sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Síntese de hoje, amanhã e todos os dias seguintes até o regresso da troika

Vitor Cunha
É um erro comparar a austeridade do PS com a austeridade do governo anterior. A austeridade do PS é para nosso bem, a anterior era para nos prejudicar. Aliás, a austeridade do governo anterior era ideológica, ao contrário da austeridade do PS, que é bondosa e desprovida de ideologia, como só bons socialistas conseguem desprover.

O problema é que a austeridade do governo anterior se devia à doidice de pretenderem ser bons alunos; felizmente, a austeridade do PS é precisamente pelo motivo contrário, pela necessidade de aplicar austeridade para acabar de vez com a austeridade.

O governo anterior aplicou austeridade por se vergar aos mercados, à Comissão Europeia, à Merkel e às agências de rating; o governo PS aplica austeridade para mostrar que quem manda em Portugal são os portugueses que precisam de austeridade para se afirmarem como a luz que alumia o caminho para o fim da austeridade.

O governo anterior viu na austeridade um escape para a sua incompetência; o governo PS vê na austeridade uma consequência da crise internacional, do desenho do euro e do aquecimento global provocado pelo governo anterior que aplicava austeridade.

O governo anterior nunca teve uma crise internacional, um mau desenho do euro ou aquecimento global; ao governo do PS só acontecem tragédias internacionais.

O governo anterior aplicou austeridade, o PS combate a austeridade através da austeridade necessária para acabar de vez com a austeridade que não funciona e deve terminar imediatamente através de medidas de austeridade.

Era óbvio que o governo anterior tinha todas as provas de que a austeridade não funcionava; o governo PS mostra a esses irresponsáveis da direita austeritária que a austeridade é desnecessária através de uma aplicação criteriosa de austeridade para enterrar de vez o cadáver da austeridade.

O governo anterior tem culpas imperdoáveis pela austeridade; o governo PS tem que impor austeridade para reverter definitivamente a austeridade imposta pelo anterior governo austeritário.

O PSD e o CDS usavam como desculpa para a austeridade a falta de dinheiro para financiar o Estado deficitário; o governo PS mostra aos portugueses que a austeridade é má através de austeridade que permita continuar a financiar um Estado mais deficitário.

Austeridade como no governo anterior nunca mais, pá; austeridade agora só deve servir para garantir austeridade de qualidade no futuro.

O governo anterior via as pessoas como números; o governo PS vê as pessoas como contribuintes humanos e carros que pagam imposto através do rendimento próprio obtido por levarem pessoas de um lado para o outro.

O PSD e o CDS queriam o mal do país; o PS quer o bem do país, mesmo que o país não queira o PS a querer seja o que for para o país. O PS é bom, o problema são os portugueses incapazes de verem a bondade do PS.

O que o PS precisava mesmo era de outros portugueses, portugueses de jeito em vez de portugueses que não vêem no PS a salvação dos portugueses fartinhos de verem o PS a gozar com os portugueses.

Se não houvesse portugueses, o PS ganhava com maioria absoluta as eleições para governar os portugueses que sabem como devem ser governados pelo PS, os únicos que compreendem a austeridade como o único caminho para acabar com a austeridade.
Título e Texto: Vitor Cunha, Blasfémias, 12-2-2016

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-