sexta-feira, 22 de março de 2019

[Aparecido rasga o verbo] A Golden Shower de Michel Jackson respingou fora da bacia da privada

Aparecido Raimundo de Souza

O brazzzil (grafado desta maneira) tenta passar a imagem de um país sério. De um país que anda nos trilhos. Quer aparecer bonito na foto para o mundo, posando de líder. O brazzzil não é um país sério. Nunca foi. Jamais será. Sabemos todos que o brazzzil está de pires nas mãos, no buraco, pedindo esmolas. Afinal de contas, como pode um país sério ter vários alibabás com honras de chefe com sindicato e carteirinha, se os quarenta ladrões duplicados por mais uns trocentos elevados ao quadrado não se entendem entre si?! 

Caros leitores e amigos. Pensem. Raciocinem! É a banca rota na sua melhor forma de expressão. O brazzzil saiu dos trilhos faz tempo. Entrou numa rota de colisão em face das falcatruas e das trambicagens, dos desatinos e das putarias que os nossos Poderosos de brazzzilia o colocaram e de onde não sairá tão cedo. A prova disto, aí está. Prenderam o bonitão. O cara legal, que anda de nariz em pé, todo posudo, metido à besta, como se sentisse o cheiro de merda ao seu redor. De fato, o infeliz sente. Ele se esquece, que a bosta é ele mesmo e o cheiro e a fedentina, exalam de seu próprio corpo.

Afinal, de quem estamos falando?! De Michel Jackson Temer (do MDB ou Marcela Dando Bandeira), ex-presidente desta “repubriqueta” de safados e ladrões.  O ilustre “ex” - foi “preso” às 11 horas, quando deixava seu barraquinho em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. A pústula saia num carrinho velho, caindo aos pedaços, com motorista particular e um capacho no banco do carona (naturalmente algum cheira colhões conhecido entre estes micróbios de esgoto, como “SEGURANÇA”).

Mal acabava de por os pés na rua, coitado, foi interceptado em pleno trânsito por agentes da GPI, fardados e armados até os dentes. Tinha um agente com uma chapinha da Bohemia na lapela. A operação “PEGA TEMER” parecia uma manobra de guerra pior que a dos milicianos do Rio de Janeiro pelo comando das bocas de fumo nos morros e malocas existentes e espalhados por toda a cidade maravilhosa.


Um agente federal assumiu o volante do calhambeque, enquanto outro, impensadamente, abriu a porta traseira. Veja a foto da ÚLCERA na hora do agarra-agarra. Envergonhado (afinal, ser ex-presidente não é para qualquer João Cu-Fedido), o agente ao devassar o veiculo em seus fundilhos, eis quem surge em carne e osso sentado no próprio rabo. A LOMBRIGA em seu terninho de grife, que tratou logo de trancar o focinho, para não ser RECONHECIDO. Mas Kikikikikiki foi. A imprensa estava lá, faminta, furiosa, louca por uma foto da bostela.

Até o aeroporto, a carreata com a Desgraça dentro, parecia procissão da Padroeira do Brasil. Gostaríamos de entender porque esta logística toda para prender um salafrário, se logo em seguida, antes dele dar um peido dentro do avião que o levaria para o Rio de Janeiro (ratificando, a Desgraça já está aqui na sede da Policia Federal, numa salinha especialmente preparada para o Quadrúpede), uma enxurrada de Habeas Corpus cairia (COMO CAIU) sobre os costados do TRF-2, 3, 4, 5, 6, 7... como uma benigna Chuva de Prata, aliás, uma música magnifica tão bem interpretada pela baiana Gal Costa. Galzinha, pelo amor de Deus, me perdoe por citar você nesta patacoada. 

Amados, entendam o óbvio ululante. Está na cara. Salta aos olhos como as propinas das malas de Rodrigo “Brocha” Loures. Michel Jackson Temer, não foi, na verdade Preso. Preso foi o Adélio Bispo, aquele outro pé rapado que gostava de imitar aquele cantor do Risca Faca, se não nos enganamos um tal de Pepe Moreno. Preso, pois, não seria bem o termo correto. Michel foi mais um ator partícipe de um enorme circo armado para engambelar trouxas. E creiam, ENGAMBELOU.

O brazzzil é um circo onde só mudam os bufões que o controlam. Nós continuamos palhaços deste enorme anfiteatro fazendo papel de otários e Manés. Viva nós, os babaquaras e abestalhados. Senhores prestem atenção.  Só acreditaremos num brazzzil de verdade, num BRASIL DECENTE, HONESTO, ALVISSAREIRO, TRANSPARENTE, quando todos estes ratos de esgoto a céu aberto das laias de Michel Jakson Temer, Moreira Franco (e os outros calhordas que foram de roldão, no mesmo saco de gatos), figuras dantescas não bem vistas pelo juiz federal Marcelo Bretas (da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro) FOREM, DE FATO, ENGAIOLADOS.

Não só engaiolados. Isto seria pouco. Necessitaríamos para acreditarmos piamente numa reforma, se estes patifes CUMPRIREM SUAS PENAS EM PRESÍDIOS DE SEGURANÇA MÁXIMA, sem as máscaras dos ex-presidentes, ex-ministros, ex-puta que pariu seguidos de paninhos quentes, mãozinhas nas cabeças, subornos, ou outros artifícios, destituídos no mesmo eixo, das benesses de um câncer incurável conhecido ENTRE NÓS, como FORO PRIVILEGIADO. Até lá, senhoras e senhores, nos perdoem. Continuamos palhaços deste brazzzil DOENTE, UTEIZADO e sem volta.
Título e texto: Aparecido Raimundo de Souza, do Rio de Janeiro RJ. Às 20.25. 

Colunas anteriores:

Um comentário:

  1. Muito bom como sempre e retratando o nosso cotidiano pobre.
    Realmente o show midiático foi fantástico e sem fundamento algum que o viabilize.
    Mais do mesmo como sempre.
    Parabéns
    José Manuel

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-