terça-feira, 10 de maio de 2016

Jornalista desafia ministro da AGU a negar que golpe contra o impeachment foi negociado

Luciano Henrique
Opa, um desafio. É sempre bom desafiar petistas. Nisto, o Ucho.Info lança um desafio a José Eduardo Cardozo:


A tropa de choque de Dilma Rousseff no Senado Federal, comandada pela petista Gleisi Hoffmann, que cada vez mais envergonha os eleitores paranaenses, se agarra a teorias esdrúxulas para tentar manter a decisão absurda do presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), que anulou a tramitação do processo de impeachment na Casa legislativa.

Gleisi e seus companheiros podem destilar os mais utópicos argumentos para assegurar a permanência de Dilma no cargo, mas é preciso reconhecer que a decisão do presidente da Câmara, que viola o mais basilar entendimento jurídico, foi orquestrada pelo advogado-geral da União, José Eduardo Marins Cardozo, e precedida por negociação espúria, que começou na noite da última quinta-feira (5) e na sexta-feira, por volta das 21 horas, recebeu os retoques finais.

O encontro com Maranhão se deu no apartamento do parlamentar e contou com a participação do AGU, do deputado federal Silvio Costa e do suplente de deputado Márcio Junqueira (RR), um pária da política nacional que alimentou o acordo. Durante a conversa, Maranhão disse a José Eduardo Cardozo que planejara descer a rampa do Palácio do Planalto ao lado da petista Dilma Rousseff, após votação no plenário do Senado, mas que na condição de presidente da Câmara dos Deputados não mais poderia fazê-lo. Dilma e seus assessores planejam descer a rampa do palácio presidencial como forma de reforçar a tese tacanha e mentirosa de que há no País um golpe.

Cardozo, por sua vez, concordou com a colocação do presidente da Câmara, reconhecendo a dificuldade, mas rebateu afirmando que Maranhão poderia impedir que Dilma descesse a rampa palaciana. A partir de então iniciou-se uma negociação de como isso poderia acontecer.

José Eduardo Cardozo sabe que incorreu em grave erro ao negociar o golpe, mas negará o fato até o fim, pois se assim fizer decretará a implosão da sua carreira política e também a de operador do Direito, se é que o mesmo sabe o que isso significa. O editor do UCHO.INFO desafia o advogado-geral da União a negar que não participou de negociação.

Veremos como Cardozão reage ao desafio. Isto vai ser divertido…
Via Luciano Henrique, Ceticismo Político, 10-5-2016

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-