sábado, 28 de março de 2015

LATAM... ou LAM TAM... Uma mistura sem cara brasileira...


Valdemar Habitzreuter
Pois é, dei-me ao luxo de tirar férias das férias que a aposentadoria me proporciona. Foi Miami a escolha como destino. É uma cidade maravilhosa, banhada de águas navegáveis. Um cruzeiro pelas Bahamas foi uma tentação ao ver os enormes navios atracados no porto de Miami. E lá fomos nós, eu e minha esposa, para um cruzeiro.

Mas, viajar de férias não quer dizer que o mundo é só sorrisos. Há muita cara feia te encarando. Chega-se em certos aeroportos e percebe-se que o passageiro é considerado um mal necessário pelos funcionários das companhias aéreas e também de outros departamentos. Tem-se a sensação de estarmos diante de robôs frios, sem sentimentos, no trato com o cliente. O sorriso, a simpatia cativante que deveria transparecer no atendimento ao passageiro dá lugar a fisionomias carrancudas com ordens e exigências. É claro, nem todos se portam como tal, e nem em todos os aeroportos.

Um exemplo, no embarque em Miami, na volta para o Brasil: no check-in de Miami foi notável a falta de cordialidade das atendentes. Parece que não receberam treinamento de boa educação. Portam-se como sargentas dando ordens. Ai de você ultrapassar um quilinho a mais dos 5k de bagagem de mão que tem direito. Obrigam você a desfazer-se do excesso e alocar em outra bagagem a ser despachada. Procede-se, então, a um verdadeiro espetáculo de abre e fecha malas para distribuir o peso, e isso aos olhos de todo mundo, atrasando o check-in.

LAN e TAM compartilham o serviço de check-in em Miami. Há discrepâncias de atendimento. As atendentes da LAN são rudes, sem treinamento de um bom atendimento ao cliente. As da TAM são mais acessíveis e gentis.

Check in Miami, imagem daqui.

Faz-se necessária uma uniformização de postura para um bom atendimento.

Por ora esta mistura LAN TAM não rima bem, falta o ingrediente do genuíno profissionalismo que se exige de uma empresa aérea no atendimento de seus passageiros. Outrora tínhamos a Varig que era glorificada pelos seus usuários, mas que, infelizmente, não suportou a crise econômica da época e a sovinice de um governo que a deixou à deriva, permitindo que um patrimônio nacional de importância capital fosse à falência. 

E agora temos a LATAM, uma companhia sem cara brasileira. O Brasil, pois fica privado de uma genuína representatividade internacional no setor aéreo.

TAMos na m...ediocridade com LATAM... 
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 28-3-2015

2 comentários:

  1. A aviação no Brasil era azul e amarelo ficou ROXA.

    ResponderExcluir
  2. Estou cada vez mais certo de que cada país tem a empresa aérea que merece
    Ou melhor todos tem o que merecem
    Ou melhor todos são responsáveis por sua escolhas
    Haja visto o atoleiro em que estamos
    José manuel

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-