quarta-feira, 29 de abril de 2015

UOL tenta um truque inacreditável: usar o desejo de menores infratores por impunidade para validar a impunidade

Luciano Henrique

O UOL publicou ontem uma reportagem inacreditável cujo título é “Da cadeia você sai mais revoltado, diz menor sobre redução da maioridade”. Ela é suficiente para mostrar a deformação moral da mídia de esquerda.

A argumentação é simples e apavorante: menores infratores afirmam serem contrários à redução a maioridade penal, logo o melhor é deixar de puni-los. O curioso é que eles até já aprenderam a usar rotinas desonestas como “a redução não resolveria o problema”. Mas quem disse que o problema é a redução dos índices estatísticos de violência? O problema primeiro aqui é a violência sancionada pelo estado, além da injustiça de soltar um criminoso violento nas ruas.

Daí o argumento dos menores é que na Fundação CASA é possível “uma melhor recuperação”. O engraçado é que pessoas que não tem vergonha na cara de dizer “estou me recuperando da mania de cometer crimes” já são pessoas irrecuperável. Não há qualquer chance dessas pessoas demonstrarem qualquer senso moral daí pra frente, até por que já foi ensinado a elas que as culpas devem ser terceirizadas. Prestem atenção: não confie em nenhum ser humano que diga que sua “recuperação” (em termos morais) depende dos outros. Pessoas assim são perigosas. Todas.

Outro menor afirmou que sairia mais “revoltado” da cadeia. Mas dependendo do crime, a questão não é “sair” da cadeia, mas ficar por lá um bom tempo. E quem disse que a “revolta” que conta é a do bandido e não a da vítima? Quer dizer que se um menor estuprar e matar uma garota, é melhor ele ficar apenas 3 anos descansando ao invés de uns 15 ou 20 em uma prisão para evitar que ele “se revolte”? Mas para a família da vítima, não há problema de ficarem revoltados, certo? Já aprenderam a ser cínicos mesmo. Como já disse, não há recuperação para isso. A matéria do UOL simplesmente mostra uma série de casos perdidos.

Imaginem a cena onde uma criança diz aos pais: “Por favor, não cortem minha mesada, senão eu vou ficar revoltado”. O que você acha que ocorreria? Enfim, a quem o UOL quer enganar com esta matéria indecente?

Como a matéria é pró-impunidade, não iria trazer obviedades como: (1) se o menor não quiser ficar revoltado em ir para a prisão, a melhor coisa é não fazer por merecer ir pra lá, (2) se o bandido sair mais revoltado da cadeia, o problema não é nosso, (3) ensinar pessoas a se fingirem de vítimas e transferirem suas responsabilidades é torná-las irrecuperáveis. 
Título, Imagem e Texto: Luciano Henrique, Ceticismo Político, 29-4-2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-