sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

O ilusório Dia do Aposentado - 24 de janeiro

Almir Papalardo

Como ironia  debochando da nossa  indignação por sermos eternamente perseguidos e massacrados pelo governo federal, o aposentado brasileiro, pertencente ao setor privado-RGPS-INSS, é obrigado a considerar o próximo dia 24 de janeiro como o seu legítimo e verdadeiro dia de comemoração! Quanta demagogia! Quanto sarcasmo! Quanta falsidade!... 


Qualquer um dos nove milhões de aposentados da iniciativa privada atingido por piratarias, trocaria de bom grado o seu falso dia festivo há dezoito anos sem motivos para comemorá-lo, pelo respeito e lealdade que os nossos poderes públicos seriam obrigados pela Constituição a nos proporcionar, respeitando-nos e nos reconhecendo como patrimônio nacional. Nossa aposentadoria deveria ser por motivos óbvios, IMEXÍVEL, INTOCÁVEL, livre de achatamentos arbitrários e desconexos. Nada de Fator, nada de desvínculos!

Afinal para que serve o ardiloso teto de pagamento da Previdência, se nenhum aposentado consegue se manter no  topo por mais de 365 dias? Na realidade é um oculto e matreiro "pau de sebo imposto ao fantoche aposentado"? Subir, PROIBIDO! Manter-se na mesma altura, também NÃO. Descer? Ah! isto SIM, até que todas as aposentadorias do RGPS ao escorregarem ano a ano, se nivelem apenas a 01 (um) salário mínimo! Então para que serve afinal o teto da Previdência? Enganar o incauto trabalhador? Jogar areia nos olhos da sociedade? Ou somente para proteger a Previdência Social de pagar aposentadorias mais elevadas, o que contraria a ambição desmedida de falsos patriotas que cobiçam gulosamente a verba da Previdência Social?

O aposentado já cumpriu com méritos toda a sua missão no mercado trabalhista. Mereceria um mínimo de consideração! Mas, dá-se justamente o contrário. Em vez de ter sua aposentadoria protegida e conservada no finzinho da vida, passa a ser um cidadão desprezado, manipulado como cobaia, obrigado a engolir uma perniciosa discriminação por não atender mais aos interesses do governo, que tem a obrigação de sustentá-lo sem receber mais aquelas robustas contribuições mensais descontadas diretamente na fonte, por longos 35 anos.

Seu calvário se inicia logo ao se aposentar. Recebe como amargo cálice no processo de cálculos iniciais da aposentadoria, o lesivo Fator Previdenciário, que se fosse aplicado somente com o intuito de desestimular aposentadorias precoces, até poderia ser melhor compreendido e até bem aceito. Mas, sabemos, não é bem assim, há intenções sórdidas e covardes por traz desta matreira manobra! Querem reduzir os proventos de todos os aposentados privados em apenas um desprezível salário mínimo!

Como assim? O aposentado que se aposenta com  alguns salários mínimos de benefício está ameaçado de ficar com a aposentadoria reduzida em apenas um salário? Retrocesso em vez de evolução? Pois é isto mesmo, é a mais pura realidade! Enquanto o Brasil tiver governos incompetentes, retrógrados, covardes, que preferem se acomodar ao invés de enfrentarem o impasse de frente, procurando corrigir uma deficiência fazendo justiça aos fragilizados ex-trabalhadores, verdadeiros "boi de piranha", tudo ficará como está até que seja concluído a sórdida intenção da Previdência de pagar somente 01 SM a todos os aposentados...

E não fica resumido só nisto a má vontade política que somos obrigados a engolir! O governo nos castiga sem limites. Enquanto assistimos nossa aposentadoria ficar defasada anualmente, abalam psicologicamente a nossa mente insegura, com as mais sórdidas manobras efetuadas para nos afastar da possibilidade de conseguirmos reconquistar algum dos direitos surrupiado. Mantém-nos de mãos atadas, desestruturando seriamente a nossa autoestima, a nossa tranquilidade, a nossa paz de espírito, constrangendo-nos e oprimindo-nos, não permitindo que nossos projetos de alforria possam sequer chegar as pautas de votação. E quando conseguem chegar a duras penas às sessões plenárias, e se eventualmente forem aprovados pelo Congresso, é a própria presidente que perversamente nos congela, jogando-nos uma ducha de água fria, vetando-os impiedosamente... Por que não nos encosta logo no paredão, fuzilando-nos, o que abreviaria nosso imerecido castigo?

Ainda querem tapar o sol com a peneira jogando areia nos nossos olhos, empurrando-nos como falsa lealdade  e reconhecimento, o “Dia do Aposentado”, como se ele fosse capaz de nos acalmar, silenciando-nos! Querem em todo dia 24 de janeiro disfarçar a traição cometida e aliviarem a consciência pesada, pela maldade que fazem teimosamente contra aposentados e pensionistas.

Exigimos sim, em vez de datas festivas, ações mais concretas de reconhecimento, justiça e direitos como a manutenção do nosso poder aquisitivo, e não datas comemorativas, ilusórias, abstratas, falsas, que em nada condizem com a verdade... Queremos o fim deste estapafúrdio sistema previdenciário, em que somente são atingidos os aposentados da iniciativa privada, que por força de suas contribuições maiores, conquistaram o direito de receberem proventos melhorados! É isto que querem a todo custo destruir...

Queremos o fim definitivo do Fator Previdenciário não aceitando mais fórmulas mágicas engendradas para substituí-lo! Exigimos também o fim desta idiotice burra e despropositada de corrigir as aposentadorias do setor privado com dois percentuais diferentes por ocasião dos aumentos anuais! Quem dentre os nossos Três Poderes será o primeiro herói a  se pronunciar voluntariamente, desligando-se afinal desta maldita e desqualificada  perseguição injusta e suja e da qual tornou-se conivente, feita ao indefeso e sofrido aposentado? Que cada Poder Público, cumprindo honradamente seu dever constitucional, se revista de brios e pleno senso de justiça, partindo, mesmo que tardiamente, em defesa dos inocentes e desprotegidos aposentados e pensionistas... 
Título e Texto: Almir Papalardo, 8-1-2016

3 comentários:

  1. ALMIR PAPALARDO DILETANTE LUTADOR.
    Eu já escrevi aqui que nóssa constituição é aristocrática e uma cópia da constituição de 25/03/1824.
    Ela foi feita para proteger as instituições governamentais.
    É comprida ou gigante, corrupta e não pode ser cumprida.
    Os direito garantidos nela são submissos.
    Vamos atacar os juros por exemplo. 12% ao ano é juro de agiota.
    Países de primeiro mundo mal chegam a 6%.
    Aposentadoria no primeiro mundo é acima de 65 anos.
    A maioria dos países usam contratos de trabalho feitos ente sindicatos e patrões, nadica de CLT.
    Países de primeiro mundo não tem tribunais específicos para causas trabalhistas ou eleitorais.
    ELES POSSUEM TRIBUNAIS DE JUSTIÇA.
    POR ISSO EU CHAMO DE CONSTITUFODEU.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado amigo Vander Roccha: Compreendo e concordo com tudo o que você escreveu. Mas não concordo, independente de ser o sistema previdenciário difícil pela sua grandeza de ser administrado com perfeição, o porque da quota de sacrifícios não ser dividida igualmente entre todas as categorias, e não sacrificando unicamente um terço de aposentados cadastrados no RGPS. Há privilégios escancarados para os aposentados públicos, em detrimento dos aposentados da iniciativa privada, que sofrem uma outra discriminação dentro do seu próprio segmento, quando lhes são empurrados um índice de aumento menor, usando estranha e indevidamente a Previdência Social dois percentuais diferentes para correção das aposentadorias do setor privado, o que considero injusto e uma insanidade mental. Não concordo com a guerra que o governo central faz contra aposentados que recebem mais de 01 SM...
      Um abraço, Almir Papalardo.

      Excluir
  2. a aposentadoria dos funcionários públicos era vitalícia e integral estava na constituição.
    a partir de 1998
    regra de transição
    https://jus.com.br/artigos/9224/aposentadoria-do-servidor-publico-regra-geral-e-de-transicao

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-