sábado, 26 de maio de 2018

Sobrevivência

Carina Bratt

O GATO PRETO andava com uma fome tremenda. Danada mesmo. Uma fome de três dias ou mais. De repente, viu seu almoço suculento em forma de passarinho. Era um desses caseiros que, fora da gaiola, não enxergam um palmo adiante do bico.
Esfomeado, armou o bote para pegá-lo. Calculou milimetricamente o pulo. Voou às cegas...

Chuapppp...

Entretanto, ao tentar abocanhá-lo, outro bichano, de pelos brancos, igualmente espreitava a mesma iguaria. Que azar!  O gato preto não o vira. Foi seu erro. Mais safo e despachado, o tal gato branco chegou de mansinho. Veio em sentido contrário e, numa pirueta certeira, se adiantou. Viajou no acaso...

 Chuapppp...

Deu certo. Vitorioso, arrebatou o saboroso almoço quentinho daquele dia.

O gato preto, coitado, ao se deparar com esse imprevisto, arregalou os olhos e se estatelou, a ver a gaiola vazia. Não só isso. Seu dejejum (seria o primeiro) cobiçado tomando outro rumo na boca sorridente de um desconhecido companheiro de desdita. A maldita fome, nessa hora, como por desencanto, aumentou mais.  Além de crescer, passou a doer com mais insistência e desconforto. 

Do outro lado, longe de outros predadores de igual consanguinidade, seguro de si, protegido por alto beiral de um casarão antigo, realizado e feliz, pomposo e dono da situação o incogitado amigo de pelos brancos (amigo da onça) se banqueteava em saborosas dentadas a desditosa avezinha que sorteara arrebatar.  

Moral sem moral da história: o gato preto se cabisbaixou, vencido.  Limitou a afagar o desequilíbrio da turbulenta roncação da barriga vazia, em face do naco deleitável, do regalado invejável que lhe escapara, incontinente, das humildes garras de um mamífero que acordara sem sorte.
Título e TextoCarina Bratt, secretária e assessora de imprensa do jornalista e escritor Aparecido Raimundo de Souza. De Vila Velha, no Espírito Santo. 26-5-2018

6 comentários:

  1. Muito imaginosa, mocinha. Estou gostando de ver, de ler... está me surpreendendo. Roubou minha palavra "cabisbaixou". Vou cobrar direitos autorais. Um beijo grande. Seu fã.
    Aparecido Raimundo de Souza. Vila Velha ES

    ResponderExcluir

  2. "ROPA VIEJA" SÓ É BOM COM CARNE NOVA, MATURADA E DE GADO NOBRE.

    ResponderExcluir
  3. Moral da história: "O mundo é dos mais espertos".
    Srta. Carina, o Aparecido que se cuide, você está se tornando uma concorrente. Brincadeirinha", AQUI tem lugar para todo mundo! Continue, pois, seus textos estão ótimos.

    ResponderExcluir
  4. Agradeço a amiga Deusenir Sandes, pelas palavras carinhosas. O Aparecido não precisa se cuidar. Embora formada em jornalismo, me contento em ser apenas secretária e assessora e ganho bem para desempenhar essas funções. Trabalho com ele, há dez anos. De vez em quando, peço ao nosso amigo Jim que publique meus escritos. E ele o faz, creio, pela nossa amizade sincera. Mas nada além.

    ***

    Amigo Vanderlei, de fato, "ROPA VIEJA" SÓ É BOM COM CARNE NOVA, MATURADA E DE GADO NOBRE" Repare, MEU PREZADO, nem todos podem ter carne nova. Estou no albor dos 29 e meu patrão, aos 19 de março deste, completou 65 primaveras. Carne velha aos olhos de muitos. Há os que gostem de carne nova; outros que apreciam e se deleitam comendo carne velha. Diz um ditado antigo que "Pachinelet viet ysquy daida bonacia comidede" ou "Panela velha é que dá comida boa". Comida que muitos poucos moços ou metidos a..., deixam a desejar. Em outras palavras. Nem todos podem "comer carne nova, ainda que na flor da juventude exuberante" Fease de Runiê. Para encerrar, pristei bonet fonk juk leset y maion dier". Sebele? Saúde, Graça e Paz.

    Carina Bratt, Secretária e Assessora de Imprensa do Jornalista e Escritor APARECIDO RAIMUNDO DE SOUZA.



    ResponderExcluir
  5. Minha "amiga virtual", meu conselho sempre é "NÃO USE".
    As ironias nem sempre são para você.
    Se acreditas. Por que usar?
    Mesmo com atitude incorreta, por que colocar?
    Seria essa a única opção?
    Pode se olhar humildemente, perceber e não querer.
    Não se deve levar mentalmente desnecessariamente.
    Foi apenas uma piada inteligente.
    Sou um pouco mais velho que o senhor Aparecido, "pisciano" como ele, apesar que não acredito em "zodíacos e horóscopos".
    Eu tenho minha "carne usada há 35 anos", eu sou a carne velha.
    As vezes penso por que todos levam tudo para o lado sexual?
    O lado sexual é puramente TATO E OLFATO.
    O lado emocional é tato, olfato, visual, auditivo e sabor.


    ainda creio em capeuzinho vermelho

    34/5000
    Mostrando tradução para ainda creio em chapeuzinho vermelho
    Em vez disso, traduzir ainda creio em capeuzinho vermelho
    Încă mai cred în capota roșie."romeno"
    "panela velha FAZ comida boa"
    Para finalizar meu provérbio:
    Deus fez a mulher por último para não ouvir suas opiniões, mas deus deu a vocês o dom da escolha. Não reclames mulher de suas escolhas, exalte-as, inclusive as más. O CASTIGO DO HOMEM É ESPERAR SER O ESCOLHIDO.
    Ainda bem que fui bem escolhido.
    FUI...

    ResponderExcluir
  6. Une oeuvre d'art de Carina.
    Aparecido Raimundo de Souza, 65 anos, jornalista.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-