quinta-feira, 18 de agosto de 2016

O PT tem de aderir à luta armada! Ou: Cartilha do partido mente em 4 idiomas

Depois de destruir a economia, legenda se dedica agora à difamação do país

Reinaldo Azevedo
Eles não têm mesmo limites.

O PT deu início a uma campanha internacional de difamação do Brasil. E o faz em três idiomas, além do português; inglês, francês e espanhol.

O partido resolveu editar uma cartilha em que anuncia a “Caçada Judicial ao ex-presidente Lula”. O material está sendo enviado aos principais jornais do mundo. O país que sai das considerações da cartilha em nada se parece com uma democracia. O que o PT faz é denunciar uma suposta farsa judicial, voltada para a perseguição política de um homem.

Que se note: o material dá pouco destaque ao impeachment de presidente Dilma. A questão é tratada como um mero pretexto para chegar a Lula.

O Brasil que o PT retrata no material não faria feio se estivesse no lugar da Venezuela. Lá está escrito:

“Agentes partidarizados do Estado, no Ministério Público, na Polícia Federal, e no Poder Judiciário, mobilizaram-se com objetivo de encontrar um crime – qualquer um – para acusar Lula e levá-lo aos tribunais.”

Nem parece que se está a falar do país que foi governado pelo PT durante mais de 13 anos. Nem parece que 8 dos 11 membros da corte maior do país — à qual estão submetidas as decisões do Judiciário, inclusive as que dizem respeito a Lula — foram indicados por Lula ou por Dilma. Ao fazer tal observação, não estou acusando a parcialidade petista dos magistrados, mas evidenciando que não há motivo crível para apontar a sua parcialidade antipetista.

O esforço é um só, já revelado pela decisão da defesa do ex-presidente de denunciar a suposta perseguição a Lula ao Comitê de Direitos Humanos da ONU, como se isso lhe dissesse respeito.

Aponte nesta manhã que os defensores de Lula já nem se ocupam das questões que dizem respeito ao direito. Querem ver? Lula havia pedido que os casos relativos ao tríplex e ao sítio de Atibaia saíssem da alçada de Sergio Moro. Por razões técnicas, o juiz rejeitou. Em nota, os advogados sugerem que isso evidencia a falta de isenção do juiz.

Mais uma: o ministro Teori Zavascki autorizou a abertura de inquérito, a pedido da Procuradoria-Geral da República, para saber se Lula, Dilma e outros cinco cometeram crime de obstrução da Justiça. Os defensores do chefão petista emitiram outra nota cobrando que… Sergio Moro seja investigado.

Não basta ao PT ter destruído as contas públicas; não basta ao PT ter fabricado a maior recessão do país; não basta ao PT ter criado severas limitações, que vão durar mais de uma década, para o crescimento sustentado; não basta ao PT ter tentado destruir as instituições: a legenda também se dedica agora a sujar a reputação do país mundo afora. E tudo para tentar salvar a biografia do demiurgo, que não aceita se submeter às leis.

A cartilha petista é uma afronta ao Congresso Nacional e ao Poder Legislativo. Se é como diz a legenda, que os petistas, então, caiam na clandestinidade e tentem derrubar, pelas armas, um regime que já se tornou ilegítimo.

Segundo o documento, Lula é vítima de um tiro ao alvo, e três dos atiradores seriam Moro, Rodrigo Janot (procurador-geral da República) e o ministro Gilmar Mendes, do Supremo.

A cartilha também é mentirosa: diz que Lula ainda não é réu. É, sim! Já foi formalmente acusado de obstrução da Justiça.

Eis o PT na sua inteireza!
Título e Texto: Reinaldo Azevedo, VEJA, 17-8-2016

Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-