quarta-feira, 16 de maio de 2018

[Versos de través] O que eu queria agora?

Carina Bratt

(Versão feminina de ‘Sabe o que eu queria agora?’ de Aparecido Raimundo de Souza)

Sabe o que eu queria agora?
Vou contar-lhe a verdade:
queria estar
com você,
parar o tempo,
perder-me em nós
sem pressa
de voltar
correndo
à realidade...

Andar sem destino,
de mãos dadas,
cometer desatinos,
sem medo.
Sentar em um banco de praça
escutar o canto
dos pássaros,
em total liberdade,
espalhando-se em sinfonia plena
por todos os cantos da cidade.

Queria, mais: igualmente,
beijar seu rosto
assim, 
devagarinho,
bem docemente,
tocar seus lábios,
sem castidade.
Aninhar sua cabeça
em meu colo
e não pensar em saudade...

Também almejaria agora
ter a coragem de abrir,
de vez,
meu coração...
Colocar você
lá no fundo
para espantar
toda essa tristeza
imensa
que me devora.

Ah! como desejaria
sentir-me feliz,
satisfeita...
jamais me afastar
do seu lado.
Gritar palavras lindas
que encantariam a sua sensibilidade
e matariam essa dor no meu peito,
dor inconsequente,
de vigorosa infelicidade.

Queria, enfim,
sentir-me completa,
realizada, como
em nenhum momento fui.
Deitar meu corpo
junto ao seu...
Sonhar mimos,
quimeras,
voar em devaneios
sem rodeios ou esperas.

Mas, de verdade,
de verdade, amor,
sabe o que eu mais queria
neste momento?!
Ter o poder
do encantamento
E ver seu rosto rubro,
explodindo,
se desmanchando
em mil FELICIDADES!
Título e Texto: Carina Bratt, secretária e assessora de imprensa do jornalista e escritor Aparecido Raimundo de Souza. De São Paulo, Capital. 15-5-2018

Anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-