segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

[O cão tabagista conversou com...] Bruno Miguel Branco: “Não somos nem de extrema-esquerda nem de extrema-direita. Somos de extrema justiça.”

Nome completo: Bruno Miguel Branco

Nome de Guerra: Branco

Onde e quando nasceu?
Barreiro, Portugal, em 1987.

Onde estudou?
Estudei no Barreiro até ao 6º ano, e daí em diante na Moita.

Onde passou a infância e juventude?
Cresci entre a cidade do Barreiro e cidades do mesmo distrito.

Quando começou a trabalhar?
Em 2004, como comercial de telecomunicações.

Ainda trabalha nessa área?
Sim, dedico-me inteiramente à área comercial no setor energético.
A minha função é liderar e ensinar equipas a vender. Faço-o de coração há muitos anos e penso que é uma recompensa enorme quando trabalhamos por objetivos.

Certo. Falando em setor energético, como vai a economia portuguesa?
A economia portuguesa está mal. Os governantes mentem sobre a situação real do país.

António Costa (primeiro-ministro) disse a semana passada que o país estava melhor e que os portugueses viviam melhor, no entanto, saiu logo em seguida também a notícia de que a dívida portuguesa tinha ultrapassado os 250 biliões de Euros.

Continuam sem solução para o desemprego, empurrando a juventude para cursos sem colocação.

Lisboa está refém da especulação imobiliária, um arrendamento de um T0 em Lisboa chega a custar 500 euros. Enquanto isso esbanjam milhões de euros em mordomias, em frotas de luxo, viagens, e olham para o povo de cima para baixo escudando-se com a Polícia.

Portugal está mal, privatizamos tudo o que devia ser o chavão do país e sob controlo do Estado. Os Portugueses continuam a pagar SCUTS ilegais, pagamos uma portagem de uma ponte sobre-o-Tejo que já está paga há décadas.

Pagamos a gasolina mais cara da Europa recebendo um dos salários mais baixos da Europa.

Portugal está num caminho suicida.

Pelo que percebi na sua resposta você é contrário à privatização?
Não me revejo como contrário a toda e qualquer privatização. Existem áreas onde é positivo e até melhor a privatização. Pessoalmente, no entanto, sou contra a privatização dos setores vitais do estado como a EDP e os CTT.

Quando foi eleito o atual PM de Portugal?
António Costa entrou para o governo em 2015. Muitos portugueses viram a tomada de poder como um golpe de estado uma vez que o Partido Socialista não foi eleito. No entanto, foi feita uma coligação de esquerda para derrubar o governo eleito.

Não quero com isto dizer que goste mais de um partido ou de outro. Na minha opinião todos os partidos com assento parlamentar são cópias uns dos outros com pequenas diferenças para darem a ilusão de escolha ao povo e escudam-se uns aos outros para se manterem no poder mesmo contra a vontade dos portugueses.

O que são SCUTS?
São portagens não-físicas sem paragem nas autoestradas europeias. Têm levantado muitas dúvidas quanto à sua legalidade.


Como assim “mesmo contra a vontade dos portugueses”? As sondagens (pesquisas de opinião) são ‘unânimes’ em afirmar que o Partido Socialista vencerá as próximas eleições...
Quando digo isso refiro-me a que não ganharam as eleições e governaram mesmo assim, não que os portugueses sejam diretamente contra.

Não acha que o princípio “utilizador paga”, isto é, quem utiliza um serviço do Estado deve pagar por essa utilização, liberando os impostos para ser aplicados/investidos nas áreas da Saúde, Segurança e Educação, mais justo?
O utilizador paga sempre, o problema das SCUTS é a duvidosa legalidade das mesmas.

Também, os impostos poderiam ser aliviados se não tivéssemos um Estado tão pesado, os partidos portugueses são dos que mais recebem de subvenção estatal na Europa. Mesmo sendo Portugal tão pobre, existem inúmeros institutos que nada fazem para o bem comum, a sustentabilidade da nossa segurança social está mal distribuída, dando lugar a reformas duplas com tetos gigantes ignorando os idosos que recebem menos de reforma mínima do que a renda mensal de uma pequena casa.

Sobre o presidente de Portugal qual é a sua opinião?
O presidente da República? Marcelo Rebelo de Sousa. Embora seja inegavelmente incansável em comparação com o Aníbal Cavaco Silva.

Continua a surpreender-nos com a sua falta de coerência quanto às afirmações que faz. Por exemplo, numa semana diz que o Brasil acordou triste com a eleição de Bolsonaro e na semana seguinte aperta-lhe a mão e lhe dá os parabéns, enquanto enaltece as novas relações Portugal-Brasil. Atenção que não estou a defender nem a criticar Bolsonaro. Estou a constatar um facto que de forma mais abrangente mostra a incoerência do Presidente da República.

Conhece o Brasil?
Espero conhecer um dia. Somos povos irmãos e tenho pena de não existir uma ligação bem vincada entre os dois países. Tenho família desde 2000 no Brasil e tenho todo o interesse em me deslocar e conhecer os meus irmãos (sim, eu tenho irmãos brasileiros).

Quer explicar melhor?
O meu pai vive no Brasil desde o ano 2000, portanto tenho irmãos nascidos no Brasil.

Você acompanhou as eleições presidenciais brasileiras? Como avalia a vitória de Jair Bolsonaro?
Quanto a Bolsonaro, não aprovo nem reprovo, mas aproveito para dizer que foi a resposta à corrupção sem limites nem escrúpulos, à maneira indecente e arrogante como os políticos olhavam para o povo de cima para baixo. Como a má gestão chegou a ponto de ruptura.

Como você se considera no leque político-ideológico: de esquerda, extrema-esquerda, direita, extrema-direita, anarquista, marxista, salazarista...?
Existem notas válidas na esquerda como na direita, concordo com algumas de esquerda e com algumas de direita. Não me revejo em nenhum rótulo ou colagem que tanta gente gostaria de fazer.
A minha missão pessoal é diferente.

Você é administrador de um grupo no Facebook, “Movimento Coletes Amarelos Portugal”, certo?
Sim, sou administrador e organizador, bem como outras pessoas que dão o melhor de si sem nada pedir em troca. Apenas com o povo Português em vista.

Respeitamos a liberdade de cada um carregar o cartão de militante do partido que quiser sem restrições. O movimento é totalmente apartidário, no entanto respeitamos a decisão política de cada um.

A nossa missão está acima da rotulagem esquerda-direita. O nosso líder é o povo português, nós somos meros organizadores para que a voz do povo se faça ouvir, unindo as ditas esquerdas e direitas pela primeira vez na história.


O que são e o que querem os “coletes amarelos” portugueses?
Exigimos um país livre de corrupção onde os políticos corruptos sejam inibidos de exercer todo e qualquer cargo público, onde os juízes tenham a coragem de os prender e onde os polícias tenham autoridade para agir.

Exigimos a subida imediata do ordenado mínimo nacional para 700 euros, tanto no público como no privado.

Rejeitamos uma classe governamental que nos trata como portugueses de primeira e de segunda.

Exigimos que o IVA sobre a eletricidade (bem essencial) desça para os 6 pontos percentuais. A própria DECO já se pronunciou nesse sentido.

Estamos livres das amarras sindicais e assim nos queremos manter.

Exigimos que sejam readaptadas as subvenções estatais para os grandes partidos, é risível que vivamos num dos países mais pobres da Europa e que os partidos políticos sejam dos que mais recebem na Europa.

Exigimos que o governo negocie a sustentabilidade da Segurança Social aplicando um teto máximo de 2 000 euros nas reformas, bloqueando ao mesmo tempo as duplas reformas, permitindo dessa forma uma reforma mínima de 400 euros, evitando assim a miséria que os nossos idosos passam hoje em dia. Eles que são os mais fragilizados da nossa sociedade merecem o melhor de nós e um fim de vida digno.

Entre outras reivindicações.

“A minha missão pessoal é diferente.” Em que é diferente?
É diferente no sentido em que mais do que estar preocupado em lutas esquerda/direita, estou preocupado com os Portugueses. Sem nenhum desejo de liderança ou protagonismo e faço das minhas palavras as dos restantes organizadores que têm dado tudo de si, nesse sentido.

Estamos a tomar medidas para que os membros do MCAP sejam recebidos pelo governo por um país melhor, seja qual for o governo em vigor.

Julgo que existem muitas páginas/perfis, no Facebook, que se denominam “coletes amarelos”. Na página que você administra você informa que as próximas manifestações acontecerão às 10h. Numa outra página, a convocação é para as 14h... está confuso, não?
É impossível evitar que qualquer pessoa crie um grupo denominado “coletes amarelos” e crie eventos.

Nesse caso aconselhamos a olhar para o número de membros do grupo antes de aderir, evitando deslocar-se a manifestações fantasma. Sabemos que existem vários grupos a convocar manifestações para horários e locais diferentes. Até agora as pessoas têm afluído, na esmagadora maioria, aos locais e horários que nós temos convocado, no entanto, não nos queremos impor a ninguém.

Os Portugueses têm toda a liberdade de se juntarem à manifestação que quiserem, e não condenamos outros grupos por existirem.

Se fica confuso? Talvez. Tentamos por diversas vezes, sem sucesso, contatar outros grupos mais pequenos para evitar essas múltiplas datas.

Pessoalmente, o horário das 14h seria ótimo, pois me permitiria participar e noticiar...
Iremos convocar para as 10h, no entanto, às 14h ainda lá estaremos.

Lisboa, 21 de dezembro de 2018, foto: Mário Gonçalves

A derradeira mensagem:
Não somos nem de extrema-esquerda nem de extrema-direita. Somos de extrema justiça.

Não esperem que as redes televisivas falem bem de nós, pois são controladas pelo sistema.

Sistema esse que, obviamente, tem medo do crescimento de um movimento sem ligações partidárias nem sindicais e, portanto, não controlável.

O contra-ataque a este sistema corrupto e podre começou.

Agora o Governo tem duas opções: ou nos ouve a bem, ou nos ouve a mal.

Muito obrigado, Branco!

Relacionados:

Conversas anteriores:

9 comentários:

  1. Gostei dos coletes amarelos ,pois se posicionam fora da direita ou da esquerda extremista , podendo usar ambas ideologias para conseguir seus intentos.

    O que os leva ao centro ,com equilibrio!

    Muito parecido com o que tenho postado aqui, ideologias são dispensáveis e retrógradas!

    Homens éticos e decentes com senso de justiça é o que a política do Brasil precisa, e parece que a de Portugal e França também!

    Ideologias de direita ou esquerda só servem para dividir nações e homens que poderiam atuar em conjunto para o bem de todos.

    As ideologias buscam antes de tudo o lucro financeiro de um grupo, que vem invariavelmente com o poder!
    Nenhum político pratica seu oficio por filantropia!

    E na entrevista ,onde ele diz que; "Rejeitamos uma classe governamental que nos trata como portugueses de primeira e de segunda." ,eu só trocaria o portugueses por brasileiros!

    Paizote

    ResponderExcluir
  2. Já estava sentindo falta das entrevistas do amigo.
    Feliz 2019.
    Idacil

    ResponderExcluir
  3. Depois do 'populista' e abjeto telefonema do presidente da República a uma apresentadora de televisão, sou confrontado com a realidade: a esquerda assumida, a envergonhada e a travestida DOMINA Portugal. Por algumas gerações.

    ResponderExcluir
  4. Miudos com sede de protagonismo..

    ResponderExcluir
  5. Estes gajos são aldrabões e pouco dotados de inteligência.... eles é que sabem afinal, fazer discussão e dispersar as pessoas é o q este gajo sabe fazer. Evita o protagonismo, manchas a imagem do movimento todo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Consegue elaborar fundamentos melhores que esse? Amigo,se procurasse protagonismo não tinha rejeitado todas as entrevistas á comunicação social. Cumprimentos

      Excluir
  6. O entrevistado demonstra assertividade no firme propósito da busca pelo que acredita .Terá muito a vivenciar e a aprender , tanto na vida quanto no campo político; afinal é bastante jovem e viverá grandes oportunidades. Oxalá as aproveite da melhor forma. A forma ideológica da esquerda na Europa é bem diferente do "modus operandi" no Brasil; este estava mais afinado com a metodologia de Ortega, Maduro, Cristina Kirshner , Morales e os irmãos Castro ... tudo indica que essa nefasta, perversa e arrogante ideologia ficou no passado,a partir do dia primeiro deste novo ano . Não obstante, qualquer extremismo fanático, tanto de direita quanto de esquerda, é prejudicial a qualquer nação. Contudo, a visão de extrema direita ( e conservadora) do novo governo brasileiro que acabou de entrar propõe um novo caminho bem melhor para nós, brasileiros, e para aqueles que decidiram fazer do Brasil um novo lar. Não serão os próximos 4 anos suficientes para botar o Brasil no rumo certo, mas foi dado o primeiro grande passo na direção do desenvolvimento e respeito das grandes nações. Voltando a Portugal, não sabia que lá também instituíram as "jaquetas amarelas"... pensei que havia somente na França! Portugal e Brasil são muito parecidos no quesito da política; muita putaria e corrupção ; mas também tem gente séria , não se pode generalizar...
    O socialismo parece ter provado que não é uma opção ideológica adequada para se governar uma nação. Grécia , França e Portugal demonstraram isso . O Brasil na era Lula & Dilma, idem ! Os países que seguiram - ou seguem - essa ideologia política, cedo ou tarde acabam enfrentando problemas econômicos e sociais difíceis de equacionar ( ás vezes impossíveis) e experimentam conflitos internos bem parecidos com as guerras civis.Vemos que não somente Portugal e o Brasil ( Avô e neto) passam por uma grande transição, mas o restante do globo terrestre vivencia tempos difíceis e belicosos. Quanto ao Brasil, parece que chegou a hora da "onça beber água"... o novo governo está conseguindo neutralizar a horda petista socialista extremista. Merecemos um país melhor e mais desenvolvido ! Portugal também !

    Grande abraço.

    Sidnei
    Assistido Aerus - RJ

    ResponderExcluir
  7. Não estando aqui a defender nem atacar ninguém, até porque não conheço o jovem, mas pelo que aqui foi dito por ele, é um jovem com ideias acertadas e coerente em tudo o que disse. "Miúdos com sede de protagonismo" disse, pergunto e os velhos, que já foram novos, que nos têm governado ao longo destes tempos, são o quê, quiserem o quê e continuam a querer o quê???

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-