sexta-feira, 8 de março de 2019

[Aparecido rasga o verbo] O Cristo Recrucificado

Aparecido Raimundo de Souza

Somos todos recrucificados a cada dia, como o Senhor o foi quando pôs os pés nesta terra”.
Frase do escritor grego Nikos Kazantzákis.

ALGUÉM NOS MANDOU, VIA WHATSAPP, esta mensagem e depois de lê-la, na integra, por várias vezes, achamos por bem confirmar se, realmente, se tratava de um texto escrito pelo senhor DEMETRIUS DOS SANTOS SILVA, que se intitula frade. Neste pé, em busca da verdade, e levando em conta que recebemos (seja via celular, seja via e-mail), uma centena de mensagens com os mais diversos temas, alguns até nos pedindo encarecidamente que passemos à frente, a fim de se espalhar ou viralizar certos temas (às vezes polêmicos) resolvemos tirar em pratos limpos a veracidade das palavras do ilustre personagem.

O que existe de Fake News por aí, nem se fala e os senhores leitores sabem que não estamos aumentando nem desaumentando as coisas. O cidadão, em questão, é realmente frade? Sim é. FRADE COM “F” MAIÚSCULO. Iguais a este, são poucos. Dá até para se contar nos dedos.  Vejamos o que nos mandaram em mensagem via ZAPP com a seguinte legenda. “CORAGEM É CORAGEM. VERDADES SÃO VERDADES... PASSE ADIANTE... SE VOCÊ TIVER CORAGEM”. Antes de entrarmos no texto, devemos esclarecer mais um ponto. A mensagem do frade foi em resposta a uma ação proposta pelo Ministério Público Federal de São Paulo pedindo a retirada dos símbolos religiosos das repartições públicas. Não nos interessa aqui se a bendita ação deu certa ou não, se prosperou ou se algum juizinho com fuça de lobo em pelo e pele de cordeiro concordou com o devido seguimento ou meteu o pé no freio.

O que importa caríssimos leitores é a carta em si. O conteúdo. Pois bem! A missiva do Frade, de fato, foi publicada por ele, Frade Demetrius dos Santos Silva, no Jornal Folha de São Paulo, na edição do dia 9 de agosto de 2009, ou exatos dez anos atrás. Como os senhores podem perceber o povo brasileiro não tem memória. E quando tem, ou acha que tem, é idiotamente curta. Vem de berço. Mesmas contas do Rosário, ama de paixão gosta de exercer este lado sombrio, mancomunado com a sociedade que, por sua vez é besta e alienada desde a concepção do DNA. Além de não ter igualmente memória, nem assunto, fala pelo ânus.

É comum, a cada dia, bailar um fato passado, como este, de dez, anos atrás, como se a coisa tivesse acontecendo HOJE, EM DIAS DO RECÉM-INICIADO 2019. No final da Carta do Frade, repetindo, de dez anos passados, deixaremos claro, a nossa opinião, vez que o assunto além de controverso fez subir graus elevadíssimos as antenas do IBOPE e, obviamente, o que fofocar nos meios católicos. Ademais, com toda desambição e respeito, SOMOS CORAJOSOS. Vejamos a carta. Em seguida a ela, nosso simplório ponto de vista.

"Sou Padre católico e concordo plenamente com o Ministério Público de São Paulo, por querer retirar os símbolos religiosos das repartições públicas… Nosso Estado é laico e não deve favorecer esta ou aquela religião. A Cruz deve ser retirada! Aliás, nunca gostei de ver a Cruz em Tribunais, onde os pobres têm menos direitos que os ricos e onde sentenças são barganhadas, vendidas e compradas...”.

Não para por aí o religioso. Segue o insigne Frade, asseverando com unhas e dentes:

“Não quero mais ver a Cruz nas Câmaras legislativas, onde a corrupção é a moeda mais forte. Não quero ver, também, a Cruz em delegacias, cadeias e quartéis, onde os pequenos são constrangidos e torturados. Não quero ver, muito menos, a Cruz em prontos-socorros e hospitais, onde pessoas pobres morrem sem atendimento. É preciso retirar a Cruz das repartições públicas, porque Cristo não abençoa a sórdida política brasileira, causa das desgraças, das misérias e sofrimentos dos pequenos, dos pobres e dos menos favorecidos".
Frade Demetrius dos Santos Silva.

Acreditamos piamente que o Frade não tenha dito nada demais. Nada demais no sentido de magoar ofender ou compungir o brilho, ou a lisura ou, ainda, a carismaticidade da Santa Igreja Católica que, aliás, ultimamente, não anda lá muito catolicamente certinha e nos trilhos. Vive às voltas e às turras (conforme nos dão conta os telejornais), fora dos princípios ecumênicos, divorciada dos ensinamentos litúrgicos de Cristo Salvador, com os ilustres, queridos e “onrados” padres (ou padrecos) que abusam de menores e fazem da batina o escudo para levarem em frente às putarias do maldito PEDOFILISMO. 

O Vaticano, por sua vez, apoia. Por aquelas paragens também são comuns os “paninhos quentes, as mãozinhas nas cabeças. Os jeitinhos ou as acomodações do deixa para lá, o povinho esquece”. Afinal, amados, raciocinem! Não é uma bosta qualquer. É a IGREJA, O PODERIO, A SANTIDADE que está sendo TOCADA, ESCANDALIZADA, MACHUCADA, MELINDRADA.  O Mingau, perdão, o Papa fala, fala, fala, esbraveja se enfurece, se esgoela, mostra aos terráqueos de canto a canto um semblante de tristeza, de horror, um rosto purpureado e cheio de chagas (pior que as de Jesus Cristo no Calvário).

Contudo, o Papa, se nos apresenta como um Mané, ou o eterno Santinho idolatrado do pau oco.  Nesta queda de braços, os envolvidos nestes crimes (planeta a fora) saem impunes e as sacanagens em si, como “UM TODO” permanecem como dantes, no quartel do vigário, perdão no quartel general do frei Abrantes. Quem toma nos respectivos “canecos” são aquelas crianças inocentes e indefesas que foram molestadas, fustigadas, contundidas na moral... pior na FÉ, ou seja, as VÍTIMAS QUE SOFRERAM ABUSOS SEXUAIS DESTES CALHORDAS.

O que Frade Demetrius dos Santos Silva escreveu dez anos atrás continua firme e forte. Em pleno vigor. Desde 09 de agosto de 2009. Atentem caríssimos.  Estamos em 08 de março. Uma sexta-feira linda e maravilhosa de 2019. Perguntaríamos incrédulos: o que mudou com a porcaria da ação do Ministério Público? Porra nenhuma! O Estado continua laico. O que é laico? Este troço se come com farinha? Laico é aquele Estado que não tem religiosidade. Aliás, por aqui, não só o Estado, ou os estados. Vamos mais longe. O país inteiro não tem nenhuma crença para se segurar, para se firmar. O Brasil, em resumo, é laico.  Vive do vil metal, do dinheiro fácil, das granas propinosas. Favorece a quem pode oferecer mais. Façam suas apostas, por gentileza! Jogo na mesa.

Exatamente por ser assim laico e sem Deus, sem Cristo e sem um Freio de Salvação os pobres e oprimidos não têm direitos. Direitos são coisas para os ricos e abastados. Os que nasceram com o cu para a lua. Ou com a bunda para as bandas do Capeta, os senhores escolhem a opção que acharem melhor. As sentenças judiciais seguem barganhadas, vendidas, negociadas, permutadas, mutuadas, COMPRADAS. A corrupção, por sua vez, Kikikikikiki se faz presente em malas, cuecas, calcinhas, jatinhos, e não só como observou o Frade Demetrius dos Santos Silva nas Câmaras Legislativas. Nas camas legislativas onde eles dormem... roncam e peidam à custa de nossos bolsos. Para que a Cruz?!

Nas delegacias, cadeias, quarteis, os pequenos (entendam “PEQUENOS” como a ralé, a massa falida, fodida, pisoteada). Os Zés-Povinhos, as Marias Sem Dentes, os vitimados de Brumadinhos e de Mariana... este povo sem chão, nem porto, que acredita na Santa Madre Igreja, que honra o Papa, que o condecora como um falso deus, baseada numa FÉ mentirosa. Estes, amados, são cotidianamente constrangidos e torturados. É a FÉ (a Força Esquecida ou a Força Estranha) de uma nação inteira fazendo a sua parte para elevar o nome da IGREJA DESPUDORADA, SUJA E IMPÚDICA. Repetimos a pergunta: para que a Cruz?!

Nos prontos-socorros e hospitais, aos quais acrescentaríamos, os PAs, as UPAS, e as URSs, para que a Cruz?! Para Jesus Cristo sofrer mais?! Chorar mais?! Martirizar, ou se autoflagelar por uma cambada de vadios, entrelaçada a uma súcia de malandros que nem sabe que ELE existe?! Todo dia, senhoras e senhores pessoas chegam a óbito, porque a saúde, pública, o INSS e outras espeluncas do gênero estão na UTI. A SAÚDE dos infelizes que dela necessitam, QUEBROU, PEGOU UMA DOENÇA BRABA. FOI, GROSSO MODO, PARA A CASA DO CARALHO.  É preciso, se faz urgente, urgentíssimo tirar a Cruz de Cristo das repartições publicas. Cristo Salvador não abençoa a justiça cega, vagabunda, vadia, prostituta, AMANTE dos Poderosos.

Cristo Jesus não abençoa os “Vendedores do Templo” ou dos “TEMPLOS”. Em Brasília temos Templos a tempos de criarmos vergonha e baixarmos o pau. Quando falamos TEMPLOS, não nos referimos às igrejas e santuários, às basílicas e capelas, às catedrais e sacrários. Referenciamos aos palácios suntuosos, aos ministérios, etc... etc... etc... e tal... onde a PODRIDÃO, A DECOMPOSIÇÃO, A DETERIORIZAÇÃO, OS CONCHAVOS, OS ESGOTOS À CÉU ABERTO, AS PUTRESCÊNCIAS IMPERAM ACIMA DE QUALQUER COISA TIDA COMO DÍGNA E HONESTA.

Em conclusão, de uns tempos para cá, temos visto nos prédios públicos da vida, algumas Cruzes sem o Cristo. Talvez o Filho do Homem nem tenha esperado pela decisão da açãozinha do Ministério Público (que deveria se preocupar com coisas mais sérias e mais prementes). ELE, Jesus Cristo, talvez, envergonhado, tenha se mandado, em consequência de ter presenciado uma infinidade de barbáries e arruaças. Atrocidades e sevícias, desumanidades e martírios as mais cabeludas. Jesus Cristo, sabemos de antemão, está acima destes lixos, destes dejetos, destes estrumes, destas selvagerias, deste país de ladrões e safados, esperando, a hora certa de voltar e fazer todos estes crápulas pagarem pelos seus atos. Acreditem senhoras e senhores. Há de chegar o dia em que veremos, ou assistiremos de camarote, estas manadas de animais considerados intocáveis intangíveis e invulneráveis se curvando como vermes peçonhentos a sua SANTIDADE. A verdadeira. A de CRISTO JESUS, O SALVADOR.
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, de Curitiba, no Paraná. 8-3-2019

Colunas anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-