sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

O “País que não queremos”

Carina Bratt

A Rede Globo de Televisão está convocando a população, em toda a sua grade de programação, ou melhor, conclamando os babacas e idiotas que assistem às porcarias e às merdas da emissora, a enviar vídeos de lugares bonitinhos ao fundo, no qual, você, ou dito de outra forma, os palhaços, os bufões de carteirinha, arrumadinhos, perfumadinhos e sorridentes, dizerem alto e em bom som, sobre o "PAÍS QUE QUEREM TER".

Dessa forma despretensiosa a emissora dos Marinhos dá início à sua campanha política, cutucando os internautas a terem os seus quinze segundos de fama para montar a sua base, base essa cheia de gente fresca em lugares simpáticos e aprazíveis. Que lindo, que bonito! Sensacional. Pura farsa, velhacaria de primeira ordem.

Rogo a todos os vaidosos de plantão que não se deixem seduzir pelo chamamento à vaidade. Ao contrário, façam vídeos sim, muitos, mas com o real cenário do que temos no momento, ou seja, lotem a caixa desses vagabundos com as imagens dos hospitais falindo, suas filas intermináveis e todas as mazelas e desgraças que não deveriam existir, inclusive a de um amontoado de desempregados e famintos em busca de nada.

Mostrem o sucateamento das nossas polícias, de suas frotas, dos seus equipamentos e armamentos. Façam vídeos trazendo à baila a decadência do ensino e o abandono das escolas. Mostrem, pelo amor de Deus, para o povo que ainda acredita em milagres, as imagens dos arrastões, dos assaltos, de toda a falta de segurança que temos em nosso cotidiano. Mostrem as avenidas e ruas esburacadas, os viadutos sem manutenção, as ruas sem segurança, sem policiamento, sem a devida iluminação.
 
Ilustração: Brum
Mostrem, por favor, mostrem sem medo, as áreas alagadas, as favelas, os desnutridos, os sem amanhã. Mostrem o total abandono com os humildes, mostrem os esgotos a céu aberto, os mendigos que povoam as praças, as crianças pedindo nas sinaleiras e outras tantas se prostituindo.

Tragam para esse bando de boçais os preços exorbitantes, as invasões de terras...  enfim, tudo o que estamos vivendo, inclusive, o mau atendimento que recebemos daqueles que deveriam lembrar que somos nós que pagamos os seus altos salários.

É o mínimo que podemos mandar de volta. O retrato de uma tragédia anunciada. A falta de decoro com aqueles cidadãos de caráter, que, verdadeiramente fazem esse país seguir em frente, apesar de capenga e manietado. Vamos, pois, inverter o tema para o "O País que eu não quero" e mandar como bombas de efeito moral para todas essas autoridades de merda que mamam as nossas custas.

Vamos tentar acordar essa imensa população tapada, vendada, amarrada, para que assistam a esses vídeos. Se eles, os poderosos, os grandalhões querem cenas bonitinhas para fazerem as suas matérias, que façam sozinhos.

Se em verdade é para o povo ajudar, que seja para mostrar o lixo, a podridão, a putaria, a sacanagem, a devassidão que eles não querem ver.  Vamos lá, gente! Chegou a hora de unirmos forças, de mostrarmos o País que não queremos mais e que as mídias compradas ajudaram e ajudam a construir iludindo a população desassistida e abandonada à própria sorte.  


Chegou a hora, o instante mágico de devolvermos a esses pilantras e canalhas, safados e celerados, o melhor que temos! Ou o melhor que nos restou ainda pulsante e intocável. Nosso caráter, nossa indignação, nossa raiva pelo descaso, pelo desarrimo, pela privação.

Sobretudo, vamos deixar claro e cristalino a esses assassinos que NÃO SOMOS E NUNCA FOMOS COVARDES
Título e Texto: Carina Bratt, secretária e assessora de imprensa do jornalista e escritor Aparecido Raimundo de Souza. De Copacabana, no Rio de Janeiro. 19-1-2018

Relacionados:

3 comentários:

  1. Surtou geral!
    Pessoalmente uso o meu controle remoto. Só isso.

    ResponderExcluir
  2. E não tenham receio de afirmar que o BBBB(*) não é apropriado para entrar em nossos lares. (*) = Big Bordel Brocha Brasil

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-