sábado, 23 de março de 2019

Moleskine (23 de março de 2019) Apontamentos sobre a imprensa "imparcial e investigativa"


Ojeriza, o mesmo que nojo, aversão, repulsa
EL PAÍS Brasil, uma ONG estrangeira, ligadíssima ao PSOE-Partido Socialista Operário Espanhol anuncia:
As grandes plataformas digitais contratam equipes de milhares de funcionários para detectar e apagar conteúdos racistas, xenófobos, sexistas ou terroristas da Internet

Respondi:
Tradução literal: tudo que seja contra a oligarquia do 'politicamente correto', eufemismo para 'progressistas'.

O ESTADÃO que, para minha grande surpresa, se metamorfoseou em pasquim – com todo o respeito pelo saudoso Pasquim – apressa-se em “informar”:
Deputados democratas americanos fazem carta contra Bolsonaro e criticam 'tapete vermelho' de Trump

Respondi:
Que babaquice! Mais patético ainda é saber - pelo próprio 'jornal'- que se presta a esse patético papel. Isso sim, é servilismo!


Imprensa imparcial e investigativa
Sobre a prisão de Michel Temer
Declaro, antes de tudo, que me sinto absolutamente isento, gelado, em relação à prisão do ex-presidente Michel Temer. Se culpado, deve ser condenado; se inocente, deve continuar a ser um homem livre. Não tenho a mesma gelidez em relação a Lula da Silva, nem aos da sua entourage, nem aos da mesma prática e ideologia.

Ouvi uma procuradora do MPF afirmar que Temer lidera uma quadrilha há quase quarenta anos, e teria lesado os cofres nacionais em quase dois bilhões de reais (!!).

Me pergunto:
Como foi possível a Michel Temer escapar/sobreviver à implacável, isenta e imparcial imprensa brasileira, a mais ‘investigativa’ do planeta, durante esses anos todos?? Quando, em contrapartida, o povo brasileiro é diariamente ‘informado’ das ventosidades anais do atual presidente do Brasil, que tomou posse há oitenta e dois dias?? Ficamos até sabendo dos namoros ou ficações do seu filho adolescente!

Ah, tem muito mais!
O orgasmo em público da ONG El PAÍS Brasil e uma tal de “Agência Pública” (Agência de jornalismo investigativo e independente)...

Estou traduzindo um editorial de Franz-Olivier Giesbert, presidente do Grupo Le Point: A trágica farsa dos intelectuais de esquerda. Muito bom.

Ah, antes de me despedir, por ora, viram no que desaguou o Relatório de Robert Mueller, até então a faca nos dentes contra Trump (eu disse, contra Trump), NYT, CNN, WP. LAT, MSNBC e etc., etc...?? Ridículo, né? Mas, não existe surpresa! “Jornalismo” torcedor e panfletário, mais cedo ou mais tarde, se estatela no chão inundado de eme... mas, eles se levantam, se limpam e, no dia seguinte, estão nos ‘seus’ jornais e/ou ‘canais de televisão’ perorando em favor do seu Senhor (!).

Prefiro os fiéis das ‘Testemunhas de Jeová’, que se calam ou recuam quando lhes dizemos que não queremos ouvi-los.


Não acredito que nos seus templos desejem a minha extinção. Ao contrário da canalha de esquerda, ou nem de esquerda nem de direita, o famoso (e perigosíssimo) isentão, que só quer paz, mas que sempre torceu, e vai continuar torcendo, por aquele que está me agredindo. 

Não é por acaso a “onda midiática investigativa” contra as “redes bolsonaristas”. Isto é, qualquer cidadão que escreva algo a favor de Bolsonaro, ou contra (ou simplesmente questionando) qualquer um da REDE DO ATRASO, DA INVEJA E DA INUTILIDADE, está sujeito ao banimento virtual, à discriminação, pois será apontado nas ruas e restaurantes como ‘nojento apoiante de Bolsonaro’. Não, não é imaginação. Pode se tornar um pesadelo real.

Anteriores:

Um comentário:


  1. @carlosmaltz

    Lá no pais dos jornalistas o governo está desmoronando a cada dia, e a derrocada é iminente.

    Aqui na realidade, a Folha, o Estadão e a editora Abril estão quebrados...

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-