terça-feira, 30 de outubro de 2018

[Foco no fosso] A luta não termina hoje

Haroldo P. Barboza

Com a consagração popular expressiva, o novo Presidente (*) fechou o ciclo da 1ª (e mais importante) batalha pelo resgate da nação com sua dignidade esgarçada por dezenas de anos de furtos financeiros e pisoteamento do respeito e da dignidade do cidadão de bem.

(*) = do qual mais de 55% de eleitores lúcidos esperam fidelidade na estratégia que viabilize a trincheira de combate aos ratos que disseminam a corrupção em nosso território. CADEIA neles!

Afastamos a possibilidade de o comando ser devolvido à quadrilha que saqueou abertamente a Petrobras e outras empresas de menor porte, causando uma enorme queda de qualidade dos serviços públicos prestados e empobrecimento de grandes camadas da população. E muitos deles ainda transitam sob o olhar complacente de uma Justiça “vendada” (na volta ou na “ida”?).

Mas isto não é o suficiente para produzir frutos, pois não basta largar a semente na terra sacrificada e torcer para que a Natureza se encarregue do resto. Torcer se restringe a fatos distintamente identificados como aleatórios, tipo o peixe parrudo encontrar seu anzol no costado da praia ou o botinudo consignar um gol de “bicicleta”.

Agora vem a parte do trabalho de reconstrução. Será demorada. Haja paciência. Mas o tempo se reduz com o avanço atingido em cada etapa.

Cabe ao governo definir com CLAREZA os planejamentos dos projetos. Informando objetivo de cada um, data de início, investimento previsto, fonte de custeio (*), etapas, formas de pagamentos, normas de uso e afins.

(*) = eis uma oportunidade de demonstrar coragem e obter mais apoio dos cidadãos honestos: cortar as mordomias dentro da própria esfera. Haja “Mi(ni)stério” ocioso.

Cabe aos legisladores federais (ainda que a “renovação” não tenha sido a desejada) reduzirem as cobranças de carguinhos para a parentada. Bem como trabalhar mais algumas horas por ano em projetos concretos.

Que a Justiça deixe de livrar pilantras prestes a serem julgados na 3ª instância.

Que governadores e Prefeitos busquem maior entendimento com as esferas elevadas, despojando-se da vaidade que conduz a gastos fúteis, só pelo prazer de verem seus nomes nas placas de inauguração de obras mal-acabadas.

E cabe ao povo (a partir de HOJE) demonstrar que deseja honestidade no timão da embarcação.

Deixando de bancar o esperto na sonegação de impostos, desvios de energias, usando lugares reservados a deficientes, deixando de avançar o sinal nos horários seguros (após 23 h, na fronteira da área violenta, não vamos ser hipócritas e exigir rigidez nesta norma). Até o “pardal” some neste momento. Uma clara confissão de ineficácia no exercício da tarefa de nos proteger, por um imposto bem elevado e bem desviado.

O jardim do futuro
O cenário exala cheiro de podridão
Mas quem possui apurado faro
Percebe um odor de esperança
Na figura do vencedor Bolsonaro.


Título e Texto: Haroldo P. Barboza, Rio de Janeiro, 28-10-2018 - Data da consagração nacional.

Anteriores:

9 comentários:

  1. E agora José ,digo... Jair?

    O texto acima reflete a realidade pós urnas.
    Não convenceu ainda a todos, apenas a uma minoria !
    Não recebeu um cheque em branco do povo brasileiro, e sim uma permissão para trabalhar muito, tentando conquistar a outra metade do Brasil.
    Que enquanto cidadãos no uso de seus direitos ,faze jus a mesma dedicação do governante,equiparados aos que viram antecipadamente nele, uma possibilidade viável de acertar os rumos deste país.
    A constituiçã exige um presidente para todo o povo brasileiro.
    Simpatizante ou não!

    Mesmo quem teve a convicção de que o eleito ,é o menos ruim dos candidatos apresentados, e apostou no mesmo,tem que aceitar que se considerarmos inclusive os votos inválidos ,Jair,foi eleito com menos de 40% dos Brasileiros em condições de votar.
    Quem não teve, por opção, o voto validado ,manifestou de forma legítima,que ainda tem dúvidas em relação ao candidato!
    E optou , como lhe faculta o sistema democrático, não votar em nenhum,por não confiar que o sistema vigente possa oferecer respostas definitivas.
    Portanto foi eleito com votos de uma parcela políticamente esclarecida da população , mas sem a certeza de que é o candidato que conseguirá fazer um Brasil ,como espera o povo deste .
    Isto não invalida o mérito do eleito!
    É o mérito maior,foi o de afastar o grupo comprometido com o PT!
    Por enquanto é só!
    No mais ,são expectativas !
    A tarefa mais difícil ainda não começou!
    Não sejamos ingênuos pensando que com a eleição, todos os problemas estão resolvidos, agora é que vem a "faxina"!
    E nesta , todos deverão colaborar,como foi bem colocado acima,no texto que ouso comentar.
    Muito trabalho espera ao novo presidente !
    Ser melhor do que os que passaram pelo cargo,é muito pouco!
    Precisamos de muito mais!
    E sem dar um cheque em branco,mas aceitando o eleito, fiscalizando, criticando quando for o caso,mas deixando- o
    trabalhar, com a esperança de que , mesmo não sendo o ideal, consiga surpreender a todos.
    Inclusive aqueles que ainda mantém dúvidas!
    A festa acabou ,foi aprovado , o emprego é seu,agora é trabalho e trabalho.
    E não se iluda , nem com os que o apoiaram,e menos ainda com apoiadores de última hora.
    Seu Jair, tarefa hercúlea o espera.
    Então...boa sorte!



    Paizote

    ResponderExcluir
  2. O brasileiro "DESEJA" Sergio Moro no Ministério da Justiça!

    ResponderExcluir
  3. Iluministas

    Nos próximos dias a chuva, o sol, o vento e tudo o que de mau possa acontecer será por culpa do Bolsonaro. O fascista de ontem já foi. Agora é Bolsonaro. Se espirra. O que diz. A catástrofe. O horror… Até que outra criatura vai ser o boneco vudu destas élites a quem o despotismo esclarecido surge cada vez como mais tentador.

    ResponderExcluir
  4. Todos os "istas" que acabaram virando "memes",ficam no passado até novas manifestações atrapalhadas!
    Agora resta apenas o "Bolsonista" e este pode ser um adjetivo para um bom governo , é o que todos esperam !
    Mas é fundamental a fiscalização constante e a critica fundamentada!
    Este é o preço, e o "O preço da liberdade é a eterna vigilância. Disse um sábio!
    Quem se expõe na vida pública tem que aceitar críticas, desde que fundamentadas, senão olha o exemplo dos que acabam de sair!
    A propósito disto , registro que quem aceita ser presidente do Brasil ,
    deve também estar preparado para a oposição, que deve ser justa e sem perseguições, mas não recebe do povo um cheque em branco!
    Paizote

    ResponderExcluir
  5. E por falar em assombrações ,aquele meu parente filiado ao partido falecido, veio me fazer uma visitinha. A titulo de tomar uma cervejinha descompromissada após o sufoco das eleições.
    A certa altura ele me sai com esta ; Ao perder para o Bolsonauro,eu sobrevivi , mas se o Grêmio for campeão da libertadores , me suicido! RSRSRSRS

    paizote

    ResponderExcluir
  6. Apenas comentando.
    Aceitar ou não o resultado de uma eleição não é DEMOCRACIA.
    A tal democracia foi a própria eleição, o exercício da cidadania pelo voto.
    Aliás todo mundo devia dizer em quem vota, apenas opinião.
    Por outro lado "CRACIA" significa "GOVERNO".
    Vivenciamos por anos "ARISTOCRACIA" não de BERÇO, mas de concessão.
    O "demo" ou povo concedeu a determinados grupos a serem aristocratas.
    DEMO é POVO em grego, mas por vezes é o próprio "DEMO' ou demônio das liberdades individuais.
    OPOSIÇÃO não significa rejeitar projetos bons e necessários ao povo.
    Oposição significa APROVAR OS PROJETOS BENÉFICOS MELHORANDO-OS OU APRESENTANDO-OS.
    O Brasil é o país do " SENÃO É MEU NÃO PRESTA".
    Eu chamaria de "bolsonarianos".
    Bolsonista significa uma ideologia.
    Podemos ver que a mídia quer soluções de Bolsonaro antes de ser colocado no cargo.
    Nunca cobraram dos anteriores, porque nunca houvera OPOSIÇÃO.
    “Estava tudo como dantes no quartel d'Abrantes”.
    Esta teoria beócia, vem desde nosso império, com tentativas de tirar o povo desse marasmo intelectual.
    Por incrível que pareça OS NOSSOS INTELECTUAIS NUNCA DEIXARAM, SEMPRE FORAM OPOSIÇÃO.
    Dom João VI até fugira ao Brasil para deixar tudo como antes.
    Para fugir de Abrantes, temos de ajudar a governar o Brasil como nunca fora feito.
    Quem sabe o espírito de Napoleão nunca invada o Brasil e nosso Bolsonaro não seja um filho que fuja à luta.
    fui...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom,lúcido e didático comentário!

      👍👌🐢
      Paizote

      Excluir
  7. A luta só está começando!

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-