domingo, 24 de março de 2019

[Aparecido rasga o verbo] Mais uma estrela que se apaga

Aparecido Raimundo de Souza

Senhoras e senhores, infelizmente mais um grande artista nos deixa. Faleceu neste sábado, 23 de março, às 14 horas, com 83 anos, o escritor, cineasta, ator e dramaturgo, Domingos José Soares de Oliveira, ou simplesmente Domingos Oliveira, quando escrevia em seu apartamento, no Leblon, zona sul aqui do Rio de Janeiro.


Embora socorrido às pressas por familiares, não resistiu, tendo chegado a óbito antes mesmo de dar entrada em um hospital próximo à sua casa. Domingos Oliveira nasceu em 28 de setembro de 1935. Neste ando de 2019 completaria 84 primaveras.

Passou a fazer parte do elenco da Rede Globo em 1963, cuidando da programação da emissora, que só entraria no ar dois anos depois. Formado em Engenharia elétrica, nunca se enveredou por este caminho. Todavia, acumulou nesses anos todos, as profissões de dramaturgo, cineasta, escritor e ator. 

Sua primeira aparição, em público se deu, ainda, quando estudava em escola pública. Interpretou com brilhantismo o papel de um cardeal português na peça “A Ceia dos Cardeais”, de Júlio Dantas.   Roteirizou mais de uma dezena de filmes, com destaque para “Barata Ribeiro 716” (2016), “Infância” (2014), “Primeiro dia de um ano qualquer” (2012), “Dois filhos de Francisco” (2005), “É Simonal” (1970), e “Todas as mulheres do mundo” (1966) entre outros. 

Como ator participou de uma série de episódios e novelas, entre elas, “Os Maníacos Eróticos”, “Amores”, “Redentor” e “Juventude”. Dirigiu os longas-metragens “Todo mundo tem problemas Sexuais”, “Barata Ribeiro 716” e “Deliciosas Traições do Amor”.

Domingos Oliveira sofria do Mal de Parkinson. Apesar das dificuldades para escrever e, sobretudo para se locomover, nunca parou um dia sequer de produzir. Foi aplaudido com veemência pelo público na interpretação de “As Noivas de Copacabana”, nos idos de 2006, e igualmente em “Helena”, em 1987.  

Domingos foi casado com a atriz Leila Diniz entre 1962 e 1965 e, atualmente, com a escritora e também roteirista Priscilla Rozenbaum. Deixa os filhos Maria Mariana, Frederico de Oliveira, Daniela de Oliveira e Igor de Oliveira.

Nossos pêsames às famílias enlutadas. O velório acontecerá ainda hoje, a partir das 22h no Teatro Planetário, na Gávea.
Título e texto: Aparecido Raimundo de Souza, do Rio de Janeiro. 23-3-2019

Colunas anteriores:

2 comentários:

  1. Meus pêsames a familha e amigos ele se foi mas deixou muito mas que trabalhos e sim uma vasta quantidade de sabedoria para os futuros escritores deste pais defasado por falta de pessoas deste gabarito

    ResponderExcluir
  2. Meus pesames a familha e parentes e amigos perdemos um exemplo de pessoa mas ele deichou vasta quantidades de trabalhos para a geração futura ver a realidade dos dias atuais a onde muitos se esconde nas sombras dos outros mas pessoas como Domingos jose não presizava desta forma de esconderijo porque oque fazia era com amor e destresa para seu publico

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-