domingo, 14 de agosto de 2016

Astro da natação fica sob a mira de revólver; EUA falam em falsa blitz

Guilherme Costa, Karla Torralba, Pedro Ivo Almeida e Vinicius Konchinski
Do UOL, no Rio de Janeiro
Ouro no revezamento no 4x200 m livre da natação na Rio-2016, o norte-americano Ryan Lochte viveu experiência que descreveu como "aterrorizante" na noite carioca. O nadador foi convidado para uma festa na noite do último sábado (13) e ficou sob a mira de um revólver após sair, quando o táxi em que estava foi assaltado. A história foi reportada inicialmente pelo canal de TV Fox Sports e depois confirmada pelo UOL Esporte

Em nota enviada no início da tarde deste domingo (14), o USOC (Comitê Olímpico dos Estados Unidos) afirmou que as pessoas que abordaram Lochte estavam vestidas como policiais. Os nadadores Gunnar Bentz, Jack Conger e Jimmy Feigen também estavam no carro. Os atletas perderam dinheiro e pertences pessoais no assalto, mas todos passam bem.

“De acordo com os atletas Gunnar Bentz, Jack Conger, Jimmy Feigen e Ryan Lochte, eles deixaram a Casa França na madrugada deste domingo de táxi rumo à Vila Olímpica e foram parados por indivíduos que se passaram por policiais armados e pediram dinheiro e objetos pessoais. Todos os quatro atletas estão bem e cooperando com as autoridades”, disse Patrick Sandusky, porta-voz dos norte-americanos.

Em contato com o UOL Esporte, a Polícia Civil afirmou que vai abrir investigação sobre o caso. Ainda que a corporação desconheça queixas prestadas sobre o episódio, o inquérito será baseado nas informações do USOC.

Lochte havia sido convidado para uma comemorar o aniversário de um amigo na Casa França. O nadador Thiago Pereira também estava na festa, mas disse ter voltado ao hotel com a mulher, Gabriela - os dois estão hospedados no hotel Royal Tulip, em São Conrado, zona sul do Rio de Janeiro. O brasileiro afirmou que não estava no táxi no momento do incidente. 

O comitê organizador da Rio-2016 confirmou o episódio, mas evitou entrar em detalhes no momento. "Recebemos informações muito vagas. Houve algum incidente realmente, mas estamos aguardando mais informações. Não temos mais detalhes", explicou Mário Andrada, diretor de comunicação da Rio-2016. Mais tarde, na manhã deste domingo, afirmou que a história contada nos jornais dos EUA não condizem exatamente com a verdade. 

O USA Today falou com a mãe do nadador, Ileana Lochte, que contou pela primeira vez a versão de que ele foi roubado. “Eu acho que todos estão abalados, havia um pessoal com ele. Levaram apenas algumas carteiras, basicamente isso.” David Marsh, técnico de Lochte, ainda não tinha localizado o atleta para confirmar a história.

Além do ouro no revezamento, Lochte foi quinto colocado nos 200 m medley. Ele tem 11 pódios olímpicos na carreira e pendura medalhas dos Jogos desde Atenas-2004.

O nadador Nathan Adrian, que está na delegação norte-americana, mas não estava no grupo, comentou o episódio.  "O fato não muda a experiência. Nós nos sentimos seguros,  confiamos nas pessoas que estão nos protegendo. Estou feliz que todos estão a salvo. Essa é a prioridade para todos", disse. 
Título e Texto: Guilherme Costa, Karla Torralba, Pedro Ivo Almeida e Vinicius Konchinski, do UOL, no Rio de Janeiro, 14-8-2016

Um comentário:

  1. Que vergonha! São uns FDPs, mentirosos, já foram desmentidos, publicamente pelos Delegados do Rio. Devem ser enquadrados nos termos da lei. Se fosse o caso, nossos atletas lá, já estariam em cana. Portanto, que pensam que são!

    Heitor Rudolfo Volkart

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-