quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O Freixo que denuncia um “fascismo” raro no Brasil ignora o fascismo real que seu partido apoia na Venezuela

mrk

A Constituinte de Maduro marcou o divórcio do regime venezuelano com o mundo democrático e civilizado.

Mas também marcou o fim do mito de que o PSOL era a “esquerda moderada”. No fundo, sempre foi bolivariano, sádico e perverso como PT e PCdoB. A diferença é que faziam pose tentando aparentar algo que nunca foram. O PSOL sempre foi a “extrema-esquerda global”.

Mesmo assim, eles seguem tentando manter a pose, como no caso deste tuíte de Marcelo Freixo (que almeja ser o mais “light” dos membros do PSOL), lançando uma denúncia contra o fascismo que ronda por aí. Seria uma doutrina inimiga da democracia.


Decerto o fascismo é um inimigo da democracia. Mas o marxismo que ele defende adota toda a inimizade que o fascismo possui contra a democracia e vai além. No fundo, o fascismo é apenas um marxismo mais light.

A mais recente ameaça à democracia se concretizou na Venezuela. Mas Freixo está de bico calado quanto a isso. As mais de 100 pessoas mortas por Maduro não merecem nenhuma caridade ou compaixão de Marcelo.

Ele adora o marxismo. E por isso também adora o fascismo real. 
Título e Texto: mrk, Ceticismo Político, 1-8-2017 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-