conhecida por desfilar pelada em protestos pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, conseguiu roubar a cena durante o desfile da escola Unidos do Peruche; ela foi expulsa da avenida por despir parte de sua fantasia, em protesto após ser impedida pela escola de usar um tapa-sexo com a imagem da presidente Dilma; no meio do desfile, Juliana se despiu do macacão e foi retirada da avenida; ela diz que foi agredida por integrantes da Peruche; “Como não deixaram, fiz meu protesto por um País melhor deixando os seios à mostra”.

Para esta gente, todo tipo de barbárie contra divergentes políticos está tolerada, desde que tenham cara de pau suficiente para negar os fatos. E isso eles tem de sobra.  Alias, será coincidência que Haddad aprovou uma lei muito suspeita na última quinta-feira (4/2) para livrar escolas de samba de aluguel, perdoar IPTU atrasado e ainda aumentar o repasse para esses grupos? Tudo com dinheiro dos pagadores de impostos, é claro, mesmo que muitos não dêem a mínima para o carnaval. (Seria uma boa ideia que Ju Isen servisse de mártir para acabarmos com qualquer forma de cessão de facilidades e verbas estatais para escolas de samba, que já serviram recentemente até para apoiar ditadores sanguinários).

Um comentário de Rogério Pletz, no Facebook, foi mais que certeiro:

Modelo Ju Isen, destaque da Peruche foi brutalmente jogada para fora da avenida. O motivo é que ela queria protestar contra Dilma Rousseff.
É isso, só pode enfiar crucifixo no c* na parada gay, protestar contra o governo não pode.
#SouJuisen

A luta não é apenas contra um governo corrupto, mas contra um partido, que, junto com suas linhas auxiliares e coletivos não eleitos, representa o que há de mais moralmente perverso na história da política nacional, chegando ao cúmulo de apoiar ou incentivar agressão de mulheres que critiquem o partido.

A Unidos do Peruche merece ser desclassificada por ter agredido uma mulher de forma tão canalha e covarde. E o PT merece ser escorraçado da história política nacional.
Abaixo a imagem da vergonha bolivariana:


Título, Imagens e Texto: Luciano Henrique, Ceticismo Político, 7-2-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-