sábado, 25 de maio de 2019

Para sermos rebeldes e agir contra o sistema

José António Rodrigues Carmo

Os tempos mudaram.
Ontem, um número razoável de gazeteiros faltou às aulas, e em vez de falta e olhares severos em casa, como noutros tempos, tiveram direito a reportagem televisiva e olhares benevolentes por parte dos pais e de uma certa fauna mediática que debita e amplifica os mesmos slogans ativistas e tontos.

Pelos vistos o guru da seita é uma adolescente sueca, com alguns problemas do foro psíquico (tem Asperger) e que, ao que consta, dirigiu a sua natural tendência à obsessão para o "problema do clima".

Greta Thunberg
É o espírito do tempo que os ídolos e filósofos da massa sejam exatamente da mesma massa infantil e primária.

Também não é de estranhar que estes putos acéfalos, mais os professores embevecidos que lhes amparam e estimulam as patetices, com os atoleimados pais a aprovar e a assistir, repitam as patacoadas mais primárias do breviário do esquerda.net.

Um dos putos, debitava, como um papagaio amestrado, slogans como "para sermos rebeldes e agirmos contra o sistema, blá-blá-blá".

Ou seja, os meninos da Greta, querem ser rebeldes e lutar contra o sistema, porque ser rebelde é bom, ser contra o sistema é fixe, e há lá maneira melhor do que ser rebelde e fixe, do que fazer gazeta às aulas, com a televisão em modo ternurento, os professores a incentivar e os paizinhos a assistir?

Contra quem era a manifestação?

Ah, contra o "sistema", que os adultos tontos e ignorantes que os tutelam, lhe dizem ser "mau para o planeta".

É a este nível que estamos. Reduzidos à apologia da estupidez, à ignorância convencida, à ideologia mais primária a ser deglutida e logo vomitada por criancinhas que "querem ser rebeldes e lutar contra o sistema" que não só lhes dá os telemóveis com que se pavoneiam, mas também tudo aquilo que lhes permite "lutar contra o sistema", nomeadamente a liberdade de serem idiotas.

Quando vejo milhares de putos a debitarem os slogans mais boçais do esquerda.net, sob o aplauso dos adultos, vejo que o domínio do ensino e dos media pelos ativistas ideológicos está quase completo e Gramsci triunfou.

Se uma percentagem significativa destes putos não se revoltar contra a abjeta lavagem ao cérebro que lhe é imposta no ensino estatizado, isto não vai acabar bem, e mais tarde ou mais cedo, acordaremos na Venezuela ou nas habituais distopias de totalitarismo, miséria e intolerância.
Título e Texto: José António Rodrigues Carmo, Facebook, 25-5-2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-