sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

UOL explica porque acha que 2016 foi “uma tragédia” e entrega seu esquerdismo

Luciano Ayan


Uma publicação do portal UOL traz, de uma vez por todas, a verdadeira razão porque parte da imprensa esteja vendendo a ideia de que 2016 foi um “ano terrível”. Abaixo, o parágrafo que deixa tudo isso muito claro:

Impeachment, eleição de Donald Trump, tragédia aérea, leis impopulares, movimento estudantil, delações contra políticos, crise no Rio de Janeiro e Olimpíada. Esses foram apenas alguns dos fatos deste agitado 2016.” Fonte: Retrospectiva: De impeachment a tragédia, relembre em funk como foi 2016 – TV UOL

Vamos desconstruir? Sim, vamos.

Impeachment: É um dos fatos mais positivos do ano. Conseguimos nos livrar de uma ditadura que nos transformaria em uma Venezuela. Evidentemente, é um evento negativo para a extrema-esquerda. Logo, o UOL se entregou.

Eleição de Donald Trump: Em nível mundial, é um dos fatos mais positivos do ano. Hillary caminhava para, num terceiro mandato esquerdista, roubar as liberdades dos americanos. Iria nomear mais três juízes da Suprema Corte e encerrar a democracia nos EUA. Ela perdeu. Claro que o evento foi terrível para os totalitários.

Delações contra políticos: Outro fato extremamente positivo. Aliás, a Lava Jato teve seu melhor ano em 2016. Só os corruptos têm a chorar.

Tragédia aérea: É terrível, de fato, mas tragédias de grande porte ocorrem todos os anos. Não é suficiente para catalogar o ano como terrível.

Leis impopulares: O truque da extrema-esquerda é mencionar as reformas do governo Temer e chamá-la de “impopulares”, quando na verdade foram extremamente importante para o povo, como a PEC do Teto. Decerto as leis são impopulares nos corredores do PT.

Movimento estudantil: Aqui tudo começou com boas vitórias para a extrema-esquerda, que se converteram em derrotas após terem sido forçados a sair das escolas invadidas. Com a popularidade da extrema-esquerda invasora caindo, esse é mais um evento positivo para o Brasil.

Crise no Rio de Janeiro: Tivemos a revelação da crise, o que dá uma dimensão de quão terríveis as coisas estavam nos últimos anos. Agora eles poderão fazer algo para reverter. No fundo, a revelação da crise é positiva.

Olimpíada: Qual o problema com as Olimpíadas? Nada.

Agora tudo faz sentido. A imprensa está realmente irritada com a queda do PT e com a ascensão de Trump nos EUA. Não que isso seja uma surpresa, pois já escrevi a respeito do assunto há dias por aqui mesmo. Contudo, é bom ver a mídia admitindo.

A maneira mais apropriada de aproveitarmos isso é apoiarmos a continuidade do que se iniciou. Dilma caiu? Ótimo. Agora queremos que ela seja presa, junto com Lula de preferência. O PT perdeu as eleições municipais? Ótimo. Agora queremos que ele perca as estaduais e federais também. Devemos focar nossa energia e nosso tempo na desconstrução destes adversários maiores, e isso inclui também boa parte da imprensa e dos jornalistas.

É como o caso de Jorge Pontual, que fez a piadinha com a morte de Carrie Fisher. Pouco importa se ele fez “na inocência” ou não, nós temos que lembrar que ele e toda a equipe de jornalistas da Globo News ficaram com a calcinha molhada durante a cobertura da morte de Fidel, temos que lembrar que eles mentiram para nós sobre as eleições americanas, sobre o Brexit, entre outras coisas. É para esculhambar mesmo!

Que venha 2017 e que ele seja ainda pior para a extrema-esquerda.

Em tempo: fica uma dica para o UOL. Se quiser fazer o jogo do isentão, esconda os motivos. Ao entregá-los, se queimaram de vez. 
Título, Imagem eTexto: Luciano Ayan, Ceticismo Político, 30-12-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-