sábado, 26 de janeiro de 2019

Bolsonaro sobrevoa área atingida pela lama e deve anunciar medidas de auxílio

Presidente e o governador Romeu Zema avaliam as ações necessárias


O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, sobrevoaram na manhã deste sábado (26) a área afetada pelo rompimento da barragem de rejeitos da Vale, em Brumadinho.

O sobrevoo foi utilizado para avaliar o impacto da tragédia e estudar medidas para prestar auxílio emergencial e imediato aos afetados pela enxurrada lama.

A expectativa é que Bolsonaro anuncie ações para auxiliar o governo de MG no resgate e assistência das vítimas e para conter o avanço dos rejeitos, bem como o impacto ao meio ambiente.

Números oficiais dão conta de pelo menos nove mortos e, segundo lista de funcionários e terceirizados da Vale, havia 413 pessoas no local, sem contar moradores das imediações da barragem.

Também estavam presentes no helicóptero os ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Ricardo Salles (Meio Ambiente).

Diferenças
Apesar de ter uma cirurgia marcada, o presidente Jair Bolsonaro levou menos de 24h para chegar ao local da tragédia de Brumadinho.

A resposta é bem diferente daquela dada pelo ex-presidente Lula quando do acidente envolvendo avião da TAM no aeroporto de Congonhas. Lula sequer foi ao local e recebeu os familiares das 199 vítimas fatais cerca de dois anos depois.

Há pouco mais de três anos, outro rompimento de barragem de rejeitos, em Mariana (MG), também mostrou uma então presidente Dilma avessa a aparecer ligada a tragédias. No estado natal, Dilma levou uma semana para sair de Brasília e sobrevoar a região com o então governador de Minas Gerais Fernando Pimentel, ambos do PT
Título e Texto: Diário do Poder, 26-1-2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-