terça-feira, 28 de maio de 2019

[Aparecido rasga o verbo] A “Jenifer” de Gabriel Diniz está de luto. E o Brasil também

Aparecido Raimundo de Souza

Mais uma vez voltamos com  edição extraordinária, de nossa coluna “RASGANDO O VERBO”, desta vez para informar a todos os nossos leitores da “FAMÍLIA CÃO QUE FUMA” que veio a óbito, hoje, 27 de maio, por volta das 12 horas, aproximadamente, o cantor e compositor GABRIEL DINIZ [foto], quando o avião de pequeno porte, em que o artista viajava um Piper Cherokee, monomotor, ano de fabricação 1974, número de ordem – 28.180 - Prefixo PT-KLO, com capacidade para quatro passageiros, registrado em nome do Aeroclube de Alagoas decolou de Salvador, aqui na Bahia, com destino a Maceió. De repente, os pilotos Abraão Farias e Linaldo Xavier, perderam contato com a torre de controle do aeroporto local e logo em seguida a notícia do acidente.


A aeronave seguia para Maceió. O músico pretendia fazer surpresa à namorada a psicóloga Karoline Calheiros, que, exatamente hoje, completa 25 anos. Segundo informações de testemunhas o avião “entrou numa espécie de parafuso” e caiu em meio a um forte estrondo, na divisa da Bahia com Sergipe, perto de Porto do Mato, em Estância (SE), região Sul de Sergipe, área conhecida como Dunas da Praia do Saco, localidade de difícil acesso, ou seja, o Piper emborcou num manguezal e, em face disso, os bombeiros tiveram dificuldades para chegar até o local dos destroços. Um fato determinante chamou a atenção das autoridades aeronáuticas. Chovia muito na hora e a visibilidade na região se fazia precária.


JOSÉ GABRIEL DE SOUZA DINIZ, artisticamente Gabriel Diniz, 29 anos, nasceu em 18 de outubro de 1990. Natural de Campo Grande (MS) o cantor havia acabado de fazer um show em Feira de Santana para três mil pessoas. Ficou conhecido no Brasil inteiro pelo hit “JENIFER”. Falamos com o pai do cantor, por telefone, senhor Francisco Diniz e ele, generosamente, nos informou que Gabriel “não viajava de carona. O fretamento fora devidamente pago em dinheiro vivo”.

O que se sabe, até agora, é que esse avião estava em “situação regular”, todavia, não poderia estar fazendo taxi aéreo, o que tornou a coisa, até agora, como viagem “clandestina”. O aeroclube, por seu turno, só poderia usá-lo para instruções de novos pilotos, daí a sua licença junto a ANAC constar como “aeronave para instrução e adestramento de novos pilotos privados”. 

Não temos, ainda, informações do local e horário do velório. Porém, estaremos presentes em mais esse triste e fatídico episódio que chocou o país inteiro, notadamente os familiares e em especial, os fãs do cantor país afora.
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, de Salvador, na Bahia. 27-5-2019

Relacionado:

Colunas anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-