sábado, 21 de dezembro de 2013

O Sonho, a Fantasia e a Realidade

Jonathas Filho

Reprodução de tela de Modigliani
Parece que eles nunca foram vistos juntos. Andavam separados, cada um curtindo a sua vida. Muitas vezes, o Sonho, sempre tendo um enredo, procurava na Fantasia a sua extensão querendo se manter vivo e não viver de forma efêmera. Ambos, o Sonho e a Fantasia, diziam que não sentiam as “respostas” dadas pela Realidade e assim sendo, sempre estiveram afastados dela. Talvez porque a Realidade sempre aparecia completamente nua, a lhes mostrar todas as partes do seu corpo sem qualquer vergonha ou incômodo. Exibia-se minunciosa e detalhada, por dentro e por fora, transmitindo a impressão que fazia questão que todos a olhassem, além de aceitar qualquer questionamento que, com atitude maniqueísta também tinha um prazer incontrolável em esclarecer.

Esse tipo de comportamento foi considerado execrável pelo Sonho e pela Fantasia que decididamente, se afastaram mais ainda. 
Se sentindo repudiada, a Realidade, na necessidade de entretenimento, reunia e colecionava o máximo de assuntos relacionados ao Sonho e à Fantasia. Inocentemente, fazia isso na ingênua intenção de agradá-los e estimular um convívio harmônico no futuro. Mas todo esse trabalho era em vão, pois o Sonho e a Fantasia não queriam “cair na real” e continuaram sem querer qualquer aproximação com a Realidade.

Ainda que fosse praticamente impossível controlar o Sonho, a Fantasia se vestia e se maquiava às custas dele. Quanto mais o Sonho se apresentava, mais a Fantasia correspondia fantástica, resplandecendo perfeitamente... às vezes até mais do que o Sonho, em segredo, sentia. E assim, passavam o tempo sem observar os chamados da Realidade e sem lhe dar a devida atenção.

Inconformada com tamanha rejeição, a Realidade, dona inequívoca da verdade se impôs.
Interpelou a Fantasia e concluiu, após uma série de indagações, que a mesma “usava” o Sonho como recurso para seus desvarios, delírios e desatinos. Este, tendo se aproximado, escutou a vil declaração da Fantasia e carpiu copiosamente, se lamentando de ter-se envolvido nessa falsa amizade.

A Realidade, a seguir, interrogou o Sonho e soube que o que ele queria, de fato, era se ver estampado na Realidade e atrelado a ela, viver, morrer e reviver todos os dias nesse encantamento sem fim. A bem da verdade, o Sonho nunca gostou da Fantasia, tampouco das suas idéias fúteis que ela eufemisticamente chamava de imaginação criativa.

A Realidade, contrariada com esse drama, mandou executar sumáriamente a Fantasia, pois a ligação dela com o Sonho era absurda. Levada à força para o patíbulo, ela sequer teve direito ao último desejo. Incontinente, o Sonho enfeitou-se e cantarolava alegre pensando que conquistara a Realidade e estaria sim... agora realizado.

                                               
A Realidade tem muitas faces e uma delas o Sonho não conhecia... era a face do oportunismo; aquela face que não se revela por acaso – só se revela quando é oportuno e com real importância, e essa é uma das principais características da nossa Realidade. O Sonho, mais uma vez frustrado, reconheceu que mesmo que projetasse um ânimo imenso – por maior que fosse – a Realidade só projetaria esse espírito num corpo, quando de fato se revelasse oportuno.
Moral da História: Toda Fantasia passa... O Sonho permanece vivo!!!

Eu e milhares de amigos e colegas de infortúnio do Aerus, presenciamos há pouco a morte da Fantasia, mas sabemos que o Sonho está vivo e forte. Com certeza a Realidade, em alguma hora, terá de dar oportunidade ao ânimo e o espírito encontrará o corpo certo para nascer aquela que chamaremos orgulhosamente de VITÓRIA!!
Que o Universo conspire a nosso favor!!
Título e Texto: Jonathas Filho, 21-12-2013

4 comentários:

  1. Querido Jonathas Filho,

    Você é um Poeta que nos faz ver a realiade que vivemos, contudo, te plagiando compartilhamos de tua fraze que diz: -" Com certeza a Realidade, em alguma hora, terá de dar oportunidade ao ânimo e o espírito encontrará o corpo certo para nascer aquela que chamaremos orgulhosamente de VITÓRIA!!"
    Jamais devemos nos resignar, devemos mais do que nunca lutar pelos nossos direitos, mas, se necessário guerrear estareimos entre os primeiros recrutas, por isso, o Rubens de Freitas tem que desistir de sua intençao e aguardar a convoçação para o que der e vier.
    Contem conosco sempre.

    Nelson e Libia Schuler, 76 aninhos

    ResponderExcluir
  2. Kiridos Nelson e Libia Schuler, o meu muito obrigado por me ler e por compartilhar a vontade de permanecer, na luta e na vigília, esperando a oportunidade de levantarmos as nossas vozes contra todo esse absurdo que acontece sob o céu de Pindorama. Que venha a VITÓRIA !!! E ela virá !!!

    ResponderExcluir
  3. Indubitavelmente, o pensamento é uma energia muito poderosa. Realiza seja o que for, seja para o bem ou para o mal, realiza o que é pensado no semelhante em nós mesmos. É época de grandes realizações, em que grandes sonhos, se realizam. E vai acontecer ainda mais forte, em somatória de sonhos conjugados. Já acontece, de todos os modos, de todas as maneiras. No caso, o poderoso pensamento em união, realizará breve.

    IVAN Ditscheiner
    Aposentado assistido Aerus 75

    ResponderExcluir
  4. Meu caríssimo Ivan Ditscheiner, se aqui fosse um programa de TV tipo perguntas e respostas, com certeza vc ouviria o brado do apresentador: VOCÊ ESTÁ ABSOLUTAMENTE CERTO !!! Sim, meu caro, o pensamento comanda a mente, que comanda o corpo e o corpo bem comandado... nos levará à VITÓRIA !!! Obrigado por me ler, grande abraço. Jonathas Filho

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-