quinta-feira, 9 de maio de 2019

Maior parte dos brasileiros reconhece que é preciso reformar a previdência

A reforma da previdência é considerada necessária para 59% da população: 31% concordam totalmente com a sua necessidade e 28% concordam em parte. Além disso, 72% dos brasileiros concordam com o estabelecimento de uma idade mínima para a aposentadoria. O nível de conhecimento da atual proposta de reforma da previdência ainda é baixo. Apenas 36% dos brasileiros afirmam conhecer o conteúdo da proposta. Entre eles, 51% afirmam ser contrários à proposta e 39% afirmam ser favoráveis.


A maior parte da população, 59%, concorda com a necessidade de reformar o sistema previdenciário. Além disso, é possível observar que o apoio a um dos principais pontos de uma reforma da previdência tem crescido nos últimos anos. Em 2015, 65% dos brasileiros concordavam com o estabelecimento de uma idade mínima para a aposentadoria. Em 2019, esse percentual subiu para 72%.

Apesar de a maioria da população concordar que é necessário fazer uma reforma da previdência,
quando perguntadas se são a favor ou contra a atual proposta de reforma da previdência, 51% das pessoas que afirmam conhecê-la se dizem contrárias a ela, enquanto 39% afirmam ser favoráveis. Chama atenção o fato de que apenas 36% dos entrevistados afirmam ter conhecimento amplo ou conhecer os principais pontos da atual proposta de reforma da previdência.

Embora a maioria da população defenda a adoção de uma idade mínima, ainda há grande concentração de pessoas, 80%, que entendem que a aposentadoria deve ocorrer até os 60 anos. Porém, vale destacar o aumento do percentual da população que acredita que a aposentadoria deve ocorrer com 61 anos ou mais.

Em pesquisa feita pela CNI em 2007, 8% afirmaram que as pessoas deveriam se aposentar com 61 anos ou mais. Esse percentual aumentou para 19% em 2019.

Grande parte dos brasileiros (79%) sabe que há regras de aposentadoria diferentes para alguns grupos de pessoas e a maioria entende que devem ser mantidas regras previdenciárias diferentes para trabalhadores rurais (62%), mulheres (62%), professores (61%), policiais civis (56%) e militares e Forças Armadas (56%).

Por outro lado, a população entende que os políticos (74%) e os servidores públicos (57%) devem estar sujeitos às mesmas regras que os demais trabalhadores.
(...)
Título, Imagem e Texto: CNI – Confederação Nacional da Indústria, 9-5-2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-