quarta-feira, 25 de março de 2015

Aumento do consumo e dos pedidos de fatura fazem disparar receita do IVA

Receita cobrada teve o melhor arranque desde 2011, quando o governo do PS aumentou a taxa máxima para 23%. Segundo as Finanças, a subida de quase 8% reflete o maior consumo e o combate à fraude.

Foto: Vítor Rios/Global Imagens
A receita cobrada em IVA teve o melhor arranque do ano desde 2011, altura em que o anterior governo do PS, liderado por José Sócrates, decidiu aumentar a taxa normal do imposto de 21% para 23%. Segundo as Finanças, a subida de quase 8% na receita do IVA nos primeiros dois meses do ano (face a igual período de 2014) reflete o maior consumo de famílias e o combate à fraude.

Em todo o caso, nem tudo é fruto do combate à fraude e à evasão. A retoma dos hábitos de consumo dos portugueses explica bastante bem o ritmo de enchimento dos cofres do Estado. Por exemplo, a tributação associada aos automóveis - ISV (Imposto sobre Veículos), IUC (Imposto Único de Circulação) e ISP (sobre os produtos petrolíferos) - também apresentou uma subida significativa, ajudando a receita fiscal líquida acumulada do Estado a chegar aos 365 milhões de euros no final de fevereiro, mais 2,1% face a igual mês de 2014.


Banco de Portugal vê retoma mais forte neste ano e no próximo

Este ano, procura interna ainda domina, mas em 2016 economia volta a crescer puxada pelas exportações.
A economia portuguesa deve crescer mais do que o esperado há três meses, diz o Banco de Portugal. Em vez dos 1,5% em 2015 projetados em dezembro, o banco central espera agora uma expansão de 1,7%. Em 2016, a economia pode crescer 1,9% em vez de 1,6%.
Luís Reis Ribeiro, Diário de Notícias, 25-3-2015

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-