quarta-feira, 16 de maio de 2018

[Versos de través] Ver de perto o verde

Haroldo Barboza


As grandes florestas do nosso planeta
Foram cortadas pelo egoísmo profundo
E o tesouro verde que ainda resiste
Apelidaram de “Pulmão do Mundo”.

Montaram uma encenação teatral
Para enganar a pobre ignorância
Mas quem não vive anestesiado
Conhece o desejo da ganância.

Enfeitaram o picadeiro iluminado
Destinaram verba para corrupção
Espalharam satélites pelos ares
De olhos no tesouro da Nação.

Berço esplêndido não existe
Para quem dorme sobre palhas
Mas a dignidade deste Povo
Foi comprada com migalhas.

Nossa frondosa e verde Amazônia
Cheia de pássaros e rara beleza
Por nós deve ser preservada
Filha grata da rica Natureza.

Que nossa Bandeira Nacional
Um símbolo digno de festa
Traga cerzida em seu pano
O retrato desta linda floresta!

Se o povo desta imensa terra
Pretende que sejamos um país
Recupere o jardim do palácio
Arrancando o mal pela raiz!

A vitória nesta cruzada
Precisa de nossos herdeiros
Que mergulhados no “zapzap”
Esquecem que são brasileiros.

Sabendo que o atual modelo
Corrompido nada resolve
Demonstre sua indignação
E desta vez renove. Vote 99.
Título e Texto: Haroldo Barboza, 15-5-2018

Anteriores:

Um comentário:

  1. Realmente é uma vergonha, tanta ganância. SOS para o que ainda resta da mata atlântica! Ou: A mata atlântica pede socorro: São queimadas, são árvores cortadas e comercializadas clandestinamente, etc, etc, etc...

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-