sábado, 19 de agosto de 2017

Mais um exemplo de canalhice

Vitor Grando

A cada dia que passa torna-se ainda mais imperativo a defesa de Donald Trump. Não importa o que você pensa sobre ele. Jamais houve figura pública tão execrada publicamente quanto ele. Trata-se da maior campanha de difamação e assassinato de reputações já promovida na história moderna contra um indivíduo. É abjeto. Vil. Imoral.

Vejam só mais um exemplo da canalhice da mídia:

"Trump alimenta intencionalmente a violência. Seu slogan de ‘fazer a América grande de novo’ é igual a ‘fazer a América branca de novo.”


Texto: Vitor Grando, Facebook, 18-8-2017

Relacionados:

14 comentários:

  1. No passado, quando o autor deste texto era pouco mais do que um menino ,ousei polemizar com o mesmo.
    Perdi de goleada !
    A inteligência do mesmo e a religiosidade me derrubaram.
    Ainda hoje fico estarrecido com algumas posições , que ao meu ver não fazem jus a tal inteligência e cultura ,são por demais conservadoras.
    Mas mantenho meu respeito
    Mesmo sem entender , como pode um jovem assim pensar!
    Desculpe a franqueza.
    Abraço fraterno!
    Paizote

    ResponderExcluir
  2. Prezado Vitor, hoje apoiar ao Trump, dizem ser "nazismo" ou qualquer outra expressão! Será que Trump merece isto? Eu abomino esquerdistas!!!
    Abs,
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir
  3. Prezado Vokart, já eu, (usando a mesma expressão que vc usou) Abomino direitistas ,principalmente os extremistas.
    À propósito , extremistas os abomino de esquerda ou de direita, por uma razão simples ,eu não os entendo.
    Aos de esquerda pelos métodos,aos de direita pelo obscurantismo e a ambos pela insanidade.
    Falta à ambos a razão.
    O centro permite dialogar com esquerda e direita moderada,sem fanatismos, mesmo quando não os entendemos.
    Paizote

    ResponderExcluir
  4. Ps; Embora o termo que vc usou e eu repeti (abomino),não me pareça apropriado. eu preferia substitui-lo por lamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Caro Paizote, "lamento" é um termo muito brando. Vc concorda em seu comentário, que os extremos são maléficos e é a eles que me refiro.
      Concordo que o Centro é mais racional e equilibrado. Talvez a minha redação te levou a pensar diferente.
      Abs,
      Heitor Volkart

      Excluir
  5. Permitam-me discordar.
    NÃO EXISTE ESSE NEGÓCIO DE CENTRO ISSO, CENTRO AQUILO.
    As linhas que definem os opostos ou as dualidades são tênues e minguadas.
    CENTRO É FICAR EM CIMA DE UM MURO MUITO FININHO TAL E QUAL UMA CORDA BAMBA.
    Ah, o fulanos é cetro esquerda e o beltrano centro direita, isso é baboseira.
    Todos enrustidos de esquerda ou direita.
    Economia todos são capitalistas.
    Nas politicas econômicas capitalistas uns moderam com o estado os outros com o mercado.
    Um exemplo de CENTRISTA FOI TANCREDO NEVES, ministro do Getúlio Vargas, auxiliar do corrupto JK, fez oposição moderada aos militares,
    e morreu tarde. TANCREDO vivia em cima do muro.
    ZERO É ZERO, +1 OU - 1 NÃO É MAIS zero.
    FUI...

    ResponderExcluir
  6. Meu caro, e gratuito, litigante;
    Em cima do muro pode ser uma posição inteligente, se considerarmos que de um lado existe um leão faminto e no outro um crocodilo idem.
    O ideal seria não existirem muros.
    Já que, hipoteticamente, foram criados, é preciso se equilibrar para não alimentar nem um nem outro monstro, considerando que ambos querem te devorar.
    Existe sim, um centro, um equilíbrio, um diálogo, que alguns preferem chamar de “muro”.
    Mesmo que seja num idealismo desconfortável.
    Do contrario, é aceitar que a raça humana não tem mais cura.
    Séculos de evolução teriam sido inúteis.
    Pelo menos podemos nos equilibrar entre o ruim e o pior, sem optar por um ou outro.
    E enquanto existirem muros para que os loucos de ambos os lados sejam separados e contidos, poderemos acreditar ser possível paz, num todo caótico.
    O muro ,se existe,tem um propósito, mostrar aos extremos que para alguns de nós ainda tem esperança no ser humano.
    Pelo menos até que eles, ou se devorem entre si, ou deem uma chance ao homem sensato.
    Quem não crer nisto, e se empenhar pela discórdia, é um lamentável arremedo de gente.
    Paizote

    ResponderExcluir
  7. Quando que Vc concorda!!! Rsrsrsrsrsrs.
    Abs
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir
  8. Paizote,
    Seu exemplo não me serve, porque tanto o leão e o crocodilo faminto representam a mesma coisa.
    A linha só existiria se do outro lado estivesse a comida do faminto.

    A linha tênue que divide os opostos existe.
    Não podemos nos equilibras nela.
    Quando nos encontramos perante iguais malvados, não podemos ser bons e viceversa.
    Sua tentativa de ficar entre os dois famintos onde não há muro nenhum a separá-los, tem de lutar.
    O MURO do qual falamos é hipotético, uma linha fina imaginária.
    No seu exemplo eu correria para o lado do crocodilo faminto e deixaria o tigre para ele.
    Agora se houvesse um muro que o leão não me alcançasse será que eu morreria de fome em cima desse muro ou correria do crocodilo?
    O muro que separa o amor e o ódio é imaginário.
    Assim o muro que separa as supostas esquerdas e direitas do mundo também o é.
    Noutra resposta em outro tópico, eu escrevi que essas definições não servem mais.
    O mundo virou uma luta entre o PROTECIONISMO e a CONCORRÊNCIA.
    Eu queria que o Brasil fosse mais protecionista de suas riquezas.
    Continuamos primaristas, vendendo riquezas para fora e comprando os produtos secundários.
    fui...

    ResponderExcluir
  9. Li a última IstoÉ.
    Logo na capa a chamada "A ESCALADA DO ÓDIO - O novo nazismo sob as bençãos de Trump e o terror em Barcelona".
    Para denegrir o Trump ("que apoia 'explicitamente' os extremistas", leia-se os extremistas de direita, pois a esquerda não tem extremistas) são CINCO páginas;
    Sobre Barcelona, DUAS páginas!
    Logo a seguir à matéria sobre Barcelona, uma matéria de QUATRO páginas "PODERIA SER SEU FILHO - O drama dos jovens brasileiros presos nos Estados Unidos", sobre casos PONTUAIS de jovens brasileiros que tiveram recusada a entrada nos EUA. Até novembro de 2017, os jovens brasileiros entravam alegremente nos EUA, os agentes de imigração os recebiam com bombons Garoto e tigelas de Açaí. Era emocionante! Mas, Donald Trump assumiu a presidência dos EUA e, desde então, MILHARES de jovens brasileiros, são recusados, presos, deportados, torturados, um horror!
    Às segundas, quartas e sextas-feiras, Donald Trump vai para o aeroporto JFK, em Nova Iorque, para, presencialmente, DECIDIR quem entra nos EUA. A CNN apurou que TRUMP recusa todos os jovens brasileiros. E às terças, quintas e sábados, ele, o Trump, vai para o aeroporto de Miami, e o horror se repete.
    Tem razão Kim Jong-un, da ameaçada e acuada Coreia do Norte, em querer libertar o seu povo e atacar Seul, Guam, por enquanto.

    Aliás, apodam as falas de Trump como "incontinência verbal que ameaça com 'fogo e fúria', de fanfarronice", quando este responde às infantilidades do líder bem-amado Kim Jon-un.
    O que dirão quando lembrados do que disse o moderado e intelectual, John Kennedy, em 1962?
    "Se lançarem um único míssil contra os nossos aliados do hemisfério ocidental, levaremos a cabo uma resposta nuclear completa e maciça contra a URSS."

    ResponderExcluir
  10. Muitas pessoas não têm noção do que é realmente o New York Times e que linha política eles seguem. Falam dele como se fosse um jornal muito sério, isento e responsável, quando, na verdade, é um órgão totalmente subordinado aos interesses globalistas e esquerdistas.

    É preciso que se tenha em mente que um jornal deste porte, nos EUA, não pode se comportar como um panfleto do PT, como um macaco em loja de louça. Tem que manter uma certa linha para ter um mínimo de crédito junto ao público, uma vez que este é bem mais esclarecido, em média, do que os leitores do resto do mundo.

    Portanto, a linha real do NYT é totalmente dissimulada, misturando fantasia e realidade, para passar a mensagem de seus verdadeiros donos, a esquerda mundial...

    Guardadas as devidas proporções, é um jornal como O Globo, no Brasil, que finge ser de direita, mas só passa mensagens subliminares de esquerda.
    Abcs
    Dominguez

    O novo fetiche leninista do New York Times: União Soviética e eco-notícias falsas

    ResponderExcluir
  11. Recebi um e-mail daquele site esquerdista (ou petista), Avaaz, com uma demanda para eu assinar:
    “Impeça que Trump controle a internet -- temos 2 dias!”
    Tem razão o Vitor. É surreal!

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-