sábado, 11 de fevereiro de 2017

Ex-Comissária propõe debate sobre acordo que abrevie sofrimento

Teresa Aranha

Aos meus ex-colegas da extinta VARIG,

Não sei vocês, mas não há um dia em que eu não pense em como a minha vida poderia estar bem melhor se eu tivesse recebido os meus direitos trabalhistas e previdenciários.
Especialmente nos últimos tempos, que não têm sido nada fáceis...

Esse pensamento sempre me remete a momentos de tristeza, de desesperança, quando não a uma indignação enorme diante de tanta injustiça.

É verdadeiramente humilhante tanto descaso. Dói.

Percebo o quanto esses sentimentos de raiva, frustração, humilhação, decepção e desesperança corroem a alma da gente e nos roubam todos os dias um pouco da nossa saúde e dos nossos sonhos. Mas, fazer o quê? Inevitável não pensar. Impossível não sentir. E vamos seguindo...

Quantos já sucumbiram?

Acontecimentos recentes acenderam em mim uma "chaminha" de esperança e resolvi buscar informações atualizadas sobre os nossos processos, para tentar compreender “em que pé” que estavam as coisas, e especialmente o que poderia esperar e por quanto tempo mais.

Não sou advogada, busquei algum auxílio com profissionais e colegas mais inteirados no assunto.
Tive acesso a alguns documentos que copiei, li bastante e também perguntei muito…
O que apurei não foi ruim. Muito ao contrário.

Ações seguiram seus cursos, muito lentamente, mas se encaminham (uma já com sentença) para decisões favoráveis e até inéditas em nosso favor. Tive, por um momento, uma sensação de vitória. Ganhamos! Mas, passou rápido.

Porque se uma coisa é certa no Brasil é a morosidade da nossa justiça. E aqui ainda vale a praxe do “ganha, mas não leva"...
De modo que, mesmo com tudo praticamente definido e ganho, na melhor das expectativas teremos que esperar mais cinco, dez anos, (dependendo do caso), ou mais, para pormos as mãos no nosso precioso dinheirinho...

Dessa vez não me deixei abater e comecei a pensar muito num caminho que pudesse abreviar nosso sofrimento e fazer com que tenhamos o nosso dinheiro no prazo menor possível.
Ele existe: "ACORDÃO".

Quem já moveu qualquer ação indenizatória sabe que sempre se tem uma oportunidade de acordo dentro do processo.

Será que não está mais do que na hora de nos movermos nesse sentido?
Quanto tempo mais estamos dispostos a esperar?
Será que vai valer a pena?

Tenho pensado muito nisso e, sinceramente, se me oferecessem um acordo eu topava agora. Sem nenhuma sombra de dúvida. E você?

Estamos envelhecendo e alguns de nós já partiram sem nada receber.

Será que não está na hora de fazermos juntos um último esforço para virarmos essa página de nossa vida? A escolha é nossa e está em nossas mãos.

Por que não considerar seriamente essa possibilidade, enquanto ela existe?

Beijos,

Teresa Aranha

EM TEMPO: A intenção do meu texto é a de propor uma reflexão sobre um possível "acordão", como uma opção para recebermos nossos créditos e não um debate jurídico sobre isso, que deixaremos para os profissionais competentes, no momento oportuno.
Tudo a seu tempo!
Gostaria de saber quantos de nós simpatizam com a ideia.

Também ressalto que essa é uma proposta que abrange todos os credores, e não faz oposição ao grupo que está se organizando para eleger um representante para fiscalizar a Massa Falida da VARIG e tratar dos Créditos Trabalhistas. 
Texto: Teresa Aranha, ex-Comissária de Voo na Varig, Facebook, 11-2-2017

53 comentários:

  1. Bem minha querida, na justiça de falências não existe ACORDO, INFELIZMENTE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As ações ACP SNAXUnião nada tem com "lei de falência" A de Defasagem Tarif também não, a do ICMS tambem não e a da 3ª fonte? Precisamos analizar melhor as coisas...

      Excluir
    2. Nem tudo é credito trablhista. A maior parte não é. Ganhamos ações importantes contra a União movidas pelo SNA e AERUS.

      Excluir
  2. É verdade. Sempre vislumbrei essa possiblidade, tendo em vista todas as " pisadas na bola" do nosso governo com a Varig e o fundo de pensão Aerus. Defasagem Tarifária já ganha. Faltam 3 votos. 3a fonte do Aerus. Outra ilegalidade cometida, ao ser interrompida pelo Canhedo e um Brigadeiro do DAC. . Os ICMSs dos estados não pagos à Varig, enfim...
    A mesma acabou de informar, que foi denunciada no FB e provavelmente por essa belíssima e bem escrita carta, estar fazendo com que as pessoas parem de somente olhar para a " sombra de dentro da caverna "". Excelente texto Teresa. Em dois anos, eu não consegui atingir esse objetivo, que vc com muita verdade de sentimento e questionamento, conseguiu. Tens minha admiração e apoio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amada Miriam, não podemos esquecer a ação mais importânte, Ação Civil Publica, ação essa que paga a tutela hoje dos aposentados, e que na decisão do hoje Des. Jamil quita a divida do Aerus para todos, ativos, aposentados, pensionistas e herdeiros.

      Rejane Montresor

      Excluir
    2. Com certeza Rejane. Apenas não a incluí por eu a considerar já ganha e vitoriosa. Bjnhos.

      Excluir
    3. Muito obrigada pelas palavras Miriam. Estou surpresa de como o meu "desabafo" mexeu com meus colegas. Tenho a impressão que essa sinergia de sentimentos de repente está nos unindo, no despertando e espero, nos fortalecendo como um grupo disposto a assumir os rumos da própria vida...

      Excluir
  3. Boa tarde Teresa! Como já havia mencionado numa postagem anterior no facebook, considero a possibilidade de fazermos um acordo como algo plausível. Por que não? Teremos perdas financeiras? Penso que sim. Contudo, quanto tempo mais vamos esperar - ou perder - diante do imobilismo da "justiça" brasileira? Vale a pena? É uma escolha que podemos fazer enquanto estamos aqui lutando por algo que a própria "justiça" nos deu como causa ganha e de direito. Vamos pensar a respeito dessa possibilidade ( ou de outra viável) e escolher o que for benéfico para todos nós. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso Marlos, chega né? Precisamos dar esse passo e sair da condição de observadores dessa (in)justiça para começar a construir unidos uma nova "formula" para a solução de nossos problemas! bj

      Excluir
  4. Cara Teresa Aranha excelente seu texto propondo um Acordo. Muito bom. É por aí mesmo Teresa. Se não nos mexermos e nós mesmos irmos atrás deste acordo, mesmo perdendo alguma coisa, poderemos nunca reaver o que este desgoverno do PT nos tirou. Parabenizo a vc pelo texto. Temos que lutar até a questão Defasagem Tarifária estiver completamente resolvida. A Varig ganhou em 12 de março de 2014 e no dia 12 de março de 2017 fará tres anos e até agora a Varig não recebeu o que tem de direito e não pode com isto pagar aos credores. Inclusive o AERUS. Muito bom o seu texto. Abraços fraternos. Não podemos jamais desistir da nossa luta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço de coração pela palavras de incentivo.
      Espero que esse movimento ganhe a força necessária para que finalmente possamos virar esta página infeliz da nossa história. Não, não vamos desistir.
      bj

      Excluir
  5. Bem, muito relevante, importante debatermos este tema! Sim, temos que nos mobilizar para chegarmos a uma definição, tanto credores privilegiados como ativos, enfim, todos.

    Creio que primeiro, junto ao STF, onde o Ministro que nos comparou com uma birosca, engavetou e está retardando o final deste processo, e precisa ser posto em pauta, temos que nos manifestar quanto a isto.

    Onde está a Presidente do STF, que disse se sensibilizar com Causas que envolvia idosos e aposentados? Um Acordo exige "vontade" de ambas as partes. Com a TRF CONCLUÍDA, teremos argumentos, junto com a AC para um bom Acordo.

    Também sou a favor de um Acordo, pois somos idosos, e quero desfrutar o que conquistei, meus herdeiros estão todos muito bem encaminhados na vida, tenho certeza que estarão melhores que Eu, mesmo que tenhamos alguma perda em um Acordo, sou favorável à ele.

    Esta é minha opinião, e penso que todos deveriam se manifestar a respeito, se sim ou se não, não podemos mais ficar de braços cruzados no sofá, esperando as decisões judiciais, vamos deixar de ser omissos, a vida passa, e muito rápido.
    Teresa, muito bom seu texto!
    Nós Beneficiários, Pensionistas, Ativos, enfim, VAMOS ACORDAR!!! Reflitam!!!
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada.
      Não sabe o quanto fico feliz em perceber que sou apenas mais uma que está acordando...
      Tomara muitos de nós reflitam e se juntem nesse intuito.
      bj

      Excluir
  6. O OBJETO DA AÇÃO CIVIL PÚBLICA ERA A ANTECIPAÇÃO DE TUTELA DOS PENSIONISTAS E PARTICIPANTES DO AERUS.
    EM 2012 O SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA SUSPENDEU TODAS AÇÕES TRABALHISTAS FORA DA VARA DE FALÊNCIAS DECLARANDO QUE TODAS AÇÕES TRABALHISTAS SÃO DE RESPONSABILIDADE DA VARA EMPRESARIAL.
    A TERCEIRA FONTE É APENAS OBJETO DO AERUS.

    A ÚNICA POSSIBILIDADE DE ACORDO TRABALHISTA VIA PRIMEIRA VARA EMPRESARIAL DO RIO DE JANEIRO É SE A DEFASAGEM TARIFÁRIA FOR PAGA.
    MESMO ASSIM SUSCETÍVEL AOS CREDORES DE PRIMEIRA CLASSE.
    A VARA EMPRESARIAL NÃO PODE FAZER ACORDOS, DVE ESTABELECER A LISTA DE CREDORES E PAGÁ-LOS PROPORCIONALMENTE.
    TEM MUITA GENTE ESPALHANDO BOATOS.
    EU SOU CREDOR TRABALHISTA, E PENSIONISTA DO AERUS.
    E ACOMPANHO TODAS AS MOVIMENTAÇÕES JURÍDICAS.
    APENAS AVISO A TODOS QUE CADA AÇÃO JUDICIAL IMPETRADA INDIVIDUALMENTE ATRASA TODO O PROCESSO COLETIVO EM PELO MENOS 6 MESES.

    SEI QUE MUITOS PRECISAM, EU TAMBÉM FAÇO PARTE.
    A AÇÃO DE DEFASAGEM TARIFÁRIA SE ESTENDE POR CAUSA DE AÇÕES INDIVIDUAIS.
    HÁ DE DIFERENCIAR-SE AS AÇÕES JURÍDICAS DO AERUS DAS TRABALHISTAS.
    SÃO OBJETOS JURÍDICOS DIFERENTES.
    A NOVA LEI DE FALÊNCIAS DE 2006 DO MONSTRO DE GARANHUNS, TIROU A RESPONSABILIDADE TRABALHISTA DOS COMPRADORES E AS PASSOU LITERALMENTE À MASSA FALIDA.

    HÁ MUITAS FOFOCAS NOS BASTIDORES.
    DE QUALQUER FORMA NO AERUS QUALQUER ACORDO INDIVIDUAL NÃO PODE SER FEITO POIS A AÇÃO É COLETIVA.
    SOMENTE APÓS O RESULTADO JURÍDICO DEFINIDO PODER-SE-IA TENTAR ACORDOS INDIVIDUAIS.
    Se isso fosse possível como argumental alguns, as dívidas do Infraero, Petrobrás, General Eletric, etc... estariam cobrando numa ACP.
    Não podem e cobram na vara de empresarial.
    A senhorita Tereza Aranha tem a receber cerca de 7300 reais DE CRÉDITO HOMOLOGADO dos quais receberá 2312,00 nos próximos meses.
    Como não me escondo eis o meu crédito trabalhista:
    VANDERLEI DOS SANTOS ROCHA SAVARG -
    95.785,36 A RECEBER - 7.589,46 A PAGAR
    TODOS OS CRÉDITOS HOMOLOGADOS ESTÃO AQUI:
    http://ffx.com.br/nordeste/attachments/article/792/Rela%C3%A7%C3%A3o%20de%20Credores%20Trabalhistas%20-%20Rateio%2082M.pdf

    TODOS OS CRÉDITOS TRABALHISTAS INICIAIS ESTÃO AQUI:
    http://ffx.com.br/nordeste/attachments/article/106/QGC_FALENCIA_CL_1.pdf

    Só para constar a dívida da VARIG com a previdência social era de:
    PREVIDÊNCIA SOCIAL SAVARG REAL 1.086.412.528,49 em 2006.
    Desculpe-me qualquer mal entendido.
    Eu não faço acordos individuais em processo coletivos.
    fui...

    ResponderExcluir
  7. Excelente repercussão: em duas horas quase 400 acessos!

    ResponderExcluir
  8. Então, a ACP tem uma sentença do Exmo Juiz Jamyl, a qual o Exmo Desembargador está se guiando, e a Tarifária está entregue em juízo como garantia ao Aerus, e este é o grande Trunfo do Aerus, poder fazer um grande Acordo, sim Coletivo, e penso que devemos nos mobilizar em relação a isto, não tem lei de Falências neste caso, quanto aos créditos Trabalhistas, o Saldo da Tarifária será para tal. A Urgência em todos os casos é a mesma, pois somos todos idosos, e o Estatuto do Idoso, fica onde? Quero um Acordo sim, e Coletivo, representado pela Aprus por exemplo!

    Heitor Rudolfo Volkart

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro Heitor,
      A ACP tem uma liminar, ainda não há sentença definitiva.
      A TARIFÁRIA é garantia do AERUS e dos credores trabalhistas, e empresariais, assim como dívidas com a União.
      Se ganharmos a ACP, os atrasados serão pagos em PRECATÓRIOS FEDERAIS, aí cada um faça o acordo que quiser.
      Eu particularmente, não faria.
      Precatórios federais são pagos através de LDOs.
      A decisão da defasagem tarifária vai demorar mais do que vocês possam pensar.
      A dívida da União com a Varig pode ultrapassar a cifra de 120 bilhões de reais, e do jeito que vai nossa economia, vai ser protelada de todas as maneiras.
      Como já escrevi diversas vezes nesse blogue, quero continuar vivendo sem as malditas esperanças de receber os atrasados.
      Se não for meu, será de minha esposa, pois, sou plano I e a pensão dela será vitalícia integral.
      Meu cunhado era comandante, hoje voa Etihad, tem créditos trabalhistas à receber.
      Todos os falsos acordos tentados eram para pagamentos da antecipação de tutela do AERUS.
      Acho na minha modesta opinião que devemos esperar as decisões judiciais em questão.
      Qualquer tentativa de tentar modificá-las é mexer no penico, e isso fede.
      Vejamso que o teto do INSS era de 10 salários mínimos, e hoje é 50% disso.
      Todas as ações que pus contra o INSS foram perdidas, pois me aposentei com 100%, mesmo pagando 20 anos sobre 20 salários.
      Acordos para receber os atrasados do AERUS somente depois da sentença definitiva, e dos precatórios estarem na sentença.
      Vejam que até agora o Juiz da Ação Pública que nos deu a antecipação de tutela, não escreveu nada sobre os atrasados, e estes podem ser motivos para outra ação reparatória.
      NÃO TOMEM ATITUDES AÇODADAS E PRECIPITADAS.
      ESPEREM A JUSTIÇA FAZER-SE.
      Bom dia...
      Não acreditem em boatos, isso desestabiliza o contexto geral de todos.




      Excluir
    2. Sim, Rochinha sem criar mais polêmica, suas colocações não são todas corretas, e sim seu ponto de vista, por exemplo: A SL 127 do STF diz: Se transitada e julgada a Ação, em 1' Estância, que se cumpra, e foi o que ocorreu, com a Sentença do Exmo Juiz Jamyl, a qual serve e está sendo o Alicerce do TRF1 , e ela, talvez não lestes com atenção, diz que os valores "os atrasados" deverão ser pagos em Montantes Individuais corrigidos pela Selic, não tem nada, e não diz nada com Precatórios, e a Tutela deverá ser Definitiva, está Provisória, até o término do julgamento da ACP, que está em Apelação. Quanto a Ação Tarifária pode demorar, e "é esta que penso que temos que nos mobilizar" junto ao STF, precisa ser posta em pauta. Só aí poderemos pensar em Acordos. Ok?
      Um abs
      Heitor Volkart

      Excluir
  9. Você mesmo me deu RAZÃO.
    SIM LÁ FALA DOS ATRASADOS.
    AGORA VOCÊ SABE COMO A UNIÃO PAGA OS ATRASADOS?
    EM PRECATÓRIOS QUE DEVEM SER OBJETOS DAS LEIS DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS.
    SE INCLUÍDOS ATÉ JULHO SÃO PAGOS NO MESMO ANO.
    APÓS A DECISÃO FINAL DE PAGAMENTO QUALQUER UM PODE NEGOCIAR COM O PESSOAL QUE COMPRA PRECATÓRIOS.

    VOLTANDO A ESCREVER DÍVIDAS JUDICIAIS DA UNIÃO SÃO PAGAS EM PRECATÓRIOS E DEVEM CONSTAR NAS LDOs.
    A minha única dúvida é se pode parcelar ou não, e não estou preocupado com isso nem vou procurar jurisprudências sobre o assunto.
    Não criei polêmicas.
    Apenas me restringi a lei.
    Temos de separar os alhos dos bugalhos.
    AERUS e ações trabalhistas nada tem a ver.
    No juris esperneandis todos tem razão.
    fui...



    ResponderExcluir
  10. Ok! Todas as Dívidas Judiciais da União terão que ser inclusas na LDO e LOA todos os anos, como está sendo nossa Tutela, Isto está claro, e que devem ser inclusos até 30 de junho, para serem pagos no ano seguinte, isto tbm é claro. Quanto ao parcelamento será, se fizermos algum Acordo.
    Vamos em frente! Estes "Atrasados" não são tão urgentes, como a definição da Tutela, e a Tarifária pode acelerar isto, mas, não abro mão dos Atrasados, pois foram muitos anos de angústias e danos irreparáveis, como Vc, tbm sou do Plano 1 e sofremos muito este tempo todo.
    Abs,
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir
  11. Grato Heitor, quase perfeito.
    Se incluso na LDO até final de julho, pagamento no mesmo ano.
    Se incluso na LDO em dezembro, pagamento no ano que segue.
    Sei que os atrasados modificariam a vida de muitos de nós, mas a tutela no momento é o mais importante.
    bom dia

    ResponderExcluir
  12. Acho que o editor deveria publicar a última mensagem da Aprus, para que todos tomem conhecimento , por que ninguém quer tomar, ninguém quer conhecer ou participar da Aprus, que é a única representante oficial dos aposentados e também dos ativos, que pode, e tem CNPJ para isso.
    Ficam acreditando e endeusando pessoas fora do nosso ambiente Varig, Transbrasil e Aerus, que nunca foram tripulantes da Varig, sequer funcionários. Seria bom que a mensagem fosse postada para verem que atitudes de projetos de acordos já estão sendo elaborados há muito tempo entre as partes associativas. Mas somos um grupo que prefere as atitudes unilaterais ao invés das atitudes em grupo. Só falam sobre a antipatia à Aprus, mas não conhecem, nem querem conhecer, não se sabe bem o por quê, o que é feito incessantemente, inclusive com a troca de interventores nocivos aos sistema Aerus. E, para que isso aconteça, é bom lembrar as idas e vinda á Previc para que isso aconteça. É bom começar a refletir se realmente não existem pessoas trabalhando de há muito , inclusive para um acordo, antes de se escrever algo sobre o assunto.
    José Manuel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José,
      Por favor, sinta-se muito à vontade em postar aqui a última mensagem da Aprus.
      Obrigado.

      Excluir
  13. Posso estar errado , mas em ações previdenciárias, diga-se " alimentares ", não existe a figura do precatório. Nesse tipo de ações o governo após perder todos os recursos , apenas tem que pagar.
    José Manuel

    ResponderExcluir
  14. JM, Vc está corretíssimo, este tipo de Sentença, não tem Precatórios.
    E tbm certíssimo quanto a Aprus, este é o órgão oficial que temos, e que tem legitimidade para "cuidar" de nossos interesses, sê simpatizamos ou não, não importa, o importante é apoiarmos quem é devido.
    É um valor de mensalidade irrisório, e nos dá uma defesa legal juridicamente. Sei que o grupo da Transbrasil, detesta a Aprus, e apoia a mensageira da fentac, será que são Petistas? Ou o que? Temos que nos unir em prol da legitimidade.
    Heitor Rudolfo Volkart

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E digo mais: As Comissões-RS e outras, onde estão? O que fazem? As pessoas que sempre admirei, após o Salão Verde, em Brasília, que denominamos de Guerreiros, onde estão? Omissos? FEs, Cmros, Cmtes , Pessoal do RH de Poa, e outros, porque não nos unimos? Qual é a rivalidade, do Sul com o Rio? Todos temos o mesmo interesse!
      A Aprus é o órgão Legítimo a nos representar! Vamos somar forças! Caramba, tanto os admirei!
      Heitor Volkart

      Excluir
  15. RESPONDENDO AO JM e HV
    NÃO TENHAM MEDO DA PALAVRA PRECATÓRIOS.

    PRECATÓRIO É: Uma espécie de requisição de pagamento de determinada quantia a que a Fazenda Pública foi condenada em processo judicial, para valores totais acima de 60 salários mínimos por beneficiário.

    APÓS TRANSITO EM JULGADO SÓ PODE SER PAGA QUANDO ESTIVER NUMA LDO...

    Vocês estão confundindo com precatórios estaduais e municipais que só podem comprometer 1%, se não me falhe a memória do orçamento público.

    Qualquer dívida do governo federal que dependa de autorização da lei de diretrizes orçamentárias é um PRECATÓRIO.
    Por favor não me levem a mal, mas deturpam a palavra.
    Aproveitando um site jurídico:

    Quando uma pessoa aciona o Estado, em qualquer de suas esferas, o processo vai transitar na Justiça. Quando chegar à última instância, sem possibilidade de qualquer recurso e o autor ganhar a questão, o Juiz competente expedirá precatório, determinando o pagamento da dívida pelo Estado.
    Por sua vez, os precatórios apresentados até 01 de julho de cada ano, serão necessariamente pagos até o final do exercício do ano seguinte, tendo seus valores atualizados monetariamente. Para tal, a administração pública deve prever recursos no seu orçamento anual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Rochinha, agora Vc descreveu corretamente a questão, a palavra Precatórios nos leva a um "papel" de crédito a receber, e não é isto, é sim um valor a ser pago. Este tem que entrar em pauta até 30/06, para que a CMO análise e aprove, para que entre na LDO, que será aprovada no Congresso até o final de dezembro, para que seja paga no ano seguinte.
      Tbm não tenho medo da palavra, Precatórios, e sim quero recebê-los.
      Como Vc diz fui...abs.
      Heitor Volkart

      Excluir
    2. PS: concluindo, nosso caso, não é uma dívida do Estado, para originar precatórios, e sim da União! É.... É o legado que o FDP DEIXOU para governantes Futuros!

      Heitor Rudolfo Volkart

      Excluir
    3. Continua sendo precatório, pois é dívida judicial, o juiz precisa emitir um apara a união.
      Você é que não quer dar o braço a torcer...

      Excluir
    4. Voltando ao velho ditado, como é difícil a verdade.

      Excluir
    5. UNIÃO = ESTADO = REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL
      ESTADO QUALQUER ENTIDADE LIGADA A UMA REPÚBLICA FEDERATIVA, OU A PRÓPRIA FEDERAÇÃO.

      Excluir
  16. Mensagem da APRUS:

    De: APRUS
    Data: 13 de fevereiro de 2017 11:35:08 BRT
    Para: hrv12@hotmail.com
    Assunto: Mensagem do Presidente da APRUS
    Responder A: APRUS

    A APRUS nunca pretendeu determinar verdades absolutas, entretanto, seu presidente e assessorias técnicas sempre analisaram os problemas buscando suas origens e adotando o melhor tratamento ao caso.

    Assim, procuramos desde o início estabelecer uma boa comunicação com o AERUS, seus liquidantes e gerentes, obtendo, assim, sempre um posicionamento que gerou os seguintes resultados:

    Em 2006, foram solicitadas por ofício ao AERUS, pelo então Presidente Osmar Gabriel Falco, informações sobre a forma como ocorreu a separação dos planos de previdência da VARILOG e VEM. Tendo, então, o liquidante da época obtido da PREVIC o estabelecimento de uma Comissão de Inquérito legalmente constituída e a contratação de uma empresa de consultoria com especialidade atuarial, a CONSULTORYS, chegaram a resultados técnicos[A1] semelhantes, regularizando uma situação financeira na qual a VARIGLOG devolveu determinado valor aos planos I e II da VARIG.

    O mesmo resultado, indevidamente, ocorreu com a VEM, o que, embora por motivos que não nos interessa polemizar, gerou uma ação judicial da APRUS contra o AERUS e VEM (TAP).

    A partir de 2011, então, começamos a nos focar cada vez mais no conhecimentos sobre o AERUS e suas ações chamadas de Tarifária e a da Terceira Fonte.

    A ação da Terceira Fonte, embora com um parecer inicial de prescrita, é um processo previdenciário, não devendo estar prescrito, pois seu contrato de 30 anos não poderia ter sido rompido, e jamais tal fato ser aceito pela antiga SPC, Secretaria de Previdência Complementar, que conforme suas atribuições, vide lei 109, deveria ter invalidado tal decisão.

    Nunca houve por parte da APRUS qualquer ingerência ou movimento com relação à Ação Civil Pública, que embora beneficie a todos da TRANSBRASIL e VARIG, sua gestão pertence ao SNA/FENTAC. Ressaltamos sempre que sua vitória nos permitiu voltar a uma vida digna, e mais uma vez agradecemos pelos seus bons efeitos.

    Procuramos elaborar um acordo, e no ano de 2016, após o levantamento de informações que permitiram uma real visão do quadro geral de credores, da totalização das reservas matemáticas de cada plano, e de cada empresa através de farta documentação gerada pelo próprio AERUS, chegamos a uma proposta factível de solução para todo o problema AERUS. Não podemos deixar de informar que tal produto foi gerado por solicitação do Sr. Walter Parente, atual liquidante do AERUS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para posicionamento geral das movimentações elaboradas pela APRUS e sua assessoria abaixo coloco ações tomadas:

      Ação junto ao CNJ, juntamente com o AERUS/AMVVAR para movimentação do processo da Terceira Fonte, com movimentação positiva.

      Ação junto à Comissão Internacional de Direitos Humanos em um processo que informa todos os fatos ocorridos desde a quebra da VARIG, a forma como sua venda ocorreu, sua “recuperação judicial” feita inicialmente com “SUCESSO” e, posteriormente, sua “falência” dada a falta de documentação por parte da administradora DELLOITE, e isto somado às desventuras ocorridas no AERUS, o que nos levou aos sofrimentos atuais. Lembrando, ainda, o não pagamento das indenizações trabalhistas.

      Para informação de todos, este processo atende a todos os associados da APRUS bem como a todos os considerados variguianos, e está em andamento já tendo a APRUS que fornecer informações de atualização, atendendo a solicitações da Comissão Interamericana.

      Ação junto ao CNJ solicitando que verifique todos os movimentos ocorridos na primeira vara empresarial na recuperação judicial. Processo que já foi arquivado por duas vezes sem análise. Motivo pelo qual estamos solicitando audiência à Ministra Carmen Lúcia.

      O processo de acordo elaborado pela APRUS está na mesa do Liquidante aguardando um melhor momento para ser apresentado e discutido, e atende a todos os planos do AERUS, inclusive ATIVOS, que terão que ser totalmente atendidos.

      Apesar da desunião demonstrada fartamente pelas desconfianças, falta de verdades explicitadas, falta de real interesse por parte da grande maioria que prefere um comentário curto do que a pesquisa da verdade, seguimos apontando os caminhos que estão em andamento, pois trabalhamos para isto.

      Seriedade é a força motriz e o norte do trabalho APRUS!

      Thomaz Raposo APRUS

      Excluir
  17. Vou encerrar minha participação neste tópico.
    Foi muito estressante.
    Engraçado somente agora aparecer este projeto de acordo entre a raposa e o galinheiro.
    NÃO ACREDITO QUE ESTE GOVERNO CORRUPTO FARÁ ALGUM ACORDO CONOSCO.
    ACREDITO NA JUSTIÇA E SUAS DECISÕES.
    ACORDO SEMPRE NOS LEVA A UM IMPASSE.
    IMPASSE SIGNIFICA QUE ALGUÉM VAI PERDER.
    SOU ATEU E CÉTICO.
    Realista ao extremo.
    Deixo as esperanças, rezas e orações aos religiosos.
    Sou partidário da transparência.
    Por falar nela inexiste no governo atual, tanto no jurídico quanto no legislativo e executivo.
    A ação de defasagem tarifária tem um valor imenso que pode suscitar muita corrupção.
    Mais de 100 bilhões.
    Duvidam?
    Entrem num site de cálculos jurídicos e façam as contas.
    Não tenho nada contra ninguém, mas tenho sempre minha base montada para não cair.
    acordos do Paim, do sindicato, da Fentac nos derrubaram.
    Na votação da LDO fizeram ópera bufa.
    Decisão judicial entra na LDO automaticamente.
    Não houveram méritos de deputados e senadores, ou sindicalistas nenhum.
    O mérito é todo do judiciário.
    O governo tentou derrubar a liminar no mínimo 5 vezes.
    Por baixo o precatório da ACP deve dar 10 bilhões de atrasados.
    A tutela em torno de 8 bilhões nos próximos 10 anos.
    Sou São Tomé nessa história ou vejo as chagas, ou vejo o cadáver.
    Peço desculpas mas repriso a velha lenda grega da caixa de Pandora, somente ficou dentro dela aquilo que todo crente busca.
    A ESPERANÇA @@@

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina!!
      Sim, se hoje os aposentados do Aerus estão recebendo os seus benefícios deve-se, unicamente, ao Judiciário!
      Neste blogue, postado em 27 de dezembro de 2014, existe um artigo Excelências, Obrigado! que se lembra de agradecer ao Judiciário, personalizado nos juízes citados.
      Aliás, well... tantos artigos (e comentários) neste blogue contrários a qualquer manipulação política...

      Excluir
    2. Caro Rochinha, este tema Aerus realmente é muito desgastante para nós, sempre "aplaudo" suas posições, e tbm tenho as minhas, concordo plenamente com Vc quanto a méritos, neste nosso tema, e realmente pertencem somente ao Judiciário, foi e será através dele que conquistaremos uma definição final, e talvez um Acordo tbm será através dele.
      Um Abraço, Cara!
      Heitor Volkart

      Excluir
  18. Sr. Vander Rocha observando seus comentários lhe posiciono de que a certeza de suas convicções e colocações no meu entender o impedem de ler o que ocorre no mundo APRUS, pois ao falar da "surpresa" do acordo na mesa do Liquidante, isto apenas demonstra que não acompanhas nossas mensagens onde tais fatos e outros são sempre apresentados pelo site www.aprus.com.br noticias.
    Para outras informações lembro que se em um acordo a UNIÃO decidir nos pagar totalmente os referidos atrasados já estarão sendo pagos pois ao deixar de serem pagos continuaram em nossas poupanças ok?
    Lembro ainda mais que não devemos ter pensamentos com tanta certeza demonstrada, pois isto impede a visão de outras soluções e o que se passa a nossa volta.
    Um bom dia
    Thomaz Raposo APRUS

    ResponderExcluir
  19. Vander Rocha Em tempo a ação tarifária representa hoje algo em torno de 15 a 16 bilhões e não 100 bilhões como você descreveu.
    Thomaz Raposo APRUS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senhor THOMAZ,
      Um site jurídico havia feito o cálculo judicial em 2007 e lá dava 23 bilhões.
      O site infelizmente não existe mais.
      Ontem Fiz um cálculo jurídico ridículo no TRF de Brasília e deu 71 bilhões.
      Somente não sei, pois não sou advogado, os índices aplicáveis.
      Se o senhor fala em 16 bilhões, isso não cobre o AERUS, nem as ações trabalhistas.
      Que continuam a ser NOSSAS POUPANÇAS É MEU ÚNICO INTUITO NO DEBATE.
      O SENHOR PODERIA OBSERVAR ISSO SE TIVESSE LIDO O QUE APREGOO, EM TODAS MINHAS POSTAGENS.
      SE ESSA MICHARIA DE 16 BILHÕES É NOSSO SALDO NA DEFASAGEM TARIFÁRIA QUE TRANSITA NO STF ALGUÉM ESTÁ NOS ROUBANDO.
      Não acuso pessoas, acuso o governo federal e o judiciário de estarem nos dilapidando.
      Sei das boas intenções da APRUS, mas há diversos mal intencionados nos caminhos.
      Todos os meus tópicos foram baseados em receber-se a tutela, e esperar o que o senhor CHAM DE POUPANÇA.
      EU PENSO QUE ESTA POUPANÇA SE NÃO FOR MINHA SERÁ DE MINHA ESPOSA.
      Não queria responder mais nesse tópico, e o senho obrigou-me.
      Finalizando eu jamais colocaria as raposas a cuidar do galinheiro.
      Não me entenda mal nada a ver com seu sobrenome, apenas com o ditado popular.
      bom dia...


      Excluir
  20. Prezados! Gostaria de externar a importância, e agradecer a Teresa Aranha, pelo seu Post, sua sugestão ao Debate de um Tema muito importante, para todos nós "Variguianos" e outros interessados! Debatendo e dando opiniões, nos esclarecemos, nos informamos, e até nos tranquilizamos, podendo ver que tem pessoas agindo e se preocupando com providências, pela causa Aerus.
    Mais uma vez Teresa, parabéns e obrigado!
    Grande Abs,
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir
  21. Caro Vander Rocha, verifique por favor suas informações pois o valor da tarifária que informei está correto. A parte que cabe ao AERUS representa três bilhões e 67 milhões de reais que atualizados monetariamente chegam a cerca de dez bilhões de reais.
    Para sua melhor informação para que todas as dívidas para com os fundos fossem sanadas o seu custo estaria em aprox, de 12 bilhões de reais e o custo dos ativos está incluido. Nossos cálculos são fornecidos pelo AERUS exatamente para não dar margem a divagações e são reais.
    Para sua informação a APRUS observa e reage a qualquer má informação prestada pelo AERUS como poderás verificar em minhas mensagens de janeiro de 2017, estão no site. Agradeço suas colocações que possibilitaram o conhecimento dos pensamentos e as realidade dos fatos.
    Teresa qualquer dúvida maior meu telefone 021-981414399
    Thomaz Raposo APRUS

    ResponderExcluir
  22. Sobre a questão dos valores da dívida da União, comentando este artigo (de 12 de julho de 2014) do presidente da Aprus, Vander Roccha cita dois sites jurídicos que disponibilizaram os cálculos atuariais:
    APRUS: mensagem do presidente

    ResponderExcluir
  23. Senhor Thomaz,
    estamos a divagar sobre assuntos diferentes.
    Os cálculos que estão em sites jurídicos são dos valores dos créditos da ação de defasagem tarifária da VARIG.
    Na realidade, fica inócuo falar dos valores a serem pagos ao AERUS, pois na minha concepção é uma porcentagem do calor da referida ação.
    O que causa todas essas celeumas é a falta de transparência.
    Os assuntos ficam em tabelas, prospectos, slides e outras formas de economês e "juridiques" não muito coloquial a todos os participantes.
    Esse era o procedimento corriqueiro dos diretores do AERUS e depois dos interventores nas explicações técnicas.
    Lembrando de novo, que certa vez me tiraram a força de uma reunião do sindicato com o primeiro interventor, que mandei ele enfiar no rabo as tabelas e os slides que apresentava.
    Seria mais fácil dizer está ruim, a VARIG não paga, e a intervenção vai fechar o clube, ponto final.
    Hoje em dia o clube está fechado de novo, não nos passam o filme, só nos contam a história através de recados, dos que tem acesso à informação.
    Não vi uma linha sequer do acordo proposto, por que?
    Se é do interesse coletivo todos devem ficar sabendo do que foi proposto.
    Sei que para muitos é uma pequena fortuna os atrasados.
    Mas a vida exige-nos coerência.
    Ficar de olho no montante, porque é seu, não convém com a maturidade da situação.
    É sem dúvida uma carteira de poupança in vita ou póstumas não importa.
    Eu nos meus escreveres tento dizer que a antecipação de tutela é o mais significativo, é o mais efetivo.
    Os gritos de sofrência aqui não me incomodam, me incomoda muito é o silêncio dos nossos ditos representantes.
    O silêncio causou esta confusão de dívidas trabalhistas misturadas com a dívida do AERUS.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Vander Rocha fui o AERUS não está fechado, pois é obrigado por lei a colocar sua posição financeira ano a ano e quando solicitado com foi por nós dá APRUS forneceu todas as informações que estávamos precisando. Caro colega o valor da época dá tarifária não chegava a sete bilhões, caso fossem cem bilhões nem estaríamos aqui conversando sobre isto pois hoje representariam 350 bilhões, só me faz crer que não tenhas a compreensão destes altos valores ex.: A VARIG foi revendida por quase 350 milhões.
      Thomaz Raposo APRUS

      Excluir
    2. QUEM ESCREVEU QUE ERAM 100 BILHÕES?
      ESCREVI QUE HOJE PODE CHEGAR A ESSE VALOR.
      100 VALE 350 7 VALE 24,5 E NÃO 16, REGRA DE 3 SIMPLES
      O VALOR DA DEFASAGEM ERA 2,2 BILHÕES EM 1994.
      ESSA FOI A DECISÃO JUDICIAL.
      NÃO ME TROLE, NEM TROQUE MEUS ESCRITOS PELOS SEUS.
      JÁ QUE A APRUS TEM A POSIÇÃO FINANCEIRA APENAS PUBLIQUE, JÁ QUE APRESENTOU UM ACORDO PUBLIQUE.
      NÃO ME TIRE PARA IDIOTA, CHAME OS SITES JURÍDICOS QUE FIZERAM AS CONTAS MUITO ANTES DA APRUS APARECER.
      A TÁTICA DE OFENDER A INTELIGÊNCIA DO OUTRO NOS DEBATES ERA UTILIZADA POR NAZISTAS.
      NÃO LHE OFENDI EM NENHUM MOMENTO.
      EIS SUA RESPOSTA EM 2014 DEPOIS DE GABAR-SE ECONOMISTA.
      thomaz raposo de almeida filho
      13 de julho de 2014 14:41
      Realmente estamos cansados e nos permitimos até a comentar fatos diferentes, eu como Presidente da APRUS procuro apenas receber nossa garantia real de tres bilhões de reais (valor aprox) e nada tenho com o valor que nossa VARIG terá a receber desde pague o que deve ao AERUS valor firmado em 2006.
      Thomaz Raposo

      Excluir
    3. Vander Rocha, não dá para conversar com quem não quer conversar, se há tempos atrás escrevi que sou economista, apenas falei a verdade pois o sou desde 1969 e isto nada diz para mim, sendo assim porque me gabar e para quem?. Quanto a "trolar" alguém nunca foi minha intenção, apenas corrigi uma informação escrita por você lógo no começo e que após uma interrogação e esclarecimento meu você voltou a afirmar, informo apenas que meus esclarecimentos podem até não ser para você mas para quem nada sabe e deseja informações e não merecem estes comentários ofensivos reagindo sem ter sido ofendido mas apenas se sentido machucado com esclarecimentos.
      Respeito a todos pois somente assim mereço ser respeitado, agradeceria que deixasse nossos colegas receberem informações de posicionamento e só entrei no comentário para corrigir informações.
      Thomaz Raposo APRUS

      Excluir
  24. Teresa Aranha expressa muito bem o que a maioria de nós sentimos.
    Ruíram nossos sonhos de uma vida digna após tantos anos de trabalho e contribuição...
    Se ficarmos pensando na injustiça de quase tudo o que acontece no Brasil e no Mundo, perdemos o que resta de esperança em dias melhores. Se ficarmos pensando nas negociatas e desvios de dinheiro que ocorrem diuturnamente em quase todas as esferas públicas deste nosso país... Na riqueza e ostentação de governantes sem caráter, como o Cabral que faliu o Estado do Rio de Janeiro, e tantos outros que faliram outros Estados brasileiros... Se pensarmos que a prática da corrupção e desvio de verbas públicas se alastrou Brasil afora no período petista, até dentro das próprias Universidades Federais, como se descobriu agora no Paraná (e que deve ser apenas a ponta o iceberg)... Se pensarmos no sofrimento de milhões de pessoas no mundo inteiro, vítimas do descaso, da injustiça e da exploração... Ficamos com a impressão de que o fim do mundo está chegando.
    Mas não podemos sucumbir, a vida continua e existem pessoas incríveis lutando por um mundo melhor, mesmo em nosso país!
    A proposta da Teresa é muito boa e na minha opinião deve ser levada em consideração.
    Rosa Maria Custódio

    ResponderExcluir
  25. Sim, a proposta de Teresa é o grande Tema, é este debate é valoroso pois mostra que temos que agilizar um Acordo!
    Abs,
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir
  26. A tática de chamar os outros de imbecis, via ironias, faz-me acreditar em intenções muito boas, para com quem reclama da falta de transparência.

    ResponderExcluir
  27. Rochinha, Vc é um dos nossos, muda o disco e vamos ser Feliz! Vamos ao Acordo! Se não queres, tudo bem!
    Abs
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-