domingo, 28 de janeiro de 2018

Por que nossas eleições não funcionam?

Almir Papalardo

Afinal, para que servem as eleições programadas em uma nação? As eleições, procedimento constitucional num país evoluído, é a inteligência motora que concede ao cidadão o direito de participar, soberanamente, do processo seletivo dos homens públicos que passarão a governar o nosso amanhã. A escolha é de exclusividade do eleitor que, com patriotismo e orgulho, deverá estar cônscio da sua grande responsabilidade ao depositar na urna um voto útil e consciente. Ou seja, o voto é o verdadeiro estopim para eclodir a esperança por uma nova gestão, mais ética, mais justa e mais proveitosa, para o benefício de toda uma população!

Assim, sob essa premissa, são os próprios eleitores os responsáveis diretos pela qualidade de vida, que pela escolha contabilizada nas urnas passará a ser compensadora/premiada, e/ou, nefasta/punitiva. São, portanto, as eleições o principal mandamento que determina se seremos uma grande nação guarnecida por uma digna e firme administração, ou seremos um país inseguro, injusto, retrógrado e irresponsável, pela falta total de punhos firmes e bem direcionados. Isto acontece no Brasil?? Não, mas ainda poderemos, com atitudes coerentes e patrióticas, fazer acontecer!!

Uma imensa quantidade de eleitores não dá às eleições à devida importância, considerando-as como uma obrigação chata que atrapalha a sua programação de domingo. Não têm o ufanismo pela chance de cooperar decisivamente na escolha final dos candidatos. Se a governança está ruim, não temos forças nem poderes suficientes para consertar, pensa o desanimado e desiludido eleitor. Triste engano que nos faz sempre tropeçar, impedindo o nosso direito de tentar conquistar numa outra nova governança, melhorar a nossa qualidade de vida.

O eleitor acomodado considera as eleições como um verdadeiro jogo de futebol, ou um desses FLA x FLU da vida! Se é um torcedor vascaíno ou torcedor do Botafogo, anula o seu voto ou nem comparece as urnas para cumprir sua obrigação, porque, não admite votar em ninguém a não ser num vascaíno ou num botafoguense! Se não gosta do PT, mas também não tolera a oposição, não dá o voto para mais ninguém, preferindo então não cumprir com o seu dever de eleitor, jogando-o simplesmente na lixeira.

Nenhum eleitor consciente deveria se abster de votar para não deixar a batata quente somente nas mãos dos demais eleitores. Não deveriam pensar, que ao se omitir poderão se transformar num novo “reformador do mundo”, achando que tem poderes suficientes para punir os jogadores que não são do seu time e/ou, políticos da sua antipatia. A união faz a força e os votos unificados em prol dos bons, também.

Agora, analisem a lógica contrária ao uso do voto nulo, branco ou abstenção. Somente através das eleições é que poderemos mudar o Brasil. Todos os eleitores deverão fazer uso do voto. Se não tiverem candidatos do total agrado numa eleição, vote assim mesmo, escolhendo os melhores ou os menos ruins, ou até renovando o mandato de alguns que tiverem apresentando um mandato razoável.  
Após algumas eleições efetuadas, sempre escolhendo os melhores, os mais gabaritados, as eleições ficarão até prazerosas, porque a cada nova eleição, fazendo sempre esse critério purificativo, escolhendo sempre os melhores políticos sem olhar a qual partido pertençam, criaremos uma equipe política digna, honesta e competente para dirigir a nossa nação. Só através das eleições é que poderemos guarnecer nossa pátria de grandes mandatários, que garantirão a nossa inclusão entre as nações de primeiro mundo.

Temos visto a cada nova eleição um desanimador montante de 30 a 40 milhões de votos atirados na lixeira, montante este que se aproveitado poderia a cada nova eleição, melhorar a qualidade de políticos. Trocaríamos aqueles políticos inúteis por outros mais ativos, com a Lei da Ficha Limpa nos seus currículos, sem afobação ou desânimo, porque, se numa eleição está difícil radicalizar este objetivo, teremos outras eleições, usando sempre a mesma estratégia, até conseguirmos formar uma equipe digna para governar o país. Tem sido praxe a reeleição de indignos, justamente por causa desse desperdício de votos, que se fossem usados num candidato oposicionista, sua reeleição não ocorreria, mesmo contando com os votos garantidos dos seus fiéis admiradores. É justamente por causa das abstenções, votos nulos e votos em branco, que as nossas eleições não estão funcionando como deveriam...   

Fora das eleições que deverão ser por nós conduzidas e direcionadas, não haverá salvação para o nosso torrão ameaçado. Vamos planejar e executar com fé para colocarmos o Brasil novamente nos trilhos! Vamos fazer bom uso dos nossos votos elegendo sempre os melhores, até que consigamos colocar uma safra de políticos ilibados e dispostos a realmente colocar o Brasil no rol das grandes nações! O político precisa ter medo do eleitor, porque, se estes se unirem não haverá mandatário algum, que através das suas artimanhas e bazófias, consiga se eleger! 
Título e Texto: Almir Papalardo, 28-1-2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-